Literatura proletária sueca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Os jovens escritores Rudolf Värnlund, Ivar Lo-Johansson e Eyvind Johnson visitam Gustav Hedenvind-Eriksson em Flysta nos arredores de Estocolmo nos finns dos anos 20

A literatura proletária sueca – em sueco proletärlitteratur – é uma corrente literária dos anos 30 na Suécia, produzida por escritores de origem trabalhadora. [1][2]
Estes escritores eram frequentemente autodidatas, e nas suas obras descreviam o dia a dia dos trabalhadores, exprimindo experiências, vivências, atitudes e valores da classe trabalhadora.[3]

Os nomes mais apontados costumam ser os de Ivar Lo-Johansson, Harry Martinson, Eyvind Johnson, Jan Fridegård e Vilhelm Moberg, assim como Gustav Hedenvind-Eriksson, Artur Lundkvist, Josef Kjellgren e Rudolf Värnlund.[3]

Escritores proletários[editar | editar código-fonte]


Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Arbetardiktning» (em sueco). Enciclopédia Nacional Sueca. Consultado em 3 de junho de 2013 
  2. Linnell, Björn. Litteraturhandboken (em sueco). Estocolmo: Forum, 1999. Capítulo: Trettiotalet.  848 p. p. 320-326. ISBN 91-37-11226-0
  3. a b Magnusson, Thomas; Peter A. Sjögren. Vad varje svensk bör veta (em sueco). Estocolmo: Albert Bonniers Förlag e Publisher Produktion AB, 2004. Capítulo: Proletärförfattare.  654 p. p. 353. ISBN 91-0-010680-1

Fontes[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]