Lista de presidentes da República Portuguesa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bandeira oficial da Presidência da República Portuguesa

Esta é uma lista de Presidentes da República Portuguesa, ordenados cronologicamente desde o estabelecimento da forma de governo republicana em 5 de Outubro de 1910 até ao presente:

Lista[editar | editar código-fonte]

Legenda de cores

Primeira República (1910–1926)[editar | editar código-fonte]

# Presidente do Governo Provisório
(Nascimento–Morte)
Retrato Início do mandato Fim do mandato Eleições Partido
Governo Provisório (1910–1911)
Joaquim Teófilo Fernandes Braga
(1843–1924)
Teofilo Braga.jpg 5 de outubro de 1910 24 de agosto de 1911
——
  Republicano
Primeiro chefe de Estado do regime republicano (acumulando com a chefia do governo), numa capacidade provisória até à eleição do primeiro presidente da República. Dissolução dos partidos monárquicos. Eleições para a Assembleia Nacional Constituinte de 1911. Constituição de 1911. Lei da Separação do Estado das Igrejas. Teófilo Braga continuará como presidente do Governo Provisório até 3 de setembro de 1911.
# Presidente da República
(Nascimento–Morte)
Retrato Início do mandato Fim do mandato Eleições Partido
Presidência Constitucional (1911–1917)
1 Manuel José de Arriaga Brum da Silveira e Peyrelongue
(1840–1917)
De Arriaga.jpg 24 de agosto de 1911 29 de maio de 1915   Republicano
(apoiado por unionistas
e evolucionistas)
(até fev. 1912)
Primeiro presidente constitucionalmente eleito ao abrigo da Constituição de 1911. Divisão do Partido Republicano Português nos partidos Democrático, Evolucionista e Unionista. Incursões monárquicas de Paiva Couceiro. Governos de Teófilo Braga (provisório), João Chagas, Augusto de Vasconcelos, Duarte Leite, Afonso Costa, Bernardino Machado, Azevedo Coutinho, Pimenta de Castro e João Chagas/José de Castro. Movimento das Espadas. Demitiu-se do cargo após a revolta de 14 de Maio de 1915, e a subsequente queda do governo de Pimenta de Castro. Junta Constitucional de 1915. Atentado contra João Chagas.
  Independente
2 Joaquim Teófilo Fernandes Braga
(1843–1924)
Teofilo Braga.jpg 29 de maio de 1915 5 de outubro de 1915
Maio de
1915
  Democrático
Presidente substituto, designado para terminar o mandato do demissionário Manuel de Arriaga. Governo de João Chagas/José de Castro. Eleições legislativas de 1915.
3 Bernardino Luís Machado Guimarães
(1851–1944)
Bernardino Machado.jpg 5 de outubro de 1915 12 de dezembro de 1917
Agosto de
1915
  Democrático
Primeiro mandato presidencial de Bernardino Machado. Governos de José de Castro, Afonso Costa, António José de Almeida (governo da União Sagrada) e, novamente, de Afonso Costa. Entrada de Portugal na Primeira Guerra Mundial, do lado dos Aliados. Aparições marianas de Fátima. Junta Revolucionária de 1917, subsequente ao golpe de Sidónio Pais, tendo Bernardino Machado sido demitido.
# Ministério
(Chefe de Estado ex officio)
Retrato Início do mandato Fim do mandato Eleições Partido
República Nova (1917–1918)
Ministério composto por:
Sidónio Bernardino Cardoso da Silva Pais
(Presidente do Ministério)
António Maria de Azevedo Machado Santos
Alberto de Moura Pinto
António dos Santos Viegas
António Aresta Branco
Francisco Xavier Esteves
João Tamagnini de Sousa Barbosa
José Alfredo Mendes Magalhães
José Feliciano da Costa Júnior
Coat of arms of Portugal.svg 12 de dezembro de 1917 27 de dezembro de 1917
——
  Independente
De acordo com a Constituição de 1911, na ausência de um presidente da República, a totalidade do governo substitui-o. Governo liderado por Sidónio Pais, militar revoltoso, presidente da Junta Revolucionária de 1917 e presidente do Ministério. Governo de contornos ditatoriais.
# Presidente do Ministério
(Presidente da República ex officio)
(Nascimento–Morte)
Retrato Início do mandato Fim do mandato Partido
Sidónio Bernardino Cardoso da Silva Pais
(interino)
(1872–1918)
Sidónio Pais.jpg 27 de dezembro de 1917 9 de maio de 1918   Independente
De 27 de dezembro de 1917 a 9 de maio de 1918 acumula os cargos de presidente da República interino e de presidente do Ministério.
