Saltar para o conteúdo

Lista de títulos internacionais de clubes brasileiros de futebol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Esta é uma lista de conquistas de clubes brasileiros em competições internacionais de futebol, organizadas ou reconhecidas pelas entidades internacionais oficiais do futebol, assim como as reconhecidas pela CBD antes de 1955.[1][2]

Competições incluídas a partir de 1955

[editar | editar código-fonte]

Até o início de 1955, o entendimento, tanto da FIFA quanto da UEFA, era que a organização das competições de clubes (incluindo as internacionais) cabia aos próprios clubes e/ou às associações nacionais envolvidas.[3] Na Europa, por exemplo, a Copa Latina foi criada em 1949 por Ottorino Barassi e Jules Rimet, este na condição de presidente da FIFA, mas sem a participação direta da FIFA na sua organização, cabendo esta às associações nacionais dos 4 países envolvidos.[4] Na América do Sul, a Copa Aldao foi organizada na primeira metade do século XX pelas associações Uruguaia e Argentina de Futebol, sem participação direta da CONMEBOL na sua organização.[5] Em maio de 1955 ocorreu a primeira menção da FIFA a que uma competição internacional de clubes só seria considerada oficial se organizada por uma entidade continental; no caso, a FIFA declarou que reconheceria a Copa dos Campeões da Europa como oficial contanto que fosse organizada pela UEFA.[6] Em 8 de outubro de 1958, foi anunciada a criação da Copa Libertadores da América, primeira competição de clubes da CONMEBOL.[7][8][9][10]

Desta forma, sobre as competições realizadas a partir de 1955, este verbete contabiliza apenas os títulos de clubes brasileiros em competições oficiais pela FIFA e confederações continentais (UEFA, CONMEBOL, etc.). Estas foram:[11][12][13]


Quaisquer outras competições internacionais de clubes, criadas a partir de 1955, só serão incluídas caso sejam reconhecidas pelo Comitê Executivo de FIFA ou CONMEBOL ou uma das outras confederações continentais, mesmo que tenham sido organizadas ou endossadas por CBD ou CBF.

Competições incluídas anteriores a 1955

[editar | editar código-fonte]

No que diz respeito ao período anterior a 1955, a lista inclui apenas as competições que em algum momento (ou seja, não necessariamente sempre) tenham tido sua importância reconhecida pelo Comitê Executivo da FIFA ou de uma das confederações continentais, ou que tenham sido organizadas sob os auspícios da CBD, então entidade oficial do futebol brasileiro, com jurisdição sobre todos os clubes do país. Tanto no caso da FIFA quanto da CONMEBOL e UEFA, o Comitê Executivo é o órgão destas instituições com legitimidade para o reconhecimento de competições.[20][21][22] Ou seja, citações em matérias jornalísticas nos sites de FIFA, CONMEBOL ou UEFA, citações em livros e revistas destas entidades, entrevistas de dirigentes das mesmas, etc., não possuem o condão de conferir reconhecimento oficial a competições, pois este reconhecimento não prescinde de aprovação do Comitê Executivo destas entidades.[21][23]

Com base nestes critérios, as competições anteriores a 1955 incluídas na lista são:

A CONMEBOL não contabiliza o Campeonato Sul-Americano de Campeões na sua lista de competições oficiais[53] ou nas estatísticas sobre a Copa Libertadores. Entretanto, a participação do campeão da competição de 1948, Vasco da Gama, na Supercopa Sul-Americana de 1997 (competição oficial da Conmebol que dava direito de participação tão somente os campeões da Copa Libertadores, competição principal da Conmebol, sem dar direito de participação aos campeões da competição secundária da Conmebol, a Copa Conmebol), com base em decisão do Comitê Executivo da Conmebol em 1996, mostra sem sombra de dúvida que, ao menos nos anos de 1996 e 1997, a Conmebol reconheceu o torneio de 1948 como equivalente à Copa Libertadores. Versões anteriores desta lista de títulos propunham a não contabilização do Campeonato Sul-Americano de Campeões sob o argumento de que foi apenas pontual ou temporariamente reconhecido, mas não plena e permanentemente oficializado pela CONMEBOL. Tal proposta de exclusão foi abandonada e o torneio de 1948 é incluído na lista, uma vez que sua não inclusão equivaleria a desconsiderar o fato comprovado de que, ao menos nos anos de 1996 e 1997, a Conmebol equiparou o torneio de 1948 à Copa Libertadores.

