Literacia digital

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

A expressão Literacia designa a destreza com uma determinada língua, sobretudo no que diz respeito à leitura, à escrita e à oralidade, as quais desempenham um papel preponderante na comunicação e na compreensão de ideias. Esta destreza implica um conhecimento bastante profundo do funcionamento dessa língua.

A expressão[editar | editar código-fonte]

Comparativamente, a expressão Literacia Digital pretende designar o uso eficaz da tecnologia digital, como de computadores, redes informáticas, PDA's (Personal Digital Assistant), telemóveis, entre outros. O conhecimento tanto do funcionamento destes equipamentos como dos programas informáticos que lhe estão associados pode ser preponderante para essa eficácia. Conhecer como funciona um determinado equipamento aumenta significativamente a probabilidade de o utilizar mais eficazmente.

Todavia, segundo Yoram Eshet-Alkali e Yair Amichai-Hamburger:

“A alfabetização digital requer mais do que apenas a capacidade de usar um software ou operar um dispositivo digital; inclui uma grande variedade de habilidades complexas, como cognitivas, motoras, sociológicas e emocionais que os usuários precisam ter para usar os ambientes digitais de forma eficaz. Um modelo conceitual que foi recentemente descrito pelos autores sugere que a alfabetização digital compreende cinco habilidades digitais principais: habilidades foto-visuais ("leitura" das instruções gráficas), habilidades de reprodução (utilizando reprodução digital para criar materiais novos e significativos de preexistentes), habilidades de ramificação (construção de conhecimento a partir de navegação não linear e hipertextual), habilidades de informação (avaliação da qualidade e validade da informação) e habilidades socioemocionais (entendendo as "regras" que prevalecem no ciberespaço e aplicando esse entendimento na comunicação em linha do ciberespaço)"[1].

Literacia digital e educação[editar | editar código-fonte]

Na educação, a importância que se tem dado a este tipo de literacia tem sido quase marginal. Na verdade, só agora se começa a valorizar a sua importância na construção de um saber fundamental para uma sociedade que caminha para o digital a passos largos. Porém, programas governamentais como o Plano Tecnológico para a Educação ou o e-Government (serviços públicos na Sociedade da Informação) têm tentado minorar as inúmeras deficiências que ainda se observam neste domínio.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Eshet-Alkali, Y. & Amichai-Hamburger, Y. (2004). Experiments in Digital Literacy, CyberPsychology & Behavior. 7(4),421-429.