Lista de acidentes fatais na Fórmula 1

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O antigo circuito de Nurburgring (em cinza-claro), onde cinco pilotos morreram em provas de Fórmula 1; Somente em Indianápolis, houve mais mortes.

Este artigo traz uma Lista de acidentes fatais na Fórmula 1.

Pilotos[editar | editar código-fonte]

Aqui estão listados todas as mortes de pilotos automobilísticos a bordo de carros de Fórmula 1. Para esta listagem, foram considerados todos aqueles pilotos que perderam a vida em decorrência de um acidente a bordo de um carro de Fórmula 1, seja em um certame oficial da categoria (prática, treino classificatório, aquecimento ou corrida) ou em decorrência de ferimentos provocados por acidentes em pista ou em qualquer outro lugar desde que estivesse dirigindo um carro dessa categoria (salvo o indicado nas notas históricas logo abaixo da lista). 46 pilotos morreram nessas condições, 27 durante o fim de semana da corrida, 7 durante as 500 Milhas de Indianápolis[1], 8 nas sessões e treinos particulares e 4 durante eventos de Fórmula 1 não válidos pelo campeonato. Não estão citadas mortes entre os espectadores.

  • 14 pilotos morreram na década de 1950;
  • 14 na década de 1960;
  • 11 na década de 1970;
  • 4 na década de 1980;
  • 2 na década de 1990;
  • 1 na década de 2010;

Os pilotos dos Estados Unidos foram os que mais sofreram acidentes fatais, com 11 mortes.

Mortes na Fórmula 1[editar | editar código-fonte]

