Lista do Patrimônio Mundial na República Centro-Africana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Localização dos Sítios do Patrimônio Mundial na República Centro-Africana.

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) propôs um plano de proteção aos bens culturais do mundo, através do Comité sobre a Proteção do Património Mundial Cultural e Natural, aprovado em 1972.[1] Esta é uma lista do Patrimônio Mundial existente na República Centro-Africana, especificamente classificada pela UNESCO e elaborada de acordo com dez principais critérios cujos pontos são julgados por especialistas na área. A República Centro-Africana, país que abriga extensas reservas naturais e relevante patrimônio ecológico no continente africano, ratificou a convenção em 22 de dezembro de 1980, tornando seus locais históricos elegíveis para inclusão na lista.[2]

O sítio Parque Nacional de Manovo-Gounda St. Floris foi o primeiro local da República Centro-Africana incluído na lista do Patrimônio Mundial da UNESCO por ocasião da 12ª Sessão do Comitè do Património Mundial, realizada em Brasília (Brasil) em 1988.[3] Desde a mais recente adesão à lista, a República Centro-Africana totaliza 2 sítios classificados como Patrimônio da Humanidade, sendo ambos os locais de classificação natural. Desde o momento de sua desginação, o sítio Parque Nacional de Manovo-Gounda St. Floris foi imediatamente incluído na Lista do Patrimônio Mundial em perigo devido à atividades pecuárias ilegais dentro da área do sítio que ameaçam fortemente a fauna local e avançam sobre a área delimitada do bem, criando eventuais problemas de segurança.

Bens culturais e naturais[editar | editar código-fonte]

A República Centro-Africana conta atualmente com os seguintes lugares declarados como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO:

Black rhino with calf (male).jpeg Parque Nacional de Manovo-Gounda St. Floris
Bem natural inscrito em 1988, perigo desde 1997.
Localização: Bamingui-Bangoran
A importância deste parque se deve à riqueza de sua flora e fauna. Suas vastas savanas oferecem abrigo a uma grande variedade de mamíferos – rinocerontes negros, elefantes, leopardos, onças, cães selvagens, gazelas e búfalos de frente vermelha – e as planícies alagadas da zona norte abrigam diferentes tipos de aves aquáticas. (UNESCO/BPI)
African elephant, Dzanga Sangha, Central African Republic (18945940511).jpg Sítio Trinacional Sangha
Bem natural inscrito em 2012.
Este bem é compartilhado com: Camarões e República do Congo.
Localização: Sangha-Mbaéré
Localizado na bacia noroeste do rio Congo, no ponto de confluência das fronteiras dos Camarões, da República do Congo e da República Centro-Africana, este local abrange três parques nacionais contíguos totalizando uma área de mais de 750.000 hectares, onde as atividades humanas dificilmente alteraram a natureza. O local possui uma vasta gama de ecossistemas de florestas tropicais úmidas, além de flora e fauna muito ricas. Este último compreende espécies como o crocodilo do Nilo e um grande predador - o peixe-tigre Golias. Espécies herbáceas crescem nas clareiras da floresta, e a região de Sangha abriga uma população considerável de elefantes florestais, bem como gorilas das planícies ocidentais (em grave perigo de extinção) e chimpanzés (uma espécie também ameaçada). O ambiente do local permitiu a continuidade de processos ecológicos e evolutivos em larga escala, bem como a preservação de uma grande biodiversidade que abrange inúmeras espécies animais ameaçadas de extinção. (UNESCO/BPI)

Lista Indicativa[editar | editar código-fonte]

Em adição aos sítios inscritos na Lista do Patrimônio Mundial, os Estados-membros podem manter uma lista de sítios que pretendam nomear para a Lista de Patrimônio Mundial, sendo somente aceitas as candidaturas de locais que já constarem desta lista.[4] Desde 2006, a República Centro-Africana possui 9 locais na sua Lista Indicativa.[5]

Sítio Imagem Localização Ano Dados UNESCO Descrição
[[]] [[Ficheiro:|150px]] [[]] [[]]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências