Lista de recordes e curiosidades do Congresso Nacional do Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Está relacionada a seguir uma lista de recordes e curiosidades do Congresso Nacional do Brasil. Eles são referentes aos membros do parlamento brasileiro conforme os mandatos exercidos após as eleições de 1945. Mandatos anteriores a esse ano serão relacionados como exceção por razões de verificabilidade.

Na relação a seguir, os parlamentares no exercício do mandato (mesmo temporariamente afastados segundo as regras constitucionais)[1] têm seus nomes grafados em negrito sendo desconsiderados os suplentes efetivados ou convocados a exercer o mandato. São apontadas as eleições vencidas por cada político, não o número de disputas para o cargo.

Salvo grafia diversa adotada pela Justiça Eleitoral, é usado o nome funcional escolhido por cada parlamentar e quanto ao local de nascimento dos mesmos adotamos a divisão política do Brasil existente após a Constituição de 1988 para definir os casos de naturalidade.

Os congressistas exercem o mandato durante um período denominado legislatura sendo que o mandato dos deputados federais é de quatro e o dos senadores é de oito anos.[1][nota 1] A cada eleição é renovada toda a Câmara dos Deputados pelo sistema proporcional e o Senado Federal é renovado alternadamente em um e dois terços pelo sistema majoritário.

Na elaboração da lista foram consultados os acervos do Tribunal Superior Eleitoral,[2][3] do Senado Federal[4] e da Câmara dos Deputados,[5] sendo que os dados estão sob atualização periódica.

Múltiplos mandatos[editar | editar código-fonte]

Eleições múltiplas simultâneas[editar | editar código-fonte]

Devido ao embuste das candidaturas e dos domicílios eleitorais múltiplos, Getúlio Vargas angariou nove mandatos em 1945. Eleito deputado federal pela Bahia, Distrito Federal, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo e senador pelo Rio Grande do Sul e São Paulo, optou por representar seu estado no Senado Federal. Encerrada a Assembleia Nacional Constituinte de 1946 ele renunciou em favor de Camilo Mércio. As demais vagas conquistadas por ele foram preenchidas por meio de eleições suplementares em 1947.[2]

No mesmo ano a regra em questão beneficiou também Luís Carlos Prestes que elegeu-se senador pelo Distrito Federal e deputado federal pelo Distrito Federal, Pernambuco e Rio Grande do Sul e dentre as opções disponíveis escolheu o Senado Federal embora o seu mandato tenha sido cassado em 1948 juntamente com os demais congressistas do PCB.[2]

Senadores por mais de um estado[editar | editar código-fonte]

Embora Afonso Arinos e Nelson Carneiro tenham sido eleitos pelo antigo Distrito Federal e pela Guanabara, respectivamente, e reeleitos pelo Rio de Janeiro, foram agrupados como senadores deste último por razões metodológicas.

Senador Naturalidade Relação das eleições vencidas
Assis Chateaubriand[nota 2] Umbuzeiro, PB  Paraíba (1952)  Maranhão (1955)
José Sarney Pinheiro, MA  Maranhão (1970, 1978)  Amapá (1990, 1998, 2006)
Mendes Canale[nota 3] Miranda, MS  Mato Grosso (1974)  Mato Grosso do Sul (1986)
Saldanha Derzi Ponta Porã, MS  Mato Grosso (1970)  Mato Grosso do Sul (1978, 1986)

Deputados federais por mais de um estado[editar | editar código-fonte]

Lista organizada por ordem alfabética segundo o nome parlamentar adotado por cada congressista.

Deputado federal Naturalidade Relação das eleições vencidas
Aliomar Baleeiro Salvador, BA Bahia Bahia (1945, 1950, 1954)  Rio de Janeiro (1962)
Almino Afonso Humaitá, AM  Amazonas (1958, 1962)  São Paulo (1994)
Antônio Carlos de Oliveira Campo Grande, MS  Mato Grosso (1974)  Mato Grosso do Sul (1978)
Ary Valadão Anicuns, GO  Goiás (1966, 1970, 1974)  Tocantins (1988)
Bezerra de Melo Crateús, CE  São Paulo (1966, 1970, 1978)  Ceará (1986)
Filemon Rodrigues Mamanguape, PB  Minas Gerais (1994, 1998)  Paraíba (2006)
José Tatico Teixeiras, MG  Distrito Federal (2002)  Goiás (2006)
Leonel Brizola Carazinho, RS  Rio Grande do Sul (1954)  Rio de Janeiro (1962)
Nelson Carneiro Salvador, BA Bahia Bahia (1950)  Rio de Janeiro (1958, 1962, 1966)
Paulo Nunes Leal Carangola, MG  Rondônia (1966)  Rio Grande do Sul (1974)
Plínio Salgado São Bento do Sapucaí, SP  Paraná (1958)  São Paulo (1962, 1966, 1970)
Roberto Freire Recife, PE  Pernambuco (1978, 1982, 1986, 1990, 2002)  São Paulo (2010)
Ubaldo Barém Ponta Porã, MS  Mato Grosso (1970, 1974)  Mato Grosso do Sul (1978, 1982)
Valério Magalhães Boa Vista, RR  Roraima (1958)  Acre (1962)
Vinicius Carvalho Rio de Janeiro, RJ  Rio de Janeiro (2006)  São Paulo (2014, 2018)
Walter de Castro Maracaju, MS  Mato Grosso (1974)  Mato Grosso do Sul (1978)