Piloto Data do Acidente Evento Circuito Carro-Motor Durante
Itália Luigi Fagioli 20 de junho de 1952 Grande Prêmio de Mônaco Circuito de Mônaco Lancia Corrida preliminar [2]
Reino Unido Cameron Earl [3] 18 de junho de 1952 Testes particulares MIRA, Nuneaton (Inglaterra) ERA Testes
Estados Unidos Chet Miller 15 de maio de 1953 Grande Prêmio de Indianápolis 500 de 1953[1] Indianapolis Motor Speedway Kurtis Kraft-Offy Treinos
Estados Unidos Carl Scarborough[4] 15 de maio de 1953 Grande Prêmio de Indianápolis 500 de 1953 Indianapolis Motor Speedway Kurtis Kraft-Offy Corrida
Bélgica Charles de Tornaco 18 de setembro de 1953 Testes Autodromo di Modena, Itália Ferrari Testes
Itália Felice Bonetto 21 de Novembro de 1953 Carrera Panamericana [5] Estradas da Região de Silao (México) Lancia Corrida
Argentina Onofre Marimón 31 de julho de 1954 Grande Prêmio da Alemanha de 1954 Nürburgring Maserati Treinos
Itália Mario Alborghetti 11 de maio de 1955 Grande Prêmio de Pau de 1955 Circuito de Pau, França Maserati Corrida
Estados Unidos Manny Ayulo 16 de maio de 1955 Grande Prêmio de Indianápolis 500 de 1955[1] Indianapolis Motor Speedway Kuzma-Offy Treinos
Itália Alberto Ascari 26 de maio de 1955 Testes Particulares [6] Autodromo Nazionale Monza Ferrari Testes
Estados Unidos Bill Vukovich 30 de maio de 1955 Grande Prêmio de Indianápolis 500 de 1955[1] Indianapolis Motor Speedway Kurtis Kraft-Offy Corrida[7]
Itália Eugenio Castellotti 14 de março de 1957 Testes Autodromo di Modena, Itália Ferrari Testes
Estados Unidos Keith Andrews 15 de maio de 1957 Grande Prêmio de Indianápolis 500 de 1957[1] Indianapolis Motor Speedway Kurtis Kraft-Offy Prática
Estados Unidos Pat O'Connor 30 de maio de 1958 Grande Prêmio de Indianápolis 500 de 1958[1] Indianapolis Motor Speedway Kurtis Kraft-Offy Corrida
Itália Luigi Musso 6 de julho de 1958 Grande Prêmio da França de 1958 Reims-Gueux Ferrari Corrida
Reino Unido Peter Collins 3 de agosto de 1958 Grande Prêmio da Alemanha de 1958 Nürburgring Ferrari Corrida
Reino Unido Stuart Lewis-Evans 19 de setembro de 1958 Grande Prêmio de Marrocos de 1958 Ain-Diab Circuit Vanwall Corrida
Estados Unidos Jerry Unser 17 de maio de 1959 Grande Prêmio de Indianápolis 500 de 1959[1] Indianapolis Motor Speedway Kurtis Kraft-Offy Teste pré-corrida
Estados Unidos Bob Cortner 19 de maio de 1959 Grande Prêmio de Indianápolis 500 de 1959[1] Indianapolis Motor Speedway Cornis-Offy Teste pré-corrida
Reino Unido Ivor Bueb 1 de agosto de 1959 Testes Particulares Circuito de Charade Cooper-Climax Testes
França Jean Behra 1 de agosto de 1959 Grande Prêmio da Alemanha de 1959 Circuito de AVUS Behra-Porsche Corrida preliminar [8]
Estados Unidos Harry Schell 13 de maio de 1960 International Trophy[9] Silverstone Cooper-Climax Qualificações
Reino Unido Chris Bristow 19 de junho de 1960 Grande Prêmio da Bélgica de 1960 Circuit de Spa-Francorchamps Cooper-Climax Corrida
Reino Unido Alan Stacey 19 de junho de 1960 Grande Prêmio da Bélgica de 1960 Circuit de Spa-Francorchamps Lotus-Climax Corrida
Reino Unido Shane Summers 1 de Junho de 1961 Grande Prêmio de Silver City Brands Hatch Cooper-Climax Prática
Itália Giulio Cabianca 15 de junho de 1961 Testes Particulares Modena Autodrome Cooper-Climax Testes
Alemanha Wolfgang von Trips 10 de setembro de 1961 [10] Grande Prêmio da Itália de 1961 Autodromo Nazionale Monza Ferrari Corrida
México Ricardo Rodríguez 1 de novembro de 1962 [11] Grande Prêmio do México de 1962 Autódromo Magdalena Mixhiurca Lotus-Climax Treinos
Países Baixos Carel Godin de Beaufort 2 de agosto de 1964 Grande Prêmio da Alemanha de 1964 Nürburgring Porsche Prática
Reino Unido John Taylor 7 de agosto de 1966 [12] Grande Prêmio da Alemanha de 1966 Nürburgring Brabham-BRM Corrida
Itália Lorenzo Bandini 7 de maio de 1967 [13] Grande Prêmio de Mônaco de 1967 Circuit de Monaco Ferrari Corrida
Reino Unido Bob Anderson 14 de agosto de 1967 Testes Particulares Silverstone, Inglaterra Brabham-Climax Testes
Reino Unido Jim Clark 7 de abril de 1968 Grande Prêmio da Alemanha de 1968 (Fórmula 2) [14] Hockenheimring Lotus-Ford Corrida
França Joseph Schlesser [15] 7 de julho de 1968 Grande Prêmio da França de 1968 Rouen-Les-Essarts Honda Corrida
Alemanha Gerhard Mitter 2 de agosto de 1969 Grande Prêmio da Alemanha de 1969 Nürburgring BMW [16] Treinos
Nova Zelândia Bruce McLaren 2 de junho de 1970 Testes particulares Goodwood, Inglaterra McLaren-Chevrolet [17] Testes
Reino Unido Piers Courage 7 de junho de 1970 Grande Prêmio dos Países Baixos de 1970 Circuit Zandvoort De Tomaso-Ford Corrida
Áustria Jochen Rindt[18] 5 de setembro de 1970 Grande Prêmio da Itália de 1970 Autodromo Nazionale Monza Lotus-Ford Qualificações
Suíça Joe Siffert 24 de outubro de 1971 1971 World Championship Victory Race[19] Brands Hatch BRM Corrida
Reino Unido Roger Williamson[20] 29 de julho de 1973 Grande Prêmio dos Países Baixos de 1973 Circuit Zandvoort March-Ford Corrida
França François Cevert 6 de outubro de 1973 Grande Prêmio dos Estados Unidos de 1973 Watkins Glen Grand Prix Race Course Tyrrel-Ford Qualificações [21]
Estados Unidos Peter Revson 30 de março de 1974 Grande Prêmio da África do Sul de 1974 Kyalami Shadow-Ford Aquecimento Pré-Corrida
Áustria Helmuth Koinigg 6 de outubro de 1974 Grande Prêmio dos Estados Unidos de 1974 Watkins Glen Grand Prix Race Course Surtees-Ford Corrida
Estados Unidos Mark Donohue[22] 19 de agosto de 1975 Grande Prêmio da Áustria de 1975 Österreichring Penske-Ford Prática
Reino Unido Tom Pryce[23] 5 de março de 1977 Grande Prêmio da África do Sul de 1977 Kyalami Shadow-Ford Corrida
Austrália Brian McGuire 29 de agosto de 1977[24] Brands Hatch Williams-Ford Prática
Suécia Ronnie Peterson 11 de setembro de 1978[25] Grande Prêmio da Itália de 1978 Autodromo Nazionale Monza Lotus-Ford Corrida
França Patrick Depailler 1 de agosto de 1980 Testes Particulares Hockenheimring Alfa Romeo Testes
Canadá Gilles Villeneuve 8 de maio de 1982[26] Grande Prêmio da Bélgica de 1982 Zolder Ferrari Qualificações
Itália Riccardo Paletti[27] 13 de junho de 1982 Grande Prêmio do Canadá de 1982 Circuit Gilles Villeneuve Osella-Ford Corrida
Itália Elio de Angelis[28] 15 de maio de 1986 Testes particulares Circuit Paul Ricard Brabham-BMW Testes
Áustria Roland Ratzenberger 30 de abril de 1994[29] Grande Prêmio de San Marino de 1994 Autódromo Enzo e Dino Ferrari Simtek-Ford Qualificações
Brasil Ayrton Senna 1 de maio de 1994 Grande Prêmio de San Marino de 1994[30] Autódromo Enzo e Dino Ferrari Williams-Renault Corrida
França Jules Bianchi 5 de outubro de 2014[31] Grande Prêmio do Japão de 2014 Circuito de Suzuka Marussia-Ferrari Corrida