A FIFA não contabiliza Copa Rio de 1951 na sua lista de competições oficiais ou nas antigas atualizações anuais do Statistical Kit da Copa do Mundo de Clubes da FIFA, emitido até 2019, após as reformulações nos mundiais da entidade (kit estatístico que incluía a Copa Intercontinental e o Mundial da entidade, mas não a Copa Rio de 1951, como mundiais de clubes).[72] A Copa Rio de 1951 não estava adicionada a este extinto documento estatístico da FIFA e em 2020, o presidente da FIFA, Gianni Infantino, deu declarações no sentido de não reconhecimento da FIFA ao torneio de 1951 naquele momento, após ser abordado em tom de brincadeira, gerando controvérsia[73] e a grande mídia brasileira levantou questionamentos sobre o reconhecimento. Porém, assim como em 2014 e 2016, cabe observar que, em 2013, o documento enviado pelo então Secretário-Geral da FIFA, Jérôme Valcke, ao então Ministro dos Esportes do Brasil, Aldo Rebelo, inequivocamente se referiu à Copa Rio de 1951 como Mundial de Clubes, Club World Cup, assim como já havia ocorrido antes em 2007, em documento assinado pelo então Secretário-Geral da FIFA, Urs Linsi.[74] Independente de interpretações quanto à extensão do reconhecimento dado pela FIFA, a Copa Rio de 1951 é incluída na lista por tratar-se de competição oficial da CBD realizada antes de 1955.[75][76]

  • Copa Rio de 1952, citada pela FIFA de maneira unicamente exemplificativa, em resposta à imprensa, sem haver registro de que tenha sido objeto de deliberação do Comitê Executivo da mesma.[77] Em que pese se tratar da mesma competição de 1951, cabe observar que, em 1951, a CBD determinou que as edições pós-1951 da Copa Rio não receberiam a alcunha de Torneio dos Campeões mas apenas de Copa Rio; provavelmente, esta é a explicação do fato que a edição de 1952 foi tratada em sua época como título mundial de clubes por um número muito menor de veículos da imprensa brasileira em comparação à de 1951[56][78][79], havendo algumas fontes da época que afirmam que apenas a edição de 1951 teve cunho de Torneio dos Campeões e que apenas em 1951 o clube campeão se declarou campeão mundial.[80][81][82] Em que pese não haver sido deliberada pelo Comitê Executivo da FIFA, a edição de 1952 é incluída na lista por ter sido organizada com endosso da CBD.
  • Torneio Octogonal Rivadavia Corrêa Meyer, sucessor da Copa Rio em 1953,[83][84][85][86] foi tratado na Europa como uma terceira edição da Copa Rio[87][88][89][90][91][92][93] e entendido pelo participante Hibernian como "o torneio tratado como Mundial de Clubes pela Associação Brasileira de Futebol" (a CBD)[94][95]. Embora de fato a Copa Rio tenha se encerrado em 1952 e tenha sido criado um torneio com personalidade jurídica própria,[96] o tratamento por "mundial de clubes" não foi encontrado, até o momento, nos arquivos da imprensa brasileira da época sobre o torneio de 1953. Apesar deste torneio jamais ter sido objeto de deliberação do Comitê Executivo da FIFA nem tratado como mundial de clubes pela imprensa da época, será incluído na lista por ter sido organizado pela CBD.