  Nacional Republicano
(desde abr. 1918)
# Presidente da República
(Nascimento–Morte)
Retrato Início do mandato Fim do mandato Eleições Partido
4 Sidónio Bernardino Cardoso da Silva Pais
(1872–1918)
Sidónio Pais.jpg 9 de maio de 1918 14 de dezembro de 1918
Abril de
1918
  Nacional Republicano
Após as eleições de abril de 1918 é inaugurado como presidente da República, chefiando um governo presidencialista autoritário. Os ministros passam a designar-se secretários de Estado. Primeiro e único presidente eleito por sufrágio direto na 1.ª República. República Nova. Desastre na Batalha de La Lys. Apaziguamento das relações com a Igreja Católica. Eleições legislativas de 1918. Armistício da Primeira Guerra Mundial. Presidenticídio de 14 de dezembro de 1918.
# Governo
(Chefe de Estado ex officio)
Retrato Início do mandato Fim do mandato Eleições Partido
Governo composto por:
João do Canto e Castro Silva Antunes Júnior
(Presidente do Ministério interino desde 15 fev.)
António Bernardino de Sousa Ferreira
Jorge Couceiro da Costa
João Tamagnini de Sousa Barbosa
Álvaro César de Mendonça
António Caetano de Abreu Freire Egas Moniz
João Alberto Pereira de Azevedo Neves
Alexandre José Botelho de Vasconcelos e Sá
José Alfredo Mendes Magalhães
Henrique Ventura Forbes de Bessa
José João Pinto da Cruz Azevedo
Eduardo Fernandes de Oliveira
Coat of arms of Portugal.svg 14 de dezembro de 1918 16 de dezembro de 1918
——
  Nacional Republicano
Regresso à Constituição de 1911. De acordo com esta, em caso de morte do presidente da República, este é substituído provisoriamente pela totalidade do governo, neste caso, o governo previamente liderado pelo próprio Sidónio Pais. A 15 de dezembro o governo elege João do Canto e Castro como presidente interino do Ministério.
# Presidente da República
(Nascimento–Morte)
Retrato Início do mandato Fim do mandato Eleições Partido
Presidência Constitucional (1918–1926)
5 João do Canto e Castro Silva Antunes Júnior
(1862–1934)
Canto e Castro.jpg 16 de dezembro de 1918 5 de outubro de 1919
Dezembro de
1918
  Nacional Republicano
Presidente da República substituto incumbido de terminar o mandato presidencial iniciado em 1915 por Bernardino Machado. Governos do próprio Canto e Castro, Tamagnini Barbosa, José Relvas, Domingos Pereira e Sá Cardoso. Revolta de Santarém, Monarquia do Norte e várias outras revoltas e tentativas de golpes. Eleições legislativas de 1919.
6 António José de Almeida
(1866–1929)
Antonio Jose de Almeida.jpg 5 de outubro de 1919 5 de outubro de 1923   Evolucionista
(até 1919)
Único presidente da 1.ª República a cumprir integralmente o seu mandato. Governos de Sá Cardoso, Fernandes Costa (Governo dos Cinco Minutos), Domingos Pereira, António Maria Baptista/Ramos Preto, António Maria da Silva, António Granjo, Álvaro de Castro, Liberato Pinto, Bernardino Machado, Barros Queirós, novamente António Granjo, Manuel Maria Coelho, Maia Pinto, Cunha Leal e novamente António Maria da Silva. Eleições legislativas de 1921. Revolta outubrista e episódio da Noite Sangrenta. Eleições legislatvias de 1922. Travessia aérea do Atlântico Sul por Gago Coutinho e Sacadura Cabral.
  Liberal
(1919–fev. 1923)
  Nacionalista
(desde fev. 1923)
7 Manuel Teixeira Gomes
(1860–1941)
Marques-oliveira teixeira-gomes-1.jpg 5 de outubro de 1923 11 de dezembro de 1925   Democrático
Alcunhado de presidente-escritor. Governos de António Maria da Silva, Ginestal Machado, Álvaro de Castro, Rodrigues Gaspar, Domingues dos Santos, Vitorino Guimarães, novamente António Maria da Silva e Domingos Pereira. Eleições legislativas de 1925. Golpe dos Generais. Renuncia ao mandato, num contexto de enorme instabilidade política e social.
8 Bernardino Luís Machado Guimarães
(2.ª vez)
(1851–1944)
Bernardino Machado.jpg 11 de dezembro de 1925 31 de maio de 1926   Democrático
Segundo mandato presidencial de Bernardino Machado. Governos de Domingos Pereira e António Maria da Silva. Descoberta da burla de Alves dos Reis. Mandato novamente interrompido pela Revolução de 28 de maio de 1926.