Por circuito[editar | editar código-fonte]

Colocação Circuito Acidentes fatais
Total Primeiro Último
1 Estados Unidos Indianapolis Motor Speedway 7 1953 1959
2 Alemanha Nürburgring 5 1954 1969
3 Itália Modena Autodrome 3 1953 1961
Itália Autodromo Nazionale Monza 1961 1978
5 Bélgica Circuito de Spa-Francorchamps 2 1960 1960
Reino Unido Silverstone 1960 1967
Alemanha Hockenheimring 1968 1980
Países Baixos Circuit Zandvoort 1970 1973
Estados Unidos Watkins Glen 1973 1974
África do Sul Kyalami 1974 1977
San Marino Autodromo Enzo e Dino Ferrari 1994 1994
12 França Reims-Gueux 1 1958
Marrocos Ain-Diab 1958
França Charade 1959
México Autódromo Hermanos Rodríguez 1962
Mónaco Mônaco 1967
França Rouen-Les-Essarts 1968
Reino Unido Brands Hatch 1971
Áustria Österreichring 1975
Bélgica Zolder 1982
Canadá Circuito Gilles Villeneuve 1982
França Circuito Paul Ricard 1986
Japão Circuito de Suzuka 2014

Outras Mortes[editar | editar código-fonte]