Títulos por equipe

[editar | editar código-fonte]
SÃO PAULO: 12 TÍTULOS
Competição Títulos Temporadas
Copa do Mundo de Clubes da FIFA 1 2005
Copa Intercontinental 2 1992, 1993
Copa Libertadores da América 3 1992, 1993, 2005
Copa Sul-Americana 1 2012
Supercopa Libertadores 1 1993
Copa Conmebol 1 1994
Recopa Sul-Americana 2 1993, 1994
Copa Master da Conmebol 1 1996
SANTOS: 8 TÍTULOS
Competição Títulos Temporadas
Copa Intercontinental 2 1962, 1963
Recopa Intercontinental 1 1968
Copa Libertadores da América 3 1962, 1963, 2011
Copa Conmebol 1 1998
Recopa Sul-Americana 1 2012
INTERNACIONAL: 8 TÍTULOS
Competição Títulos Temporadas
Copa do Mundo de Clubes da FIFA 1 2006
Copa Libertadores da América 2 2006, 2010
Copa Sul-Americana 1 2008
Recopa Sul-Americana 2 2007, 2011
Copa Suruga Bank 1 2009
Copa Dubai 1 2008
FLAMENGO: 7 TÍTULOS
Competição Títulos Temporadas
Copa Intercontinental 1 1981
Copa Libertadores da América 3 1981, 2019 e 2022
Copa Mercosul 1 1999
Recopa Sul-Americana 1 2020
Copa de Ouro Nicolás Leoz 1 1996
CRUZEIRO: 7 TÍTULOS
Competição Títulos Temporadas
Copa Libertadores da América 2 1976, 1997
Supercopa Libertadores 2 1991, 1992
Recopa Sul-Americana 1 1998
Copa de Ouro Nicolás Leoz 1 1995
Copa Master da Supercopa 1 1995
GRÊMIO: 6 TÍTULOS
Competição Títulos Temporadas
Copa Intercontinental 1 1983
Copa Libertadores da América 3 1983, 1995, 2017
Recopa Sul-Americana 2 1996, 2018
PALMEIRAS: 6 TÍTULOS
Competição Títulos Temporadas
Copa Rio Internacional 1 1951
Copa Libertadores da América 3 1999, 2020, 2021
Copa Mercosul 1 1998
Recopa Sul-Americana 1 2022
CORINTHIANS: 4 TÍTULOS
Competição Títulos Temporadas
Copa do Mundo de Clubes da FIFA 2 2000, 2012
Copa Libertadores da América 1 2012
Recopa Sul-Americana 1 2013
VASCO DA GAMA: 4 TÍTULOS
Competição Títulos Temporadas
Torneio Octogonal Rivadavia Corrêa Meyer 1 1953
Campeonato Sul-Americano de Campeões 1 1948
Copa Libertadores da América 1 1998
Copa Mercosul 1 2000
ATLÉTICO MINEIRO: 4 TÍTULOS
Competição Títulos Temporadas
Copa Libertadores da América 1 2013
Recopa Sul-Americana 1 2014
Copa Conmebol 2 1992, 1997
FLUMINENSE: 3 TÍTULOS
Competição Títulos Temporadas
Copa Rio Internacional 1 1952
Copa Libertadores da América 1 2023
Recopa Sul-Americana 1 2024
ATHLETICO PARANAENSE: 3 TÍTULOS
Competição Títulos Temporadas
Copa Sul-Americana 2 2018, 2021
J.League YBC Levain Cup/CONMEBOL Sudamericana Final 1 2019
BOTAFOGO: 1 TÍTULO
Competição Títulos Temporadas
Copa Conmebol 1 1993
CHAPECOENSE: 1 TÍTULO
Competição Títulos Temporadas
Copa Sul-Americana[nota 1] 1 2016
# Clube Estado Total Títulos Oficiais
1 São Paulo  São Paulo 12 1 Copa do Mundo de Clubes da FIFA, 2 Copa Intercontinental, 3 Copa Libertadores, 1 Copa Sul-Americana, 1 Supercopa Libertadores, 1 Copa Conmebol, 2 Recopa Sul-Americana, 1 Copa Master da Conmebol
2 Santos  São Paulo 8 2 Copa Intercontinental, 1 Recopa Intercontinental, 3 Copa Libertadores, 1 Copa Conmebol, 1 Recopa Sul-Americana
3 Internacional  Rio Grande do Sul 7 1 Copa do Mundo de Clubes da FIFA, 2 Copa Libertadores, 1 Copa Sul-Americana, 2 Recopa Sul-Americana, 1 Copa Suruga Bank
Flamengo  Rio de Janeiro 1 Copa Intercontinental, 3 Copa Libertadores, 1 Copa Mercosul, 1 Copa Ouro, 1 Recopa Sul-Americana
Cruzeiro  Minas Gerais 2 Copa Libertadores, 2 Supercopa Libertadores, 1 Recopa Sul-Americana, 1 Copa Master da Supercopa, 1 Copa Ouro
6 Grêmio  Rio Grande do Sul 6 1 Copa Intercontinental, 3 Copa Libertadores, 2 Recopa Sul-Americana
Palmeiras  São Paulo 1 Copa Rio, 3 Copa Libertadores, 1 Copa Mercosul, 1 Recopa Sul-Americana
8 Corinthians  São Paulo 4 2 Copa do Mundo de Clubes da FIFA, 1 Copa Libertadores, 1 Recopa Sul-Americana
Vasco da Gama  Rio de Janeiro 1 Torneio Octogonal Rivadavia Corrêa Meyer, 1 Campeonato Sul-Americano de Campeões, 1 Copa Libertadores, 1 Copa Mercosul
Atlético Mineiro  Minas Gerais 1 Copa Libertadores, 1 Recopa Sul-Americana, 2 Copa Conmebol
11 Fluminense  Rio de Janeiro 3 1 Copa Rio, 1 Copa Libertadores, 1 Recopa Sul-Americana
Athletico Paranaense  Paraná 2 Copa Sul-Americana, 1 Copa Suruga Bank
13 Botafogo  Rio de Janeiro 1 1 Copa Conmebol
Chapecoense  Santa Catarina 1 Copa Sul-Americana

Por federação

[editar | editar código-fonte]
Estado Total Clubes
 São Paulo 30 4
 Rio de Janeiro 15 4
 Rio Grande do Sul 13 2
 Minas Gerais 11 2
 Paraná 3 1
 Santa Catarina 1 1
TOTAL 73 14

Competições não incluídas na lista

[editar | editar código-fonte]

Algumas fontes relacionam as competições abaixo à história da Copa Intercontinental e da Copa do Mundo de Clubes da FIFA, porém não receberam reconhecimento de FIFA ou confederações continentais:

Outras competições não incluídas na lista:

Livros que retratam competições citadas no artigo
  • ÁVILA, Eduardo de. Com o Grêmio Onde o Grêmio Estiver. Leitura, 2009.
  • BERTOZZI, Leonardo; BETING, Mauro; MARRA, Mário. Nós Acreditamos: Campeão Libertadores 2013. São Paulo: BB Editora, 2013.
  • BESTETTI, Ricardo. O Internacional nas competições sul-americanas. Evangraf, 2006.
  • BESTETTI, Ricardo e DIAS, Thiago. O Colorado Internacional. Evangraf, 2007.
  • BESTETTI, Ricardo. O Internacional e suas conquistas pelo mundo. Ideograf, 2009.
  • BUENO, Eduardo e BUENO, Fernando. América aos Nossos Pés - 25 Anos de uma Libertadores de Verdade. Virtual Livros, 2008.
  • COELHO, Eduardo - 1952: Fluminense Campeão do Mundo. Rio de Janeiro: Editora Maquinária, 2012.
  • DUARTE, Orlando - O alviverde imponente. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2008.
  • DUCCA, Caio. A América é do Galo - Atlético Campeão da Libertadores 2013. Belo Horizonte: Magma Cultural, 2013.
  • FISCHER, Luís Augusto. Gigante - A História da Conquista do Mundo. G7 Books, 2007.
  • GALUPPO, Fernando Razzo - Palmeiras Campeão do Mundo 1951. Rio de Janeiro: Editora Maquinária, 2011.
  • GIACOMINI, Conrado - São Paulo. Dentre os Grandes, és o Primeiro. Rio de Janeiro: Editora Ediouro, 2005.
  • JORGE, Adílio, GRALHA, Fernando, ERNESTO, João e PERES Walmer - Vasco Campeão Intercontinental 1953. Editora Letras e Versos, 2021.
  • NAPOLEÃO, Antônio Carlos - Fluminense Football Club História, Conquistas e Glórias no Futebol. Rio de Janeiro: Editora Mauad, 2003.
  • TORRAGA, Tales. Internacional, o clube de todos e de todos os títulos. Reebok/Vipcomm, 2009.
  • SEPÚLVEDA, Camilo. A Virada do Século. Editora Multifoco - Drible de Letra, 2009.

Notas e referências

Notas

  1. A Chapecoense foi declarada campeã da Copa Sul-Americana de 2016 após o Atlético Nacional abdicar do título como forma de homenagem à tragédia que vitimou a delegação da equipe catarinense na viagem para o primeiro jogo da decisão.[97]