Segunda República (1926–1974)[editar | editar código-fonte]

# Presidente do Ministério
(Presidente da República ex officio)
(Nascimento–Morte)
Retrato Início do mandato Fim do mandato Eleições Partido
Ditadura Militar (1926–1928)
9 José Mendes Cabeçadas Júnior
(1883–1965)
President José Mendes Cabeçadas.jpg 31 de maio de 1926 17 de junho de 1926
——
  Independente
Militar revoltoso da Revolução de 28 de maio de 1926. Presidente do Ministério (1.º da Ditadura Militar) desde 30 de maio, a 31 recebe de Bernardino Machado a renúncia ao cargo de presidente da República, transferindo-lhe a totalidade do poder executivo (incluindo a chefia do Estado), acumulando desta forma as competências da presidência da República com as da chefia do governo. Dissolução do Congresso da República e suspensão das liberdades políticas e individuais. Derrubado por um contra-golpe de Estado, organizado por Gomes da Costa.
# Ministério
(Chefe de Estado ex officio)
Retrato Início do mandato Fim do mandato Partido
Ministério composto por:
Manuel de Oliveira Gomes da Costa
(Presidente do Ministério)
António Claro (desde 17 jun.)
Filomeno da Câmara de Melo Cabral (desde 18 jun.)
Artur Ricardo Jorge (desde 18 jun.)
Armando Humberto da Gama Ochoa (desde 18 jun.)
Coat of arms of Portugal.svg 17 de junho de 1926 29 de junho de 1926   Independente
Após o afastamento de Mendes Cabeçadas, segue-se um ministério de Gomes da Costa. Este ministério, ainda de acordo com a Constituição de 1911, assume a totalidade do poder executivo até dia 29 de junho, quando os poderes de presidente da República são oficialmente atribuídos ao seu presidente, Gomes da Costa.
# Presidente do Ministério
(Presidente da República ex officio)
(Nascimento–Morte)
Retrato Início do mandato Fim do mandato Partido
10 Manuel de Oliveira Gomes da Costa
(1863–1929)
Gomes da costa.jpg 29 de junho de 1926 9 de julho de 1926   Independente
Militar revoltoso da Revolução de 28 de maio de 1926. Presidente do Ministério (2.º da Ditadura Militar) com atribuição das competências da presidência da República. Derrubado por um contra-golpe de Estado, organizado por Óscar Carmona.
# Ministério
(Chefe de Estado ex officio)
Retrato Início do mandato Fim do mandato Partido
Ministério composto por:
António Óscar de Fragoso Carmona
(Presidente do Ministério)
José Ribeiro Castanho (desde 12 jul.)
Manuel Rodrigues Júnior
João José de Sinel de Cordes
Jaime Maria da Graça Afreixo
António Maria de Bettencourt Rodrigues
Abílio Augusto Valdez de Passos e Sousa
João Belo
Artur Ricardo Jorge (até 22 nov.)
José Alfredo Mendes Magalhães (desde 22 nov.)
Felisberto Alves Pedrosa
Coat of arms of Portugal.svg 9 de julho de 1926 29 de novembro de 1926   Independente
Após o afastamento de Gomes da Costa, segue-se um ministério (3.º da Ditadura Militar) de Óscar Carmona. Este ministério, ainda de acordo com a Constituição de 1911, assume a totalidade do poder executivo até dia 29 de novembro, quando os poderes de presidente da República são oficialmente atribuídos ao seu presidente, Óscar Carmona. Estabelecimento da censura prévia.
# Presidente do Ministério
(Presidente da República ex officio)
(Nascimento–Morte)
Retrato Início do mandato Fim do mandato Partido
11 António Óscar de Fragoso Carmona
(1869–1951)
Carmona.jpg 29 de novembro de 1926 15 de abril de 1928   Independente