Quem? Data do Acidente Evento Circuito Durante Nota Ref.
Torcedores 10 de setembro de 1961 Grande Prêmio da Itália de 1961 Autodromo Nazionale Monza Corrida O acidente que vitimou o alemão Wolfgang von Trips matou também 11 torcedores. [32]
Torcedores 27 de abril de 1975 Grande Prêmio da Espanha de 1975 Montjuïc Corrida Acidente ocasionado pelo alemão Rolf Stommelen matou 5 torcedores após a colisão com o alambrado de proteção.
África do Sul Jansen Van Vuuren (Fiscal de pista) 5 de março de 1977 Grande Prêmio da África do Sul de 1977 Kyalami Corrida Tom Pryce morreu depois de atingir o fiscal, que atravessava a pista; ambos morreram na hora, enquanto o outro fiscal que acompanhou Van Vuuren nada sofreu. [32]
Reino Unido John Dawson-Damer 24 de junho de 2000 Festival de Goodwood Goodwood Festival de velocidade Pilotando uma Lotus 63, John Dawson-Damer, de 59 anos, bateu o carro em uma estrutura de madeira e morreu no hospital no dia seguinte. [33]
Itália Paolo Ghislimberti (Fiscal de pista) 10 de setembro de 2000 GP da Itália de 2000 Monza Corrida Após acidente na primeira volta deste GP, a roda do carro de Frentzen atingiu Ghislimberti, matando-o. [32]
Austrália Graham Beveridge (Fiscal de pista) 04 de março de 2001 GP da Austrália de 2001 Melbourne Corrida O acidente entre Ralf Schumacher e Jacques Villeneuve vitimou o fiscal. O carro do piloto canadense chocou-se com o alambrado e acertou o fiscal por uma abertura na tela. A morte de Beveridge foi a última registrada em corridas até o GP do Canadá de 2013. [32]
Áustria Fritz Glatz 14 de julho de 2002 EuroBOSS Most (República Checa) Corrida Ex-piloto da Fórmula 3000, Glatz (conhecido ainda por "Pierre Chauvet" ou "Frederico Careca") morreu após bater seu carro (Footwork FA17) contra uma zebra e decolar. O austríaco, que também correu na Fórmula 2 e na Fórmula 3, faria 59 anos uma semana depois. [34][35]
Canadá Mark Robinson (Fiscal de pista) 09 de junho de 2013 GP do Canadá de 2013 Circuito Gilles Villeneuve Corrida Durante a retirada da Sauber de Esteban Gutiérrez, Robinson foi atingido por uma roda do guincho. Esta morte encerrou um período de 12 anos sem mortes na Formula 1 após 2001. [32]
Reino Unido Denis Welch 27 de julho de 2014 Silverstone Classic Jack Brabham Memorial Trophy Circuito de Silverstone Corrida de carros antigos Guiando um Lotus 18, Welch, de 69 anos, não resistiu aos ferimentos após um acidente múltiplo. [36]