Referências

  1. Site TORCEDORES.COM - Veja quais são os 14 clubes brasileiros que conquistaram títulos internacionais, página editada em 13 de dezembro de 2018 e disponível em 24 de janeiro de 2019.
  2. «Resources Fifa» (PDF). Fifa. 20 de dezembro de 2019. Consultado em 22 de dezembro de 2018 
  3. 50 Years of the European Cup. Site da UEFA. Acesso em 04/02/2013, Ver declarações atribuídas a Jules Rimet (ex-FIFA), Rodolphe Seeldrayers (FIFA) e Ebbe Schwartz (UEFA).
  4. Jornal dos Sports, edição 6554, de 04/01/1951, páginas 5 e 7.
  5. River Plate estende suas vitrines para continuar somando copas - See more at: http://www.conmebol.com/pt-br/20150816-1720/river-plate-extende-suas-vitrines-para-continuar-somando-copas#sthash.Koyafnff.dpuf. Acesso em 17 de agosto de 2015
  6. 50 Years of the European Cup. Site da UEFA. Acesso em 04/02/2013
  7. Jornal espanhol El Mundo Deportivo, 9 de outubro de 1958, pág. 04.
  8. Jornal ABC Madrid, 9 de outubro de 1958, página 58.
  9. Jornal do Brasil, 09/10/1958, página 2 do 2º caderno.
  10. Jornal O Estado de S. Paulo, 9 de outubro de 1958, página 19.
  11. Fifa Tournaments
  12. Competições Oficiais da Conmebol Site Oficial - CONMEBOL, Página visitada em 11/9/2014.
  13. Todas Las Competiciones CONMEBOL
  14. «Histórico da Copa do Mundo de Clubes da Fifa». FIFA.com. Consultado em 11 de agosto de 2012 
  15. «Fifa confirma Corinthians como 1º campeão mundial e frustra Palmeiras - UOL Esporte, 15 de dezembro de 2007» 
  16. Statistical Kit da Copa do Mundo de Clubes da FIFA, afirmamdo que a Copa Intercontinental era endossada por UEFA e CONMEBOL. Acesso em 23/12/2015.
  17. Livro Repasando La Historia. Competições da Conmebol. Copa Europeia Sul-Americana. Página 111.
  18. Estatísticas da Inter de Milão em competições da UEFA, no site da mesma. Acessado em 23/12/2015. Diferentemente da Copa Intercontinental, reconhecida por UEFA e CONMEBOL, a Recopa Intercontinental é reconhecida apenas pela CONMEBOL. As estatísticas da UEFA sobre a participação da Inter de Milão nas competições da UEFA não fazem referência à participação do mesmo na Recopa Intercontinental de 1968.
  19. La Conmebol y la Asociación Japonesa de Fútbol renovaron el vínculo por la Copa Suruga Bank
  20. Estatuto da Conmebol. Artigo 60: 1. La CONMEBOL, a través de su Comité Ejecutivo, tiene la facultad exclusiva para crear, aprobar, reconocer, modificar, eliminar, organizar y dirigir partidos, competiciones y torneos internacionales en Sudamérica en los que participen las selecciones nacionales de las asociaciones miembro o los clubes afiliados a éstas.
  21. a b Matéria "Fifa: Verdão ainda não é campeão mundial" do GloboEsporte.com, de 26/04/2007. Acessada em 05/02/2013
  22. Estatutos da UEFA. Artigo 49: UEFA shall have the sole jurisdiction to organise or abolish international competitions in Europe in which Member Associations and/or their clubs participate. FIFA competitions shall not be affected by this provision... The Executive Committee shall decide whether to create or take over other competitions, as well as whether to abolish current competitions.
  23. «Por exemplo, no início dos anos 1990, a Conmebol lançou um livro sobre os 30 anos da [[Copa Libertadores]], e neste livro tratou o Campeonato Sul-Americano de Campeões de 1948 como antecedente da Copa Libertadores. Porém, o título só foi reconhecido pela [[Confederação Sul-Americana de Futebol|CONMEBOL]] em caráter oficial quando, em 29 de abril de 1996, o Comitê Executivo da entidade aprovou o reconhecimento e consequente participação do Vasco na [[Supercopa Sul-Americana]].». Consultado em 3 de março de 2015. Arquivado do original em 21 de agosto de 2008 
  24. Jornal Gazeta de Notícias, chamando o Vasco de Campeão dos Campeões da América do Sul ou Campeão dos Campeões Sul-Americanos nas edições 62,63,64 e 69 de 1948, a partir de 17/03/1948 (data da edição 62).
  25. Jornal argentino El Litoral, quarta-feira, 03 de março de 1948, página 07, tratando a competição como o Campeonato dos Campeões Sul-Americanos.
  26. Jornal argentino El Litoral, Sábado, 13 de Março de 1948, página 5, destacando que a competição daria a "honra de ser o campeão dos campeões".
  27. Jornal Diário de Notícias, edição 7810, 11 de abril de 1948, chamando o Vasco de campeão dos campeões sul-americanos.
  28. Jornal O Estado de S. Paulo, 21/05/1948, pág 11
  29. Jornal Folha da Manhã (antigo nome da Folha de S. Paulo) de 16/03/1948 (1º caderno, página 7), chamando o Vasco de campeão sul-americano pela conquista no Chile
  30. Jornal do Brasil de 19/03/1948, página 9: Saudação do Palmeiras ao Vasco, felicitando-o pela conquista do título de Campeão dos Campeões da América do Sul.
  31. Jornal O Globo Sportivo, 19 de março de 1948, edição 495, páginas 8 e 9: "O Vasco sagrou-se campeão invicto dos campeões sul-americanos.". Acesso através do acervo on-line da Biblioteca Nacional.