Militar revoltoso do golpe de 28 de maio de 1926. Presidente interino até à realização de eleições presidenciais, acumulando com o cargo de presidente do Ministério.
# Presidente da República
(Nascimento–Morte)
Retrato Início do mandato Fim do mandato Eleições Partido
Ditadura Nacional (1928–1933)
António Óscar de Fragoso Carmona
(1869–1951)
Carmona.jpg 15 de abril de 1928 11 de abril de 1933
1928
  Independente
  União Nacional
(desde 30 jul. 1930)
Presidente eleito por sufrágio direto, sendo o único candidato. Legitimação do novo regime, dando-se início ao período da Ditadura Nacional. Governos do próprio Óscar Carmona, de Vicente de Freitas, Ivens Ferraz, Domingos Oliveira e início da governação de Oliveira Salazar. Reequilíbrio das finanças públicas. Fundação do partido único: União Nacional. Ato Colonial, e oficialização do Império Colonial Português.
Estado Novo (1933–1974)
António Óscar de Fragoso Carmona
(1869–1951)
Carmona.jpg 11 de abril de 1933 18 de abril de 1951
1935
1942
1949
  União Nacional
Estabelecimento da Constituição de 1933 e início do Estado Novo, corporativista, autoritário e de inspiração fascista. Criação da PVDE (PIDE a partir de 1945). Criação da Legião Portuguesa e da Mocidade Portuguesa. Neutralidade portuguesa durante a Segunda Guerra Mundial. Tratado de Amizade e Não Agressão Luso-Espanhol. Fundação do MUD. Exposição do Mundo Português. Concordata com a Santa Sé. Entrada de Portugal como membro fundador da NATO. Candidatura de Norton de Matos à presidência. Presidente morre no cargo.
# Presidente do Conselho de Ministros
(Presidente da República ex officio)
(Nascimento–Morte)
Retrato Início do mandato Fim do mandato Eleições Partido
António de Oliveira Salazar
(interino)
(1889–1970)
Antonio Salazar-1.jpg 18 de abril de 1951 9 de agosto de 1951
——
  União Nacional
Após a morte de Carmona, Oliveira Salazar, como presidente do Conselho, serve como presidente da República interino até à tomada de posse de Craveiro Lopes.
# Presidente da República
(Nascimento–Morte)
Retrato Início do mandato Fim do mandato Eleições Partido
12 Francisco Higino Craveiro Lopes
(1894–1964)
Francisco Higino Craveiro Lopes.jpg 9 de agosto de 1951 9 de agosto de 1958
1951
  União Nacional
Nova política ultramarina. Anexação de Dadrá e Nagar Haveli pela União Indiana. Entrada nas Nações Unidas. Divergências entre Craveiro Lopes e Oliveira Salazar. Primeira emissão regular da RTP. Candidatura de Humberto Delgado à presidência, nas eleições presidenciais de 1958. Não teve apoio da União Nacional para o exercício de um segundo mandato.
13 Américo de Deus Rodrigues Thomaz
(1894–1987)
Américo Tomás.png 9 de agosto de 1958 25 de abril de 1974
1958
1965
1972
  União Nacional

Acção Nacional Popular
(desde fev. 1970)
Entrada na EFTA. Fuga de Peniche. Início da Guerra Colonial. Golpe Botelho Moniz. Anexação do Estado da Índia pela União Indiana. Sequesto do Santa Maria, por Henrique Galvão. Crise académica de 1962. Grande vaga de emigração. Inauguração da Ponte Salazar (hoje Ponte 25 de Abril). Fundação da Acção Socialista Portuguesa. Assassinato de Humberto Delgado. Afastamento de Oliveira Salazar e chegada ao poder de Marcello Caetano. Primavera Marcelista. Movimento dos Capitães e Revolução de 25 de abril de 1974.