Notas e referências

  1. a b c d e f g h A Indianápolis 500 foi parte do Campeonato de Fórmula 1 entre 1950 e 1960.
  2. A despeito da opinião de alguns historiadores, Fagioli morreu em uma corrida de exibição a bordo de um carro de turismo, não de um F-1. No ano em que Fagioli morreu, o GP de Mônaco havia sido substituído por duas corridas de carros esporte (daí a confusão dos historiadores). O italiano, que estava inscrito na categoria com motor de 2 litros, inexplicavelmente perdeu o controle de seu Lancia na saída do túnel e bateu forte no muro da parte interna da pista, o que lhe causou ferimentos que aparentemente não eram alarmantes – fraturas no punho e joelho, além de concussão cerebral. Seu estado, contudo, se agravou causando-lhe a morte 3 semanas depois.
  3. Cameron Earl foi um jovem engenheiro automotivo e trabalhava como consultor técnico na ERA (English Racing Automobiles). Durante uma sessão na pista de testes da Associação de Pesquisa da Indústria a Motor (Motor Industry Research Association – MIRA), o carro que ele pilotava capotou, causando-lhe traumatismo craniano.
  4. Scarborough não morreu devido a um acidente, mas em decorrência de exaustão. Numa corrida com a temperatura da pista estimada em torno de 50°C, ele cumpriu um terço da prova e ainda conseguiu chegar aos boxes para entregar seu carro a seu piloto reserva Bob Scott. Sendo retirado do carro por seus mecânicos, foi levado ao hospital onde teve uma parada cardíaca.
  5. A despeito da opinião de alguns historiadores, Bonetto morreu a bordo de um carro esporte e em uma corrida de carros-esporte, não de um F-1.
  6. A despeito da opinião de alguns historiadores, o bicampeão mundial Alberto Ascari morreu a bordo de um carro esporte em testes particulares, e não em um F-1.
  7. Um dos maiores automobilistas em seu tempo, Bill Vukovich, duas vezes vencedor das 500 Milhas de Indianápolis, morreu instantaneamente em um grave acidente na volta 57, enquanto liderava a prova com grande vantagem. Seu carro decolou por sobre o muro da pista após colidir contra outro carro acidentado a mais de 200km/h.
  8. A despeito da opinião de alguns historiadores, Behra morreu a bordo de um carro-esporte que ele mesmo estava desenvolvendo em parceria com a Porsche, e não em um F-1.
  9. O International Trophy não fazia parte do campeonato de 1960.
  10. Além de von Trips, mais 14 espectadores morreram no acidente. O alemão era o favorito para o campeonato de pilotos daquele ano. No final da segunda volta, antes de entrar na famosa curva Parabólica, a Ferrari nº4 de von Trips se enroscou com a Lotus de Jim Clark e foi catapultada para as arquibancadas. Com sua morte, seu companheiro de equipe Phil Hill teve caminho aberto para a vitória e para o título.
  11. Aos 20 anos, 8 meses e 18 dias, Ricardo Rodríguez é o piloto mais jovem a morrer em acidentes de Fórmula 1. Talentosa promessa mexicana, era piloto oficial da Ferrari e conseguiu autorização especial da sua equipe para correr com uma Lotus privada no GP de seu país natal – corrida que não contava pontos para o mundial e que não teria a participação da escuderia italiana. Suspeita-se que o acidente tenha acontecido por quebra da suspensão traseira direita na velocíssima curva Peraltada, enquanto Rodrigues disputava a pole com o britânico John Surtees. Rodríguez bateu em alta velocidade e foi lançado para fora de seu carro sobre o guarde-rail, sofrendo múltiplas e graves fraturas, morrendo instantaneamente. Após a morte de seu irmão Pedro, em 1971 (numa corrida de Carros Esporte em Norisring, Alemanha), o Autódromo Magdalena Mixhiurca seria rebatizado de Autodromo Hermanos Rodriguez.
  12. John Taylor morreu pela gravidade das queimaduras um mês depois do acidente, em 8 de setembro de 1966 em Koblenz, na Alemanha.
  13. Bandini, um dos maiores pilotos da época (vencedor nas morreu pela gravidade das suas queimaduras, dois dias depois do acidente. O acidente aconteceu a poucas voltas do final de uma corrida de 100 voltas, quando Bandini estava em 2º lugar. Além das graves queimaduras, sofreu várias fraturas no peito. Acredita-se que tenha perdido o controle de sua Ferrari nº18 por um erro de concentração devido ao enorme desgaste físico e mental próprios de uma longa corrida. O carro bateu em alta velocidade num poste telefônico no porto de Mônaco e virou de cabeça para baixo prendendo o piloto nas chamas. Na época, muito se criticou a FIA por permitir fardos de feno como barreiras de proteção – o que alimentou o fogo e prejudicou muito o resgate do carismático piloto italiano.
  14. Um dos maiores mitos do esporte, o escocês Jim Clark, bicampeão mundial, encontrou a morte numa corrida do campeonato de Fórmula 2 com carros de Fórmula 2. Acredita-se que ele perdeu o controle depois de uma perda de pressão em um dos pneus traseiros, batendo em alta velocidade numa árvore.