  32. Jornal Mundo Esportivo, 18 de março de 1948 (página 7). Acesso através do acervo on-line da Biblioteca Nacional, edição 82.
  33. Correio da Manhã, edição 16369, 16/03/1948, página 1.
  34. Jornal Sport Ilustrado, edição 520, 25/03/1948, páginas,1, 2 e 4.
  35. Diário da Noite, edição 4759, 21 de setembro de 1948, página 10.
  36. Diário Carioca, chamando o Vasco de Campeão dos Campeões Sul-Americanos em várias edições de 1948.
  37. Jornal dos Sports, edições de 1948, chamando o Vasco de Campeão dos Campeões Sul-Americanos. Edições de 5693 a 5700, de 14 a 23 de março de 1948.
  38. Jornal A Manhã, edição 2026, de 18 de março de 1948, página 12. "A FMF cumprimenta o Vasco da Gama" ... "sagrando-se Campeão dos Campeões da América do Sul."
  39. Jornal A Noite, edição 12822, de 15 de março de 1948, páginas 11 e 12, chamando o Vasco de Campeão dos Campeões Sul-americanos.
  40. 50 Years of the European Cup. Site da UEFA. Acesso em 04/02/2013. História da Copa dos Campeões da Europa, no site da UEFA, escrita por Jacques Ferran, um dos idealizadores da mesma, junto a Gabriel Hanot.
  41. «Reportagem do Globo Esporte exibida em 10/05/2015: Especial: Liga dos Campeões completa 60 anos, e Neymar ajuda a contar essa história. Acesso em 06/12/2015 Em entrevista a esta reportagem do Globo Esporte de 10/05/2015, Jacques Ferran confirmou que o Campeonato Sul-Americano de Campeões foi a inspiração da Copa dos Campeões da Europa: "como a Europa, que queria estar à frente do resto do mundo, não era capaz de realizar uma competição nos moldes do Campeonato Sul-Americano? Precisávamos seguir este exemplo.", disse Ferran à reportagem do Globo Esporte.». Consultado em 8 de dezembro de 2015. Arquivado do original em 4 de março de 2016 
  42. Jornal dos Sports. Edição 5675, de 22/02/1948, páginas 1 e 6, confirmando que o então presidente da Conmebol. Luiz Valenzuela, participou da organização do certame junto ao  Colo Colo. Acervo on-line. Memória Bn. Biblioteca Nacional.
  43. Livro "O Brasil na Taça Libertadores e no Mundial Interclubes", de Antônio Carlos Napoleão. Rio de Janeiro: Editora Mauad, 1999. ISBN 85-7478-001-4. Página 9.
  44. História da Copa Libertadores, no site da Conmebol, sobre o torneio de 1948: "El chileno Luis Valenzuela, presidente de la Federación de Chile desde 1937 y de CSF desde el 15 de enero de 1939, fue quien hizo realidad esos anhelos". Tradução dada na versão em português do site: "O chileno Luis Valenzuela, presidente da Federação do Chile desde 1937 e da CSF desde 15 de janeiro de 1939, foi quem tornou esses sonhos em realidade". Acesso em 24/04/2013.
  45. [1]
  46. [2]
  47. [3]
  48. «Antigo Site da Conmebol (arquivo recuperado pelo Web archive), 08 de março de 2009.». Consultado em 8 de março de 2009. Cópia arquivada em 8 de março de 2009 
  49. «Nota, no antigo site da Conmebol, sobre a participação do Vasco da Gama na Supercopa de 1997.». Consultado em 3 de março de 2015. Arquivado do original em 21 de agosto de 2008 
  50. «Cópia do Informe à Imprensa da Conmebol de 29 de abril de 1996, no site Casaca!». Consultado em 2 de março de 2015. Arquivado do original em 16 de janeiro de 2014 
  51. «Cópia do Informe à Imprensa da Conmebol de 29/04/1996, autorizando a participação do Vasco da Gama na Supercopa de 1997.». Consultado em 5 de fevereiro de 2013. Arquivado do original em 25 de setembro de 2013 
  52. Supercopa Sul-Americana, competição oficial da Conmebol.
  53. Las competiciones oficiales de la CONMEBOL
  54. Jornal A Noite, chamando a Copa Rio de 1951 de Mundial dos Campeões em várias edições ao longo de 1951, e chamando o Palmeiras de campeão mundial dos campeões na edição 13860, página 08, de 06 de agosto de 1951.
  55. Acervo do jornal Gazeta de Notícias, através do site Memória BN, da Biblioteca Nacional. O jornal chama a Copa Rio de 1951 de Mundial dos Campeões, ao longo de várias edições de 1951.
  56. a b Jornal dos Sports, chamando a Copa Rio de Mundial de Clubes ou Mundial dos Campeões em várias edições de 1951 e 1952.
  57. Acervo do Jornal Diário da Noite, chamando a Copa Rio d Mundial de Clubes ou Mundial dos  Campeões em várias edições de 1951.
  58. Jornal Diário Carioca, página 1 da edição 7076 de 24/7/1951, chamando o Palmeiras de campeão do mundo pela conquista da Copa Rio.
  59. Jornal do Brasil de 16/03/1951, página 10, chamando a Copa Rio de Torneio Mundial de Clubes Campeões.
  60. Jornal Sport Ilustrado, edições 691 (05/07/1951, página 3), 694 (18/07/1951, página 12) e 696 (19/07/1951, página 9) chamando a Copa Rio de Torneio Mundial de Clubes e o Palmeiras de campeão mundial.
  61. Acervo on-line do jornal Última Hora, chamando a Copa Rio de Mundial de Clubes e o Palmeiras de campeão mundial em várias edições de 1951 e 1952.
