Lockheed Model 14 Super Electra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou seção está a ser traduzido de «Lockheed Model 14 Super Electra» na Wikipédia em inglês (desde outubro de 2017). Ajude e colabore com a tradução.


Model 14 Super Electra
Avião
Lockheed 14H2 da Trans Canada Airlines por volta de 1938
Descrição
País de origem  Estados Unidos
Fabricante Lockheed Corporation
Quantidade produzida 354
Desenvolvido de Lockheed Model 10 Electra
Primeiro voo em 29 de julho de 1937 (82 anos)
Introduzido em outubro de 1937
Tripulação 2
Passageiros 12 a 14
Especificações (Modelo: Model 14-WF62 Super Electra)
Dimensões
Comprimento 13,51 m (44,3 ft)
Envergadura 19,96 m (65,5 ft)
Altura 3,48 m (11,4 ft)
Área das asas 51,19  (551 ft²)
Alongamento 7.8
Peso(s)
Peso vazio 4 876 kg (10 700 lb)
Peso carregado 7 099 kg (15 700 lb)
Peso máx. de decolagem 7 938 kg (17 500 lb)
Propulsão
Motor(es) 2x Wright SGR-1820-F62 Cyclone
Potência (por motor) 900 hp (671 kW)
Performance
Velocidade máxima 402 km/h (217 kn)
Velocidade de cruzeiro 346 km/h (187 kn)
Alcance (MTOW) 3 420 km (2 130 mi)
Teto máximo 7 500 m (24 600 ft)
Razão de subida 7.7 m/s

O Lockheed Model 14 Super Electra, mais comumente conhecido como Lockheed 14, foi um avião comercial fabricado pela Lockheed Corporation a partir do final da década de 1930. Sendo um desenvolvimento do Model 10 Electra, o Model 14 foi desenvolvido em versões maiores, civis e militares.

Projeto e desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

O projeto, desenvolvido por uma equipe liderada por Don Palmer, era uma versão melhorada do Model 10 Electra, com 14 assentos. A intenção era que a aeronave competisse comercialmente com o contemporâneo Douglas DC-2 e com o Boeing 247. O primeiro Model 14 voou em 29 de Julho de 1937, pilotado por Marshall Headle. Os primeiros modelos utilizavam o motor Pratt & Whitney R-1690 Hornet; mais tarde, o Wright R-1820 Cyclone 9 era oferecido como uma opção.

A Lockheed construiu um total de 114 Model 14; outros 119 foram produzidos sob licença no Império do Japão pela Companhia Aeronáutica Tachikawa sob a designação Tachikawa Type LO Transport Aircraft Thelma. Outras 121 aeronaves foram produzidas pela Companhia Aeronáutica Kawasaki sob a designação Kawasaki Type 1. A fuselagem do type 1 foi aumentada em 1,4 m (4,6 ft), permitindo a colocação de cargas de porta maiores.[1]

No Japão entre o final da década de 1930 e início da década de 1940, em comum com as maiores economias da época, as pesquisas estavam focadas em cabines pressurizadas para voos de alta altitude. De maneira similar ao Lockheed XC-35, nos Estados Unidos, A Tachikawa incorporou uma cabine pressurizada nas seções dianteira e central da fuselagem para uma aeronave produzida localmente do Lockheed Type LO Transport Aircraft. A aeronave de pesquisa resultante recebeu a longa designação Aeronave de pesquisa de alta altitude Tachikawa-Lockheed Type-B e a designação da companhia Tachikawa SS-1. A primeira conversão foi concluída em Maio de 1943, remotorizado com dois motores radiais de 1 080 hp (805 kW) Mitsubishi Ha-102, com 14 cilindros. Duas conversões foram realizadas durante um breve programa de testes de voo.

Histórico operacional[editar | editar código-fonte]

O Model 14 entrou em serviço comercial com a Northwest Airlines nos Estados Unidos em Outubro de 1937. A aeronave foi exportada para a Aer Lingus, da Irlanda, para a British Airways Ltd (1935–39) e para a KLM. O Model 14 foi a base para o desenvolvimento da aeronave de reconhecimento marítimo e bombardeiro leve Lockheed Hudson, operado pela RAF, USAAF, Marinha dos Estados Unidos e muitos outros durante a Segunda Guerra Mundial.

Primeiro ministro britânico Chamberlain ao lado do G-AFGN em Aeródromo de Heston, 1938

Em 1938, o Primeiro ministro britânico Neville Chamberlain, após assinar o Acordo de Munique, retornou ao Aeródromo de Heston a bordo de um Lockheed 14 da British Airways, e foi fotografado ao lado da aeronave (matrícula G-AFGN) mostrando à multidão o documento assinado, no qual ele posteriormente chamaria o dia de trazer "paz para o nosso tempo".

