Lista de palestrantes do Congresso Internacional de Matemáticos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Esta é uma lista de palestrantes do Congresso Internacional de Matemáticos, composta por Plenary Speakers e Invited Speakers.[1]

1897: Zurique[editar | editar código-fonte]

1900: Paris[editar | editar código-fonte]

Durante o congresso de 1900 em Paris, França, David Hilbert (imagem) anunciou sua famosa lista de 23 problemas matemáticos não resolvidos.[2]

1904: Heidelberg[editar | editar código-fonte]

1908: Roma[editar | editar código-fonte]

1912: Cambridge[editar | editar código-fonte]

1920: Estrasburgo[editar | editar código-fonte]

1924: Toronto[editar | editar código-fonte]

1928: Bolonha[editar | editar código-fonte]

1932: Zurique[editar | editar código-fonte]

Participantes em Zurique, 1932

1936: Oslo[editar | editar código-fonte]

1950: Massachusetts[editar | editar código-fonte]

1954: Amsterdam[editar | editar código-fonte]

1958: Edimburgo[editar | editar código-fonte]

Alexander Grothendieck (imagem) em sua palestra plenária no Congresso de 1958 em Edimburgo delinando seu programa "para criar geometria aritmética via uma (nova) reformulação da geometria algébrica, buscando generalidade máxima."[3]

1962: Estocolmo[editar | editar código-fonte]

1966: Moscou[editar | editar código-fonte]

1970: Nice[editar | editar código-fonte]

1974: Vancouver[editar | editar código-fonte]

1978: Helsinque[editar | editar código-fonte]

1982: Varsóvia (ocorrido em 1983)[editar | editar código-fonte]

1986: Berkeley[editar | editar código-fonte]

1990: Quioto[editar | editar código-fonte]

1994: Zurique[editar | editar código-fonte]

1998: Berlim[editar | editar código-fonte]

2002: Pequim[editar | editar código-fonte]

2006: Madrid[editar | editar código-fonte]

Os trabalhos publicados no ICM 2006 estão disponíveis na referência[4]

2010: Hyderabad[editar | editar código-fonte]

2014: Seul[editar | editar código-fonte]

2018: Rio de Janeiro[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Castelvecchi, Davide (7 de outubro de 2015). «The biggest mystery in mathematics: Shinichi Mochizuki and the impenetrable proof». Nature. 526: 178–181. doi:10.1038/526178a 
  2. Scott, Charlotte Angas (1900). «The International Congress of Mathematicians in Paris» (PDF). Bull. Amer. Math. Soc. 7 (2): 57–79. doi:10.1090/s0002-9904-1900-00768-3 
  3. Cartier, Pierre (2004), «Un pays dont on ne connaîtrait que le nom (Grothendieck et les " motifs ")» (PDF), in: Cartier, Pierre; Charraud, Nathalie, Réel en mathématiques-psychanalyse et mathématiques (em francês), Editions Agalma, Tradução em inglês: A country of which nothing is known but the name: Grothendieck and "motives" . 
  4. Proceedings ICM 2006

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]