  15. O popular piloto francês morreu ao experimentar pela primeira vez numa corrida um revolucionário carro cujo chassi era construído em magnésio, material leve porém altamente inflamável. Ao perder o controle em alta velocidade, ele colidiu contra um barranco e voltou para o asfalto engolido por uma enorme labareda, que consumiu inteiramente o carro em poucos minutos e matou o piloto carbonizado.
  16. Gehard Mitter morreu a bordo de um carro de Fórmula 2 em um evento misto (graças ao tamanho descomunal de uma volta no circuito alemão de Nurburgring – mais de 22km –, era permitido que no GP da Alemanha, carros de Formula 2 largassem junto com os de Formula 1, classificando-se em uma tabela a parte. O acidente de Mitter foi durante os treinos para a corrida no trecho de Schwedenkreuz. Suspeitou-se de uma quebra de suspensão ou de uma falha na direção como causa do acidente.
  17. Bruce Mclaren, um dos maiores nomes da história do automobilismo e fundador da equipe McLaren, morreu a bordo de um McLaren M8, carro da categoria Can-Am, e não em um F-1. A causa do acidente foi a perda de pressão aerodinâmica causada por um pedaço da carroceria que se soltou; o carro fora de controle foi bater em alta velocidade contra uma cabine de fiscal mal situada fora da pista.
  18. Rindt era naquele momento, uma das principais estrelas da Formula 1 e liderava o campeonato mundial com cinco vitórias e vasta vantagem em pontos. A causa do seu acidente fatal foi falha nos freios que operavam nos semi-eixos dianteiros. A Lotus-Ford nº22 colidiu em alta velocidade contra um dos suportes de guard-rail na entrada da mítica curva Parabólica. O piloto morreu estrangulado pelo seu cinto de segurança. Após a sua morte, Rindt seria declarado campeão póstumo. Seus rivais não atingiriam o seu total de pontos nos quatro GP's restantes.
  19. A World Championship Victory Race (popularmente conhecida com 'Corrida dos Campeões') não contava pontos para o campeonato de 1971. Siffert, um dos melhores pilotos de seu tempo, morreu em um acidente causado por uma quebra de suspensão. Na 1ª volta da corrida ele havia esbarrado no March-Ford de Ronnie Peterson, danificando sua suspensão que mais tarde se partiu, jogando o seu BRM no guarde-rail em alta velocidade; o carro foi imediatamente engolido por uma enorme labareda de fogo, impossibilitando o resgate por muitos minutos. Siffert morreu devido a asfixia e inalação de fumaça tóxica.
  20. Williamson perdeu o controle de seu carro por um pneu que se estourou em alta velocidade, capotando seu carro que foi arrastado por centenas de metros de cabeça para baixo até parar na zona de terra à beira da pista, prendendo o piloto; no choque, as faíscas do santantônio no contato com asfalto acenderam o combustível que vazava. O piloto morreu asfixiado pela inalação de fumaça. As imagens de seu acidente (e dos infrutíferos esforços de seu companheiro David Purley para livrá-lo dos destroços de seu carro em chamas enquanto os fiscais de pista apenas olhavam o carro queimar), se tornaram icônicas e emblemas de uma época em que a Formula 1 era conhecida como "O Esporte que Mais Mata". Como resultado da horrível morte do jovem e talentoso piloto britânico (transmitida ao vivo para inúmeros países), a FIA regulamentou em estatuto as obrigações de resgate e combate a incêndios para diminuir os riscos de uma fatalidade assim acontecer de novo. A negligência da organização de pista foi duramente criticada na sequência do episódio.
  21. Outro dos grandes talentos de sua geração, o jovem Cevert, um dos rostos mais conhecidos em seu tempo, morreu nos treinos classificatórios enquanto tentava superar o tempo da pole de seu amigo e piloto da Lotus Ronnie Peterson. O acidente fatal aconteceu nos famosos "Esses" de alta velocidade depois da reta dos boxes, zona de pista muito ondulada. Acredita-se que ele perdeu o controle do seu carro ao passar em alta velocidade sobre um dos calombos do asfalto, o que o fez bater em cheio no guarde-rail direito, atravessar a pista, virar de cabeça pra baixo e bater no guarde-rail esquerdo. O segundo impacto foi ainda bastante forte – a tal ponto que no local do impacto o guarde-rail foi parcialmente arrancado. O Tyrrell-Ford nº4 ainda se arrastou por sobre a barreira de aço por muitos metros e a lâmina do guarde-rail acabou degolando o piloto francês. Como consequência do trágico acidente de Cevert, seu companheiro de equipe tricampeão mundial de Formula 1 Jackie Stewart anunciou precocemente a sua aposentadoria e não disputou o GP dos Estados Unidos que seria seu 100º Grande Prêmio.