Terceira República (1974–presente)[editar | editar código-fonte]

# Junta de Salvação Nacional
(Chefe de Estado ex officio)
Retrato Início do mandato Fim do mandato Eleições Partido
Junta de Salvação Nacional (1974)
Junta de Salvação Nacional
composta por:
António Sebastião Ribeiro de Spínola
(Presidente da JSN)
Francisco da Costa Gomes
Jaime Silvério Marques
Manuel Diogo Neto
Carlos Galvão de Melo
José Baptista Pinheiro de Azevedo
António Alva Rosa Coutinho
Coat of arms of Portugal.svg 25 de abril de 1974 15 de maio de 1974
——
  Independente
Acumulou todo o poder executivo após o 25 de abril de 1974, incluindo a chefia do Estado e do governo. Restabelecimento das liberdades políticas e individuais. Libertação dos presos políticos. Regresso dos exilados. Após a nomeação de António de Spínola para presidente da República, continuou a funcionar como chefe de governo por mais um dia. Existiu até 1975, passando os seus membros a integrar o Conselho da Revolução.
# Presidente da República
(Nascimento–Morte)
Retrato Início do mandato Fim do mandato Eleições Partido
Presidência Militar (1974–1976)
14 António Sebastião Ribeiro de Spínola
(1910–1996)
DuartePimentel04.jpg 15 de maio de 1974 30 de setembro de 1974
——
  Independente
Militar e presidente da Junta de Salvação Nacional eleito por esta para o cargo de presidente da República. I Governo Provisório de Palma Carlos. II Governo Provisório de Vasco Gonçalves. Acordos de Lusaca. Reconhecimento da independência da Guiné-Bissau. Demite-se após o falhanço do golpe da "maioria silenciosa".
15 Francisco da Costa Gomes
(1914–2001)
Francisco da Costa Gomes.gif 30 de setembro de 1974 14 de julho de 1976   Independente
Militar e membro da Junta de Salvação Nacional eleito por esta para o cargo de Presidente da República – e da própria JSN – após a renúncia de António de Spínola. III Governo Provisório, IV Governo Provisório e V Governo Provisório, todos liderados por Vasco Gonçalves. VI Governo Provisório de Pinheiro de Azevedo. Acordos de Alvor. Golpe de 11 de Março de 1975. Eleições para a Assembleia Constituinte de 1975. Verão Quente. Golpe de 25 de Novembro de 1975. Reconhecimento da independência de Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Moçambique e Angola. Invasão de Timor pela Indonésia. Aprovação a 2 de Abril de 1976 da Constituição de 1976. Eleições legislativas de 1976.
Presidência Constitucional (1976–presente)
16 António dos Santos Ramalho Eanes
(1935–)
António Ramalho Eanes.jpg 14 de julho de 1976 9 de março de 1986
1976
1980
  Independente
Militar. Primeiro presidente da República eleito democraticamente por sufrágio universal após o 25 de Abril de 1974, em 1976 e reeleito em 1980. VI Governo Provisório de Pinheiro de Azevedo. I Governo Constitucional e II Governo Constitucional, liderados por Mário Soares. III Governo Constitucional de Nobre da Costa. IV Governo Constitucional de Mota Pinto. V Governo Constitucional de Maria de Lourdes Pintasilgo. Eleições legislativas de 1979. VI Governo Constitucional de Sá Carneiro. Eleições legislativas de 1980. Caso Camarate. VII Governo Constitucional e VIII Governo Constitucional, liderados por Pinto Balsemão. Revisão Constitucional em 1982. Eleições legislativas de 1983. IX Governo Constitucional de Mário Soares. Bloco Central. Eleições legislativas de 1985. X Governo Constitucional de Cavaco Silva. Adesão à CEE.   Renovador Democrático
(desde 1985)
17 Mário Alberto Nobre Lopes Soares
(1924–)
Mário Soares (2003).jpeg 9 de março de 1986 9 de março de 1996
