Liturgia eucarística

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Liturgia Eucarística é o conjunto de ritos e orações que se seguem a partir do Ofertório da Missa católica. Os católicos acreditam que durante a Liturgia Eucarística o pão e o vinho oferecidos em sacrifício se tornam realmente o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo, conhecidos como Eucaristia.

Ofertório Eucarístico

Liturgia Eucarística[editar | editar código-fonte]

A Liturgia Eucarística é parte integrante da missa, sendo uma das partes mais importantes. Inicia-se com a preparação das oferendas que são o pão e o vinho que significam o fruto do trabalho do homem, estes ao serem consagrados tornam-se o corpo e o sangue de Jesus. E finda com a comunhão.

Partes integrantes da Liturgia Eucarística[editar | editar código-fonte]

"Preparação das oferendas (ofertório)": O sacerdote apresenta a Deus, o pão e o vinho, fruto do trabalho do homem. Neste gesto o sacerdote repete o mesmo gesto de Jesus na Última Ceia. “Tomando o pão e um cálice”. É o momento que Cristo purifica todas as intenções humanas de oferecer sacrifícios. Por isso, os fiéis oferecem junto ao pão e o vinho sua vida, seu trabalho, as alegrias tristezas e vitórias para serem transformadas em força para a caminhada. Desde o início, os cristãos levam com o pão e o vinho para Eucaristia, seus dons para repartir com os que têm necessidades. O costume da coleta inspira-se em Cristo que se fez pobre para nos enriquecer. ‘’’Canto’’’ Existem vários cantos que falam das ofertas como fruto do nosso trabalho, da nossa vida, alegrias, vitórias, dificuldades; porque Deus pode transformar tudo em força e vida na nossa caminhada. ‘’’Oração sobre as oferendas ’’’ nesta oração a igreja suplica a Deus que aceite as oferendas em nome de Jesus a fim de glorificar o seu nome e para o bem de todo povo. E o sacerdote pede a ação do Espírito Santo para que tudo se realize conforme a vontade de Deus.

Segundo a Instrução Redemptions Sacramentum, 52, somente o sacerdote pode pronunciar a oração eucarística, não cabendo nem ao diácono, nem ao ministro leigo.

Oração Eucarística e suas fases[editar | editar código-fonte]

1. Prefácio - vide Catecismo da Igreja Católica 1352[editar | editar código-fonte]

A igreja rende graças ao Pai, por Cristo, no Espírito Santo, por todas as suas obras, pela criação, a redenção e a santificação. Toda comunidade se junta a este louvor incessante que a Igreja celeste, os anjos e todos os santos cantam a Deus três vezes santo.

2. Epíclese (consagração) - vide Catecismo da Igreja Católica 1353[editar | editar código-fonte]

A igreja pede ao Pai que envie seu Espírito Santo sobre o pão e o vinho para que se torne, por seu poder, no corpo e sangue de Jesus Cristo, e para aqueles que tomam parte da Eucaristia sejam um só corpo e um só espírito. Na anamnese que segue, a Igreja faz memória a Paixão, da ressurreição e da volta gloriosa de Cristo Jesus; ela apresenta ao pai a oferenda de seu filho que nos reconcilia com ele.Nas intenções, a igreja exprime que a Eucaristia é celebrada em comunhão com toda a igreja do céu e da terra, dos vivos e dos falecidos e na comunhão com os pastores da Igreja, o Papa, o Bispo da diocese, seu presbíteros e seus diáconos, e todos os Bispos do mundo inteiro com suas igrejas.

3. Relato da Instituição - vide Catecismo da Igreja Católica 1353[editar | editar código-fonte]

Presença sacramental da força das palavras e da ação de Cristo, bem como o poder do Espírito Santo sob as espécies do pão e do vinho, corpo e sangue de Cristo, o sacrifício na cruz.

4. Anamnese - vide Catecismo da Igreja Católica 1354[editar | editar código-fonte]

A Igreja faz memória da Paixão, Ressurreição e volta gloriosa de Cristo Jesus. Busca-se a reconciliação com Deus, nosso Pai, a partir de seu filho Jesus.

5. Intercessões - vide Catecismo da Igreja Católica 1354[editar | editar código-fonte]

Reconhecendo a ação de Cristo pelo Espírito Santo em nós, a Igreja pede a graça de abrir-se a ela, tornando-se uma só unidade. Pede para que o papa e seus auxiliares sejam capazes de levar o Espírito Santo a todos. Pede pelos fiéis que já se foram e pede a graça de, a exemplo de Nossa Senhora e dos santos, os fiéis possam chegar ao Reino para todos preparados pelo Pai.

6. Comunhão - vide Catecismo da Igreja Católica 1355[editar | editar código-fonte]

Antes da comunhão reza-se o Pai Nosso e o sacerdote faz a fração do pão. Na comunhão os fiéis recebem “o Pão do Céu” e “o Cálice da Salvação”, o Corpo e o Sangue de Cristo, que se entregou “para vida do mundo” (Jo 6,51) Segundo São Justino “chamamos este alimento de Eucaristia , e a ninguém é permitido participar na Eucaristia se não àquele que, admitindo como verdadeiro os nossos ensinamentos e tendo sido purificado pelo batismo para a remissão dos pecados e para o novo nascimento levar uma vida como Cristo.”