Lobo de Custer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Lobo de Custer
Custer wolf.jpg
Informações
Espécie
Lobo cinzento
Morte
11 de outubro de 1920
Conhecido por
Dano significativo aos pecuaristas da área circundante de Custer, South Dakota

Lobo de Custer é o nome dado a um  lobo cinzento que foi responsável por grandes prejuízos aos pecuaristas de gado na área circundante a Custer, Dakota do Sul, entre os anos de 1911 e 1920, com os danos estimados em $25,000. O lobo foi baleado por um caçador contratado pelo governo federal, que acompanhou o animal por meses e o matou depois que o animal havia se ferido em uma armadilha.

O legado do Lobo de Custer[editar | editar código-fonte]

Responsável pela morte de cavalos, gados e bezerros no valor total estimado de $ 25.000 (aproximadamente $300.000 em 2016), o lobo enganou caçadores profissionais e caçadores de recompensa por quase nove anos, durante o qual a recompensa por sua cabeça subiu de $100 para $500, dez vezes o valor típico para um lobo normal na época.[1] O folclore local acrescentou muito a reputação do animal, alegando que não era um lobo normal mas uma "monstruosidade da natureza",[2] um híbrido entre um lobo e um leão da montanha. O lobo escapou da morte tantas vezes que os pecuaristas da área acreditavam que teriam que suportar a perda do gado até que o animal morresse de causas naturais, que matava mais do que precisava para sobreviver; em uma semana havia matado mais de 30 vacas. Um jornal até o chamou de "O mais cruel, sagaz, e bem sucedido animal fora-da-lei";[3] outro autor o chamou de "o mestre do crime do mundo animal".[1] Acredita-se que quatro anos antes do início de seu período de fúria, a fêmea e os filhotes do lobo foram mortos e que o lobo de custer não se juntou a outra matilha e que estava procurando vingança contra os humanos.[4]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b Merrit, Dixon (7 de janeiro de 1921). «World's Greatest Animal Dead» (PDF). US Department of Agriculture Division of Publications. Consultado em 26 de abril de 2017. 
  2. Stokes, C.E. (1920). «A Master Crook of the Animal World». The Golden West. 2. p. 5 
  3. Hampton, Bruce. The Great American Wolf. New York: H. Holt, 1997. Print. p.2.
  4. Hampton, Bruce (1997). The Great American Wolf. New York: Henry Holt. p. 2