Voos recorde[editar | editar código-fonte]

Em Maio de 1938, uma equipe de aviadores da linha aérea polaca LOT, formada por Waclaw Makowski, diretor da LOT, junto com o primeiro piloto, Zbigniew Wysiekierski, o segundo piloto, Szymon Piskorz, mecânico e radionavegador, Alfons Rzeczewski, radionavegador e Jerzy Krassowski, assistente, realizaram um voo experimental dos Estados Unidos para a Polônia. Este voo foi realizado em uma das aeronaves trazidas pela LOT, fabricada pela Lockheed na Califórnia, um Lockheed Model 14H Super Electra (matrícula polonesa SP-LMK.[2]). A tripulação decolou de Burbank (Los Angeles) onde a aeronave foi produzida, e após um tour pela América do Sul, voou pelo Oceano Atlântico partindo do Brasil para o oeste da África, para ir para Varsóvia. Um pôster celebrando o voo pode ser visto na Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos.[3]

A distância percorrida foi de 15 441 mi (24 800 km). Eles voaram através das cidades de Mazatlán, Cidade do México, Guatemala, e Panamá, e então pelas cidades da América do Sul de Lima, Santiago, Buenos Aires, Rio de Janeiro e Natal. Voaram através do Atlântico Sul para Dakar, Casablanca e Roma. O último trecho de voo os levou a Varsóvia. O tempo de foi foi de 85 horas entre 13 de Maio e 5 de Junho. O voo sobre o Atlântico - de Natal para Dakar - durou 11 horas e 10 minutos (3.070 km). Este feito realizado pelos aviadores poloneses marcaram a história de comunicação em voo a nível mundial. Antes deste voo, os aviões comerciais cruzavam o Oceano Atlântico dentro de navios cargueiros). [4]

Howard Hughes voou um Super Electra (NX18973) em um voo de circum-navegação. Com mais quatro tripulantes (Harry Connor, copiloto e navegador; Tom Thurlow, navegador; Richard Stoddart, operador de rádio; e Ed Lund, engenheiro de voo), o Lockheed 14 decolou de Floyd Bennett Field em Nova Iorque no dia 10 de Julho de 1938 às 17:20. O voo, que circulou as latitudes mais ao norte, passou por Paris, Moscou, Omsk, Yakutsk, Fairbanks e Minneapolis antes de retornar à Nova Iorque no dia 14 de Julho, às 13:37. A distância total voada foi de 23.612 km, em um tempo total de 3 dias, 19 horas e 17 minutos.

Variantes[editar | editar código-fonte]

Dados obtidos em:Lockheed Aircraft since 1913[5]

Model 14
A versão básica de linha aérea do Super Electra, variantes com alterações na cabine, tipos de motores, etc.
Model 14H
20 aeronaves motorizadas com dois motores 875 hp (652 kW) Pratt & Whitney R-1690-S1E-G Hornet
Model 14H-2
32 aeronaves motorizadas com dois motores 875 hp (652 kW) R-1690-S1E2-G, das quais 12 foram remotorizadas com dois motores de 1 200 hp (895 kW) Pratt & Whitney R-1830-S1C3-G Twin Wasp, tornando-se a variante 14-08.
Model C-14H-1
Um único 14-H (c/n 1401) convertido com um teto de cabine maior e uma grande porta de carga para carregamento de cargas volumosas, convertido mais tarde para 14-H, sendo utilizado em linhas aéreas no Brasil e na Nicarágua.
Model 14-08
12 14H-2 remotorizados com motores de 1 200 hp (895 kW) R-1830-S1C3-G pela Trans Canada Airlines (TCA)
Model 14-WF62
Uma versão exclusiva de exportação motorizada com dois motores de 900 hp (671 kW) Wright SGR-1820-F62 Cyclone para a British Airways (8), para a KLM (11) e para a Aer Lingus (2).
Model 14-WG3B
Outra versão de exportação, motorizada com dois motores de 900 hp (671 kW) GR-1820-G2B. Com exceção de quatro aeronaves entregues na Romênia, todos os WG3B foram entregues para o Japão, tanto para a Tachikawa Hikoki K.K. para revenda ou diretamente para o operador Nihon Hikoki K.K. (Greater Japan Airways Co. Ltd).
Model 14-N
Duas aeronaves construídas para transporte de passageiros como 14-N, motorizados com dois motores de 1 100 hp (820 kW) GR-1820-G105.
Model 14-N2
Uma aeronave construída para Howard Hughes, para um voo ao redor do mundo, motorizado com dois motores de 1 100 hp (820 kW) GR-1820-G102 e equipado com tanques auxiliares na cabine, além de equipamentos de sobrevivência, de navegação e de comunicação.
Model 14-N3
Uma aeronave produzida com dois motores de 1 100 hp (820 kW) GR-1820-G105A
Lockheed Type LO Transport Aircraft
Designação longa dada às 30 aeronaves Model 14-WG3B entregues pela Lockheed para uso pela Nihon Koku K.K. (Greater Japan Airways Co. Ltd). A aeronave foi apelidada pelos aliados de Toby.
C-111
Três aeronaves civis Model 14 para a Austrália.
XR4O-1
Um L-14 (USN 1441, serial 1482) utilizado para transporte executivo
Tachikawa Type LO Transport Aircraft
Versão japonesa produzida sob licença do Model 14-34 pela Companhia Aeronáutica Tachikawa motorizada com dois motores de 900 hp (671 kW) Mitsubishi Ha-26-I, de 14 cilindros. As 119 aeronaves produzidas receberam o nome pelos aliados de Thelma.
Kawasaki Army Type 1 Freight Transport
Designação longa do Ki-56
Kawasaki Ki-56
Aeronave de transporte de cargas redesenhado por Takei Doi na Kawasaki Kokuki Kogoyo K.K. (Companhia Aeronáutica Kawasaki), a partir do Type LO. Atenção especial foi dada para a redução de peso, um aumento de 1,5 metros na fuselagem traseira e motorizado com dois motores de 950 hp (708 kW) Nakajima Ha-25, motores radiais de 14 cilindros, fornecendo melhor desempenho e manobrabilidade. As 121 aeronaves produzidas receberam o apelido pelos aliados de Thalia.