  62. Jornal Tribuna da Imprensa, acervo disponível no site Memória BN da Biblioteca Nacional. Chama a Copa Rio de 1951 de Mundial dos Campeões ao longo de algumas edições de 1950 e 1951.
  63. «Site Palestrinos, com reprodução de capa do jornal A Gazeta Sportiva de 1951, chamando o Palmeiras de campeão mundial em função da conquista da Copa Rio de 1951.». Consultado em 8 de dezembro de 2015. Arquivado do original em 26 de dezembro de 2013 
  64. A Copa Rio foi chamada de Torneio Mundial dos Campeões ao longo de várias edições do jornal O Estado de S. Paulo do primeiro semestre de 1951.
  65. Jornal do Brasil, 20/01/1951, pág.10
  66. A Copa Rio foi chamada de Torneio Mundial de Clubes ou Torneio Mundial dos Campeões  em vários números (edições) de 1951 do jornal O Globo Sportivo:   1-"O Vasco, favorito da crítica para obtenção do título de Campeão Mundial dos Campeões"....  número 671, 1951, página 36 ;   2 - "25 jogos entre selecionados, em 3 meses- Volta a grande atividade da Squadra Azzura- E depois, o Torneio Mundial dos Campeões, no Rio", texto do jornalista francês Albert Laurence, número 635, 1951, página 7;   3- "Torneio Mundial de Campeões: O Sporting de Lisboa, campeão de Portugal", texto de Albert Laurence, número 630 (de 1951);   4- "Candidatos à Copa Rio, o Austria, de Viena, bicampeão da Austria" (número 643);   5- "Candidatos à Copa do Rio", texto de Albert Laurence (número 628);   6- "Candidatos à Copa do Rio - Torneio Mundial de Clubes Campeões - O Hibernian da Edinburgh, Escócia" (número 632);   7- "Candidatos à Copa Rio, Torneio Mundial de Clubes Campeões: Madrid, Sevilha, Barcelona, ..." , texto de Albert Laurence (número 633);   8- edição de 651, página 17, chamando o Palmeiras de campeão mundial de clubes.   Entre outros. Acesso através do acervo on-line da Biblioteca Nacional.
  67. Jornal Mundo Esportivo (Brasil): 04/05/1951 página 5 , 13/07/1951 página 8, 27/07/1951 página 8,  31/07/1951 página 11, 24/08/1951 página 15, chamando a Copa Rio de "Torneio Mundial de clubes" ; 20/07/1951 página 8, chamando o Palmeiras de primeiro campeão mundial de clubes; 24/06/1952 página 5, dizendo que o Palmeiras será sempre citado como o primeiro campeão mundial de clubes. Acesso através do acervo on-line da Biblioteca Nacional, edições catalogadas neste acervo como edições 245, 261, 263, 265, 266, 273 e 357 do Mundo Esportivo.
  68. Acervo on-line do jornal Correio da Manhã, que chamou a Copa Rio de Mundial de Clubes ou Mundial dos Campeões ao longo de várias edições de 1951.
  69. Jornal dos Sports, edição 6698, de 28 de junho de 1951, página 5.
  70. [4]
  71. [5]
  72. Lista de competições oficiais da FIFA. Site da FIFA. Acesso em 05/11/2015
  73. https://www1.folha.uol.com.br/esporte/2019/04/infantino-diz-que-falara-com-bolsonaro-sobre-mundial-do-palmeiras.shtml
  74. https://pvc.blogosfera.uol.com.br/2017/03/30/fifa-documentou-a-ministro-que-palmeiras-ganhou-copa-do-mundo-de-clubes/
  75. http://sep-bucket-prod.s3.amazonaws.com/wp-content/uploads/2019/07/documento_567.pdf
  76. https://www.instagram.com/p/BIK_ELQBTTh/?hl=pt--
  77. Jornal O Estado de São Paulo, "Para Fifa, só Mundiais de Clubes a partir de 2000 são títulos oficiais", 27/01/2017.
  78. [O Diário de Belo Horizonte estampou como manchete principal "Fluminense campeão do mundo" após a final da competição. Exemplar disponível no FLUMEMÓRIA e citado no livro 1952 - Fluminense campeão do mundo, página 112]
  79. Jornal Última Hora, 04 de agosto de 1952, página 2, catalogado no acervo on-line da Biblioteca Nacional como edição 351 do Última Hora.
  80. Jornal O Estado de S. Paulo, de 09/06/1951, página 07.
  81. Jornal Mundo Esportivo (Brasil), 09/03/1956, página 15, dizendo que apenas a edição de 1951 da Copa Rio teve cunho de Torneio de Campeões, e que o Palmeiras se considerou campeão mundial ao vencer o Torneio. Acesso através do acervo on-line da Biblioteca Nacional, edição catalogada neste acervo como edição 745 do Mundo Esportivo.
  82. Jornal dos Sports, 21/08/1952, página 5. Edição 7050.
  83. Jornal Mundo Esportivo, página 5 da edição 459, de 12/06/1953. Na página 5 de sua edição 459 (de 12/06/1953), o jornal Mundo Esportivo compara o Torneio Rivadavia com a 2ª Copa Rio (de 1952), dizendo que o Torneio Rivadavia era "quase uma cópia" da Copa Rio, criticando a CBD pela organização e sobre alguns clubes participantes, e dizendo que, para o jornal, "só o nome da competição foi mudado, continuando tudo como dantes.
  84. Jornal do Brasil, 08/06/1953, página 10.