Mandatos nas duas casas por mais de um estado[editar | editar código-fonte]

Na história do Congresso Nacional existe um restrito grupo de parlamentares que alternou-se entre o Senado Federal e a Câmara dos Deputados por mais de uma unidade federativa. São eles:

Parlamentar Naturalidade Mandatos como deputado federal Mandatos como senador
Afonso Arinos Belo Horizonte, MG  Minas Gerais (1950, 1954)  Rio de Janeiro (1958, 1986)
Aurélio Viana Maceió, AL  Alagoas (1954, 1958)  Rio de Janeiro (1962)
Gilberto Mestrinho Manaus, AM  Roraima (1962)  Amazonas (1998)
Joaquim Roriz Luziânia, GO  Goiás (1982)  Distrito Federal (2006)
Juscelino Kubitschek Diamantina, MG  Minas Gerais (1934, 1945)  Goiás (1961)
Roberto Campos Cuiabá, MT  Rio de Janeiro (1990, 1994)  Mato Grosso (1982)
Roberto Freire Recife, PE  Pernambuco (1978, 1982, 1986, 1990, 2002)
 São Paulo (2010)
 Pernambuco (1994)
Wilson Martins Campo Grande, MS  Mato Grosso (1962, 1966)  Mato Grosso do Sul (1986)

Mandatos nas duas casas pelo mesmo estado[editar | editar código-fonte]

Lista organizada segundo o domicílio eleitoral de cada parlamentar e havendo mais de um considera-se o primeiro.

Relação de parlamentares que foram eleitos deputados federais e senadores por região
Na Região Norte, listam-se: Ademir Andrade, Aloysio Chaves, Aluízio Bezerra, Álvaro Maia, Ângela Portela, Artur Virgílio Filho, Arthur Virgílio Neto, Augusto Meira, Bernardo Cabral, Carlos Alberto de Carli, Davi Alcolumbre, Coutinho Jorge, Eduardo Braga, Eduardo Siqueira Campos, Ernandes Amorim, Expedito Júnior, Flaviano Melo, Gabriel Hermes, Geraldo Mesquita, Gilberto Mestrinho, Gilvam Borges, Gladson Cameli, Hélio Campos, Hélio Gueiros, Jader Barbalho, João Ribeiro, Jorge Kalume, José Esteves, José Guiomard, José Lindoso, Kátia Abreu, Leomar Quintanilha, Mário Maia,Marcos Rogério, Marluce Pinto, Mozarildo Cavalcanti, Nabor Júnior, Oscar Passos, Olavo Pires, Raimundo Parente, Sebastião Bala Rocha, Sérgio Petecão, Severiano Nunes, Vanessa Grazziotin, Vicentinho Alves.
Na Região Nordeste, listam-se: Albano Franco, Alberto Silva, Alexandre Costa, Aloysio de Carvalho, Antônio Carlos Magalhães, Antônio Carlos Valadares, Arêa Leão, Arnon de Melo, Aurélio Viana, Carlos Alberto, Chagas Rodrigues, Ciro Nogueira, Clodomir Cardoso, Divaldo Suruagy, Edison Lobão, Epitácio Cafeteira, Etelvino Lins,Eliziane Gama, Fátima Bezerra, Fausto Gaioso, Fernandes Távora, Fernando Collor, Ferreira de Sousa, Freitas Neto, Georgino Avelino, Henrique de La Rocque, Heráclito Fortes, Hugo Napoleão, Humberto Lucena, Inácio Arruda, Jarbas Vasconcelos, João Alberto de Souza, João Castelo, João Durval, Joaquim Parente, Joaquim Pires, José Cândido Ferraz, José Parsifal Barroso, José Sarney, Kerginaldo Cavalcanti, Leônidas Melo, Lourival Batista, Luís Viana Filho, Luís Cavalcanti,Marcelo Castro, Marco Maciel, Marcondes Gadelha, Menezes Pimentel, Paulo Sarasate, Plínio Pompeu, Renan Calheiros, Roseana Sarney, Rui Carneiro, Rui Palmeira, Sigefredo Pacheco, Silvestre Péricles,Veneziano Vital do Rêgo, Vital do Rêgo Filho, Vitorino Freire, Walter Pinheiro, Wellington Dias,Weverton Rocha, Wilson Santiago,Zenaide Maia.
Na Região Sudeste, listam-se: Aécio Neves, Aelton Freitas,Aloysio Nunes,Arolde de Oliveira,Amaral Furlan, Artur Bernardes Filho, César Vergueiro, Dirceu Cardoso, Eduardo Azeredo, Eduardo Suplicy, Eliseu Resende, Francisco Dornelles, Gerson Camata, João Calmon, José Serra, Levindo Coelho, Lindberg Farias, Magno Malta,Mara Gabrilli, Major Olímpio,Marcondes Filho, Marta Suplicy, Nelson Carneiro, Renato Casagrande, Ricardo Ferraço, Roberto Simonsen,Rodrigo Pacheco,Romário Faria, Rose de Freitas, Saturnino Braga, Tancredo Neves.
Na Região Sul, listam-se: Afonso Camargo, Álvaro Dias, Artur Santos, Carlos Chiarelli, Carlos Lindenberg,Esperidião Amin,Getúlio Vargas, Gomes de Oliveira, Jorginho Mello,José Richa,Luis Carlos Heinze, Nereu Ramos, Paulo Brossard, Paulo Paim, Raimundo Colombo, Salgado Filho.
Na Região Centro-Oeste, listam-se: Alfredo Nasser, Antero Paes de Barros, Benedito Canelas, Benedito Ferreira, Carlos Bezerra, Emival Caiado, Gastão Müller,Irajá Abreu,Izalci Lucas, João Vilas Boas, Joaquim Roriz, Jonas Pinheiro, José Roberto Arruda, Júlio Campos, Lázaro Barbosa, Levy Dias, Lúcia Vânia, Maguito Vilela, Marconi Perillo, Marisa Serrano, Mauro Borges, Paulo Octávio, Roberto Campos, Rodrigo Rollemberg, Ronaldo Caiado, Saldanha Derzi, Taciano Melo, Valmir Campelo, Vicente Vuolo, Waldemir Moka.

Presidentes da República no Congresso Nacional[editar | editar código-fonte]

Na relação a seguir os antigos presidentes da República aparecem listados por data de posse, vindo do mais antigo ao mais recente.

Entre a Proclamação da República e a Era Vargas[editar | editar código-fonte]

Passaram pelo Congresso Nacional durante a República Velha: Prudente de Morais, Campos Sales, Rodrigues Alves, Afonso Pena, Nilo Peçanha, Venceslau Brás, Delfim Moreira, Epitácio Pessoa, Artur Bernardes, Washington Luís e Júlio Prestes. Caso ímpar foi o de Hermes da Fonseca que, eleito senador, não assumiu em protesto pelo assassinato de Pinheiro Machado.

Getúlio Vargas continuou sua carreira política após o fim do Estado Novo, bem como seus contemporâneos João Café Filho, Carlos Luz, Nereu Ramos, Juscelino Kubitschek e Tancredo Neves.

Após a Segunda Guerra Mundial[editar | editar código-fonte]

Os presidentes relacionados a seguir retomaram ou iniciaram carreiras políticas a partir de 1945.

Parlamentar Naturalidade Mandatos como deputado federal Mandatos como senador
Jânio Quadros Campo Grande, MS  Paraná (1958)
Ranieri Mazzilli Caconde, SP  São Paulo (1950, 1954, 1958, 1962)
João Goulart São Borja, RS  Rio Grande do Sul (1950)
Tancredo Neves São João del-Rei, MG  Minas Gerais (1950, 1962, 1966, 1970, 1974)  Minas Gerais (1978)
José Sarney Pinheiro, MA  Maranhão (1958, 1962)  Maranhão (1970, 1978)
 Amapá (1990, 1998, 2006)
Fernando Collor Rio de Janeiro, RJ  Alagoas (1982)  Alagoas (2006, 2014)
Itamar Franco Salvador, BA  Minas Gerais (1974, 1982, 2010)
Fernando Henrique Cardoso Rio de Janeiro, RJ  São Paulo (1986)
Luiz Inácio Lula da Silva Caetés, PE  São Paulo (1986)
Michel Temer Tietê, SP  São Paulo (1994, 1998, 2002, 2006)
Jair Bolsonaro Glicério, SP  Rio de Janeiro (1990, 1994, 1998, 2002, 2006, 2010, 2014)

Famílias políticas[editar | editar código-fonte]

As relações de parentesco redundam na eleição de mais de um membro da mesma família, sobretudo nas eleições para a Câmara dos Deputados por conta do maior número de vagas e pelo emprego do voto proporcional. Tal fenômeno é concentrado nas regiões Norte e Nordeste do Brasil.[carece de fontes?]