  22. Embora aparentasse ter saído ileso do acidente, Donohue (um dos maiores nomes do automobilismo em seu tempo) queixou-se de fortes dores de cabeça (um poste havia caído sobre ele) e foi levado em estado grave ao hospital, falecendo pouco depois.
  23. Assim como o talentoso Tom Pryce, nesse acidente também morreu Jansen Van Vuuren, um voluntário de 20 anos. Pryce atropelou o voluntário na reta dos boxes a cerca de 280 km/h. Van Vuuren estava tentando cruzar a pista para apagar um foco de incêndio no carro do companheiro de Pryce na Shadow Renzo Zorzi. Numa das piores cenas já testemunhadas pelas câmeras de TV na Formula 1, enquanto o corpo do jovem voluntário voava para fora da pista terrivelmente deformado pelo impacto, o extintor de incêndio que ele carregava atingia em cheio a cabeça do piloto que morreu instantaneamente.
  24. McGuire morreu numa corrida de Shellsport Formula One em Brands Hatch, que não era parte do campeonato de F-1.
  25. O suéco é, até hoje, considerado um dos maiores pilotos de corrida da História. O acidente, um dos mais impressionantes da história da F1, foi uma batida múltipla na largada do GP da Itália. O diretor de prova cometeu um grave erro ao acender a luz verde antes que os últimos carros do grid estivessem parados, o que causou uma largada confusa, com os carros de trás largando em velocidade sem que os pilotos da dianteira tivessem sequer engatado a primeira marcha. Num ponto onde a reta dos boxes se afunilava de cerca de 40 metros para 12 metros todos esses carros se encontaram, causando a tragédia. Dando entrada no hospital com multiplas fraturas nas pernas, Peterson não corria risco de vida, mas durante um processo cirúrgico para tratamento das lesões, seu estado de saúde agravou-se repentinamente, vindo a falecer no dia seguinte. A causa da morte foi entrada de embolia gordurosa na corrente sanguínea. A suspeita de erro médico nunca foi descartada. Ao final da temporada, Peterson seria sagrado vice-campeão póstumo.
  26. O carismático Gilles Villeneuve, muito conhecido (e amado) por seu arrojo, morreu após sua Ferrari ter decolado ao tocar em alta velocidade a roda traseira esquerda do March-Ford de Jochen Mass. Um cinto de segurança mal fixado permitiu que Villeneuve fosse ejetado do carro, indo parar no alambrado de proteção da pista. Embora tivesse sido socorrido rapidamente, morreu no hospital nesse mesmo dia devido a uma grave lesão cervical.
  27. Paletti, largava da ultima fila e colidiu seu Osella contra a Ferrari de Didier Pironi que estava parado no grid na primeira fila (sem ter conseguido largar). Seu carro pegou fogo em seguida. Resgatado com graves ferimentos no tórax, morreu a dois dias de completar 24 anos.
  28. De Angelis morreu asfixiado pela fumaça do incêndio ocorrido após seu Brabham bater em alta velocidade. O acidente foi causado pelo aerofólio traseiro que se soltou.
  29. Ratzenberger só foi declarado morto após o final do treino classificatório. Sua morte foi decorrência de uma batida frontal em alta velocidade na Curva Villeneuve; o austríaco perdeu o controle depois que a asa dianteira de seu Simtek-Ford se soltou em plena reta.
  30. Assim como Clark, Senna foi um dos maiores pilotos de todos os tempos. Seu acidente foi causado por uma quebra da coluna de direção, o que fez com que seu carro seguisse reto na veloz curva Tamburello, espatifando-se no muro de concreto e causando-lhe traumatismo craniano. Devido ao impacto de sua morte e a comoção mundial que se seguiu, houve grande melhoria na segurança do esporte. Assim, mais de vinte anos se passaram sem um acidente fatal na F-1 envolvendo pilotos.
  31. O acidente de Bianchi foi na volta 44 do GP do Japão de 2014, quando seu carro perdeu o controle na pista molhada pela chuva, indo chocar-se violentamente num trator que recolhia para fora da pista o carro do piloto alemão Adrian Sutil. O jovem piloto francês morreu nove meses depois, em 17 de julho de 2015, sem ter saído do estado vegetativo em que se encontrava por consequência do acidente.
  32. a b c d e espn.uol.com.br/ Fórmula 1 volta a ter acidente fatal após 12 anos; relembre outras tragédias da categoria
  33. Savill, Richard (26 de junho de 2000). «Brother of earl dies in Goodwood hill climb». The Daily Telegraph (Londres [s.n.]). Consultado em 19 de agosto de 2012. 
  34. «Fritz Glatz» GrandPrix.com [S.l.] 19 de julho de 2002. Consultado em 22 de agosto de 2012. 
  35. «Most: Qualifying report» Motorsport.com [S.l.] 17 de julho de 2002. Consultado em 22 de agosto de 2012. 
  36. «Historic racer Denis Welch dies in Silverstone Classic accident» Autosport [S.l.] 28 de julho de 2014. Consultado em 29 de julho de 2014. 

Referências[editar | editar código-fonte]