  85. Jornal A Última Hora (13/04/1953) Ano 1953 - Edição 00563. Segundo o jornal Última Hora (13/04/1953) o dirigente da CBD Manuel Furtado de Oliveira comentou sobre os futuros convidados ao Torneio Rivadavia: "Os clubes italianos disputam o título nacional da Itália, e, o vencedor teria que tomar parte da COPA LATINA, VINDO então, aqui, o Vice-campeão. O Sporting deverá participar MAIS UMA VEZ do certame, embora haja possibilidade de VIR o Benfica." Em 14/04/1953, o mesmo jornal publicou artigo do francês Albert Laurence tratando o Torneio Rivadavia como uma competição internacional, copiada sôbre a saudosa "Copa Rio", e batizada "Torneio Octogonal"(Taça Rivadavia Corrêa Meyer).
  86. Jornal O Estado de S. Paulo,  edições de 13/05/1953, 22/05/1953 e 27/05/1953, diz que os clubes Sporting de Lisboa, Olimpia de Assunção e Nacional de Montevidéu concordaram em participar da "Taça Rio" que seria disputada naquele ano, em junho; ou seja, chamando o Torneio Octogonal Rivadavia Correa Meyer de Taça Rio. Comentando a participação do Sporting Lisboa no Torneio Rivadavia, a edição de 14/06/1953 comentou "no ano passado, quando o certame se denominava Taça Rio".
  87. Jornal Diário Carioca, edição 7609, de 27/05/1953, página 9, reproduzindo texto de notícia da agência de notícias francesa AFP (Agence France Press), que comenta a possibilidade da participação do clube alemão Rot Weiss Essen no Torneio Rivadavia e chama o torneio de Copa Rio.
  88. Jornal Última Hora, edição 614, de 15 de junho de 1953, afirmando que o Torneio Rivadavia de 1953 era tratado no Velho Mundo (Europa) como uma edição da Copa Rio.
  89. Jornal escocês Glasgow Herald, de 22/06/1953, página 04, chamando a Copa Rivadavia de Rio de Janeiro Football.
  90. Jornal ABC de Madrid, 04/06/1953, página 19, chamando a Copa Rivadavia de "el torneo de Rio".
  91. Jornal espanhol El Mundo Deportivo, 29/04/1953, pag.03. O jornal se refere ao Torneio Octogonal Rivadavia Correa Meyer como "o torneio de futebol do Rio" ("el torneo de fútbol de Río"), sugerindo que o jornal via o torneio de 1953 e as edições da Copa Rio como sendo a mesma competição. A mesma edição do jornal comenta que o adianto da Copa Latina de 1953 em uma semana (para os dias 04 e 07 de junho) possibilitaria ao Reims francês e ao Sporting de Lisboa participar da "Copa de Rio"- ou seja, tratando a Copa Rio e o Torneio Octogonal Rivadavia Correa Meyer como sendo a mesma competição.
  92. Jornal do Brasil, 07/05/1953, página 3 do 2º caderno. Noticiou que o Reims (então campeão francês) foi questionado sobre o Torneio Octogonal e tinha dito "que irá ao Brasil participar do torneio em disputa da Taça Rivadavia Corrêa Meyer (Copa Rio),  confirmando sua participação e escrevendo (Copa Rio) logo após a menção da Taça Rivadavia.
  93. Jornal Última Hora, edição 570, de 22/04/1953. Diz que o Torneio Octogonal, que entregará a Taça Rivadavia Correa Meyer, é a Copa Rio com um nome diferente. Na edição 594 (de 21/05/1953, pág. 12), o mesmo jornal diz que o Torneio Octogonal "outrora se chamava Copa Rio". A edição de 16 de Junho de 1955 do jornal (edição catalogada no Acervo Memoria Bn como edição 1222) chama o Torneio Rivadavia de "Copa Rio de 1953".
  94. «Site do Hibernian Historical Trust. Acessado em 04/02/2013.». Consultado em 24 de janeiro de 2016. Arquivado do original em 24 de setembro de 2015 
  95. Hibernian reach the first European Cup semi-finals 1956. A SPORTING NATION. Rock'n'Roll Era: 1950-1959. BBC- British Broadcasting Corporation. Acessado em 04/02/2013.
  96. [Anuário do Esporte Ilustrado 1953 - Sobre o fim da Copa Rio].
  97. É oficial: Chapecoense é declarada campeã da Copa Sul-Americana de 2016
  98. [6]
  99. [7]
  100. [8]
  101. ABC Madrid, 24 de Maio de 1957,página 49.
  102. «Narração francesa original da partida Vasco 4 X Real Madrid 3 de 1957, referindo-se ao Vasco como a melhor equipe sul-americana e ao título europeu detido pelo Real Madrid. Site Casaca: "Há 55 anos o Vasco conquistava o I Torneio de Paris".». Consultado em 22 de janeiro de 2016. Arquivado do original em 1 de agosto de 2013 
  103. [9]
  104. Jornal O Estado de S. Paulo, 15/01/1960, pag.18
  105. a b New York Times, 24/05/1961.
  106. 1964 -37 años más tarde-, cuando se volvieron a ver las caras en ¡Marruecos! donde se puso en juego la Copa Mohamed V, un trofeo organizado por la Real Federación de Fútbol de Marruecos y avalado por la Confederación Africana de Fútbol. Fue 2-1 para los dirigidos por Deambrossi, con tantos de Menéndez y Rullo
  107. ** La Copa Mohamed V o Trofeo Mohamed V fue un torneo internacional de fútbol organizado en Casablanca (Marruecos). Fue oficializado por la “Real Federación de Fútbol de Marruecos” (FRMF) y respaldado por la Confederación Africana de Fútbol (CAF), aunque no fue oficializado ni regulado por la FIFA
  108. [10]
  109. [11]
  110. Livro Repasando La Historia, da Conmebol. Lista de campeões dos torneios oficiais da Conmebol. Página 114. Acesso em 23/12/2014.
  111. «Todas las competiciones». Consultado em 9 de março de 2012. Cópia arquivada em 9 de março de 2012 

Ligações externas

[editar | editar código-fonte]