Cônjuges[editar | editar código-fonte]

Nesta categoria podemos citar os seguintes casos:

UF representada Esposo Esposa Situação atual
 Acre Aluizio Bezerra Zila Bezerra
 Acre Narciso Mendes Célia Mendes
 Amapá João Capiberibe Janete Capiberibe
Bahia Bahia Manoel Novaes Necy Novaes
 Espírito Santo Gerson Camata Rita Camata
 Espírito Santo Nyder Barbosa Etevalda Menezes
 Goiás Irapuan Costa Júnior Lúcia Vânia
 Maranhão Edison Lobão Nice Lobão
 Mato Grosso Carlos Bezerra Tetê Bezerra Ele deputado federal
 Mato Grosso Jonas Pinheiro Celcita Pinheiro
 Minas Gerais Jorge Carone Filho Nísia Carone
 Paraíba Wilson Braga Lúcia Braga Ele é deputado estadual
 Piauí Ciro Nogueira Iracema Portela Ele senador e ela deputada federal
 Rio de Janeiro Aarão Steinbruch Júlia Steinbruch
 Rio de Janeiro Paulo Rattes Ana Maria Rattes
 Rondônia Valdir Raupp Marinha Raupp
 Roraima Neudo Campos Suely Campos
 Roraima Ottomar Pinto Marluce Pinto
 Santa Catarina Esperidião Amin Ângela Amin Ele é senador Ela deputada federal
 Santa Catarina Doutel de Andrade Lígia Doutel de Andrade

Ex-cônjuges[editar | editar código-fonte]

O divórcio foi posterior ao exercício parlamentar.

UF representada Esposo Esposa Situação atual
 Ceará Ciro Gomes Patrícia Saboia Fora do parlamento
Pará Pará Jader Barbalho Elcione Barbalho Mandatos em curso
 Piauí Lucídio Portela Myriam Portela Fora do parlamento
 Rio Grande do Norte Lavoisier Maia Wilma de Faria Fora do parlamento
 Roraima Romero Jucá Teresa Surita Ele fora do parlamento e ela prefeita de Boa Vista
 São Paulo Eduardo Suplicy Marta Suplicy Ele vereador, ela fora do parlamento

Clãs familiares[editar | editar código-fonte]

Na fase republicana uma das dinastias mais longevas do parlamento é formada por José Sarney, Sarney Filho e Roseana Sarney cabendo ao patriarca a condição de parlamentar mais experiente da história. Outros clãs nordestinos presentes nos círculos do poder são o dos baianos Antônio Carlos Magalhães, Luís Eduardo Magalhães, Antônio Carlos Magalhães Júnior, Antônio Carlos Magalhães Neto, Ângelo Magalhães e Paulo Magalhães, além dos potiguares Aluizio Alves, Henrique Eduardo Alves, Ana Catarina Alves, Garibaldi Alves e Garibaldi Alves Filho.

O estado do Ceará também é profícuo em casos dessa natureza, vide os nomes de Virgílio Távora e Carlos Virgílio Távora, César Cals e César Cals Neto, Mauro Benevides e Carlos Benevides, sendo que os Távora possuem laços familiares com o piauiense Alberto Silva, pai de Paulo Silva. Entre o Piauí e o Ceará tivemos o caso de Ciro Nogueira e Etevaldo Nogueira, irmãos que foram deputados federais.

Outros casos da relação pai e filho: Antônio Carlos Valadares e Valadares Filho, José Agripino Maia e Felipe Maia, Renan Calheiros e Renan Filho.

Dentre os deputados federais do Centro-sul, destacam-se Artur Bernardes e Artur Bernardes Filho, eleitos deputados federais por Minas Gerais em 1945. Nos últimos anos houve o caso de José dos Santos Freire, eleito por Goiás em 1986 e Freire Júnior, eleito por Tocantins em 1988. Temos em Goiás o caso das famílias Caiado e Borges Teixeira, além dos Bornhausen em Santa Catarina.

