Lobo-marinho-antártico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaLobo-marinho-antártico
Sealuk.jpg

Estado de conservação
Status iucn3.1 LC pt.svg
Pouco preocupante
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Subfilo: Vertebrata
Classe: Mammalia
Ordem: Carnivora
Família: Otariidae
Género: Arctocephalus
Espécie: A. gazella
Nome binomial
Arctocephalus gazella
Peters, 1875
Distribuição geográfica
Antarctic Fur Seal area.png

O lobo-marinho-antártico (Arctocephalus gazella) é uma espécie de lobo-marinho encontrado nas águas antárticas. Se reproduzem das ilhas Geórgia do Sul às Ilhas Kerguelen.

Características[editar | editar código-fonte]

Antarctic, sea lion (js) 64.jpg

Pertence a sub-ordem dos Pinípedes (palavra derivada do termos em latim pinna e pedis - que significa "pé em forma de pena"), caracterizado como otarídeo, por sua orelha externa e membros posteriores tencionados para fora do corpo. Corpo delgado, com coloração variando de negro a marrom, com tons cinza prateados. Ventre ligeiramente mais claro. Focinho fino e pontudo, orelhas visíveis. Pelagem dupla, com pêlos escuros e grossos e abaixo desses, pêlos superficiais mais curtos. Machos adultos sempre maiores que as fêmeas. Dentes pós-caninos com formato tricúspide. Os machos adultos pesam cerca de 200 kg, enquanto as fêmeas 60 kg sendo que, os machos adultos atingem 1,8m, enquanto as fêmeas, em geral, não ultrapassam 1,5m.

Distribuição[editar | editar código-fonte]

Macho nas Ilhas Kerguelen.

Ocorre ao longo de toda a costa da América do Sul, desde o Peru até o sul do Brasil. Em nosso litoral, concentra-se principalmente no Refúgio de Vida Silvestre da Ilha dos Lobos, em Praia de Torres, e na Refúgio de Vida Silvestre do Molhe Leste, no município de São José do Norte. Estima-se que sua população mundial está em torno de 2-4 milhões de indivíduos. No Brasil, a espécie ocorre principalmente nos meses de inverno e primavera, sendo os animais, em sua grande maioria, machos sub-adultos ou adultos, provavelmente oriundos do Uruguai.

Reprodução e tempo de vida[editar | editar código-fonte]

No Brasil não existem colônias reprodutivas da espécie. A reprodução ocorre em ilhas do Uruguai, Argentina, Peru e Chile. O acasalamento e os nascimentos ocorrem durante a primavera e verão, com início em outubro. Durante a estação reprodutiva, os machos podem formar e defender haréns com inúmeras fêmeas ou ainda defender áreas específicas dentro das colônias, chamadas de territórios. A fêmea dá à luz somente um filhote depois de 12 meses de gestação.O período de amamentação dura em média de 8 a 10 meses. Os lobos-marinhos podem viver de 15 a 20 anos.[carece de fontes?]

Alimentação[editar | editar código-fonte]

Alimentam-se principalmente de peixes,lulas e pinguins

Predadores[editar | editar código-fonte]

Os principais predadores são as orcas e os tubarões, porém no Brasil ainda não existem registros comprovados dessas interações.

Ameaças[editar | editar código-fonte]

Eventualmente podem ser capturados acidentalmente em redes de pesca.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre carnívoros, integrado no Projeto Mamíferos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.