1986
1991
  Socialista
Segundo presidente da República eleito democraticamente por sufrágio universal após o 25 de Abril de 1974, em 1986 e reeleito em 1991. Primeiro presidente da República civil desde 1926. X Governo Constitucional de Cavaco Silva. Após moção de censura aprovada pela Assembleia da República, Soares dissolve o Parlamento. Eleições legislativas de 1987. XI Governo Constitucional de Cavaco Silva. Revisão Constitucional em 1989. Eleições legislativas de 1991. XII Governo Constitucional de Cavaco Silva. Adesão ao Tratado de Maastricht. Eleições legislativas de 1995. XIII Governo Constitucional de António Guterres.
18 Jorge Fernando Branco de Sampaio
(1939–)
Jorge Sampaio.jpg 9 de março de 1996 9 de março de 2006
1996
2001
  Socialista
Terceiro presidente da República eleito democraticamente por sufrágio universal após o 25 de Abril de 1974, em 1996 e reeleito em 2001. XIII Governo Constitucional de António Guterres. Referendo de independência de Timor-Leste de 1999. Reconhecimento da independência de Timor-Leste. Eleições legislativas de 1999. XIV Governo Constitucional de António Guterres. Transferência da Soberania de Macau para a China. Após as Eleições autárquicas de 2001, Guterres demite-se e Sampaio dissolve o Parlamento. Eleições legislativas de 2002. XV Governo Constitucional de Durão Barroso. XVI Governo Constitucional de Santana Lopes. A 30 de novembro de 2004, Sampaio dissolve o Parlamento. Eleições legislativas de 2005. XVII Governo Constitucional de José Sócrates.
19 Aníbal António Cavaco Silva
(1939–)
Cavaco Silva 2007.jpg 9 de março de 2006 9 de março de 2016
2006
2011
  Social Democrata
Quarto presidente da República eleito democraticamente por sufrágio universal após o 25 de Abril de 1974, em 2006 e reeleito em 2011. XVII Governo Constitucional de José Sócrates. Crise do subprime em 2007. Eleições legislativas de 2009. XVIII Governo Constitucional de José Sócrates. Crise da dívida pública da Zona Euro. Após rejeição do PEC IV pelo parlamento em março de 2011, Sócrates demite-se e Cavaco Silva dissolve o Parlamento. Eleições legislativas de 2011. XIX Governo Constitucional de Passos Coelho. Crise política de julho de 2013, com a demissão não concretizada de Paulo Portas. Saída da troika financeira de Portugal em 2014. Eleições legislativas de 2015. XX Governo Constitucional de Passos Coelho. Moção de rejeição ao programa de governo aprovada pela Assembleia da República. XXI Governo Constitucional de António Costa.
20 Marcelo Nuno Duarte Rebelo de Sousa
(1948–)
Marcelo Rebelo de Sousa.png 9 de março de 2016 presente
2016
  Social Democrata
Quinto presidente da República eleito democraticamente por sufrágio universal após o 25 de Abril de 1974, em 2016. XXI Governo Constitucional de António Costa.

Quadro síntese[editar | editar código-fonte]

Marcelo Rebelo de Sousa Aníbal Cavaco Silva Jorge Sampaio Mário Soares António Ramalho Eanes Francisco da Costa Gomes António de Spínola Junta de Salvação Nacional Américo Thomaz Francisco Craveiro Lopes António de Oliveira Salazar Óscar Carmona 3.º governo da ditadura (Portugal) Manuel Gomes da Costa 2.º governo da ditadura (Portugal) José Mendes Cabeçadas Manuel Teixeira Gomes António José de Almeida João do Canto e Castro 16.º governo republicano (Portugal) Sidónio Pais 15.º governo republicano (Portugal) Bernardino Machado Manuel de Arriaga Teófilo Braga

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Presidentes da República Portuguesa

Ligações externas[editar | editar código-fonte]