Bancada feminina[editar | editar código-fonte]

Até 2014 foram eleitas no Brasil 27 senadoras[nota 4] acrescendo-se entre elas o nome da Princesa Isabel por direito dinástico[nota 5] e também 180 deputadas federais desconsiderando a convocação ou efetivação de suplentes do sexo feminino em ambas as casas.

Nascidos no exterior[editar | editar código-fonte]

Os seguintes parlamentares exerceram mandatos no Congresso Nacional mesmo nascidos no exterior, com a ressalva que Coelho Rodrigues, Hugo Napoleão e Luís Viana Filho são filhos de diplomatas e nasceram quando os pais estavam a serviço do Brasil no exterior, sendo portanto, brasileiros natos aos olhos de nossa legislação.[nota 6]

UF representada Nome País de nascimento Carreira parlamentar
Bahia Bahia José Lourenço Portugal Portugal Eleito deputado federal
Bahia Bahia Luís Viana Filho  França Eleito deputado federal e senador
Bahia Bahia Pedro Irujo Flag of Spain.svg Espanha Eleito deputado federal
 Mato Grosso do Sul André Puccinelli  Itália Eleito deputado federal
 Minas Gerais Avelino Costa Portugal Portugal Eleito deputado federal
 Minas Gerais Vittorio Medioli  Itália Eleito deputado federal
Pará Pará Lameira Bittencourt Portugal Portugal Eleito deputado federal e senador
 Paraná Antônio Bárbara Portugal Portugal Eleito deputado federal
 Piauí Coelho Rodrigues Suíça Eleito deputado federal
 Piauí Hugo Napoleão  Estados Unidos Eleito deputado federal e senador
 Rio de Janeiro Maria da Conceição Tavares Portugal Portugal Eleita deputada federal
 Rio de Janeiro Rodrigo Maia  Chile Eleito deputado federal
 Roraima Moises Lipnik  Colômbia Eleito deputado federal

Os sem-cidade[editar | editar código-fonte]

Seja por falta ou imprecisão nos dados, não foi possível determinar o local de nascimento dos seguintes parlamentares:

UF representada Deputado federal Informação disponível
 Acre Castelo Branco Nasceu no Acre
 Alagoas Afonso de Carvalho Nasceu em Alagoas
Bahia Bahia Carlos Albuquerque Nenhuma
 Maranhão Lima Campos Nasceu no Maranhão
 Minas Gerais Celso Arinos Nenhuma
 Pernambuco Agostinho Dias de Oliveira Nasceu em Pernambuco
 Pernambuco Severino Mariz Nasceu em Pernambuco
 Rio de Janeiro Benedito Cerqueira Nasceu em Minas Gerais
 Rio Grande do Sul Ariosto Jaeger Nenhuma
 Rondônia Renato Medeiros Nasceu no Pará
 São Paulo Geraldo Santos Nenhuma
 São Paulo Mário Scott Nenhuma

Notas e referências

Notas

  1. Conforme artigos 44 a 50 da Constituição Federal.
  2. Eleito pela Paraíba após a renúncia de Vergniaud Wanderley e do suplente, Antônio Pereira Diniz, mesmo expediente usado para reeleger-se pelo Maranhão onde renunciaram Alexandre Bayma e Newton Belo.
  3. O ano de 1986 é mencionado porque foi depois das eleições daquele ano que Mendes Canale foi efetivado após a eleição de Marcelo Miranda ao governo de Mato Grosso do Sul.
  4. O número de senadoras inclui parlamentares que exerceram também o mandato de deputadas federais.
  5. A partir dos 25 anos o príncipe herdeiro do Brasil Império seria empossado senador.
  6. Conforme dispõe o Art. 12, inciso I, alínea "b" da Constituição de 1988.

Referências

  1. a b «Constituição da República Federativa do Brasil». Consultado em 4 de janeiro de 2013 
  2. a b c «Tribunal Superior Eleitoral: candidatos eleitos entre 1945 e 1990». Consultado em 4 de janeiro de 2013 [ligação inativa]
  3. «Tribunal Superior Eleitoral: candidatos eleitos entre 1994 e 2010». Consultado em 4 de janeiro de 2013 
  4. «Senado Federal do Brasil: mecanismo de busca em todas as legislaturas». Senado Federal. Consultado em 4 de janeiro de 2013. Arquivado do original em 12 de abril de 2016 
  5. «Câmara dos Deputados do Brasil: mecanismo de busca em todas as legislaturas». Consultado em 4 de janeiro de 2013