Operadores[editar | editar código-fonte]

A KLM operou dois Lockheed 14 na Europa durante 1938/39

Civis[editar | editar código-fonte]

 Austrália
 Bélgica
  • SABENA (na Africa)
  • John Mahieu Aviation (pós-guerra)
 Brasil
 Canadá
Índias Orientais Holandesas
  • KNILM (Royal Dutch Indies Airways)
 França
  • Air Afrique (a linha aérea antes da guerra, não relacionada à linha aérea pós-guerra de mesmo nome)
  • Air France
Honduras
 Irlanda
 Japão
 Países Baixos
  • KLM (a maior parte operando no Caribe)
 Polónia
Portugal Portugal
Roménia
  • LARES (Liniile Aeriene Române Exploatate cu Statul)
Trinidad e Tobago
 Reino Unido
  • British Airways Ltd. (não deve ser confundida com a linha aérea moderna, de mesmo nome)
  • BOAC (British Overseas Airways Corporation), na qual a which British Airways Ltd. foi fundida
 Estados Unidos
 Venezuela

Militares[editar | editar código-fonte]

Canadian Red Ensign (1921–1957).svg Canadá
Flag of Japan.svg Império do Japão
Flag of South Africa (1928–1994).svg África do Sul
 Estados Unidos

Acidentes e incidentes[editar | editar código-fonte]

  • 10 de Janeiro de 1938, Voo 2 da Northwest Airlines, um L14H, se acidentou próximo a Bozeman, Montana, devido a falha estrutural causada por uma falha no projeto, matando todas as 10 pessoas a bordo.
  • 16 de Maio de 1938, um L14H2 da Northwest Airlines (NC17394) se acidentou no Pico Stroh (próximo a Saugus, Califórnia) em um voo de entrega da aeronave, matando as 9 pessoas a bordo.[6]
  • 8 de Julho de 1938, Voo 4 da Northwest Airlines Flight, um L14H (NC17383), estolou e se acidentou na decolagem a partir do Aeroporto Municipal de Billings, matando uma de dez pessoas a bordo.[7]
  • 22 de Julho de 1938, um L14H da LOT Polish Airlines (SP-BNG) se acidentou próximo a Stulpicani, Romania, matando todas as 14 pessoas a bordo; a causa era desconhecida, mas a aeronave pode ter sido atingida por raios.[8]
  • 18 de Novembro de 1938, um L14H2 da Trans-Canada Air Lines (CF-TCL) se acidentou logo após a decolagem do Aeroporto de Regina, matando ambos os piltos.[9]
  • 22 de Novembro de 1938, um L14-WF62 da British Airways Ltd. (G-AFGO) se acidentou em Walton Bay, Somerset, durante um voo de teste, matando ambos os comandantes E. G. Robinson e Robert P. J. Leborgne.[10]
  • 9 de Dezembro de 1938, um L14-WF62 da KLM (PH-APE, Ekster) se acidentou na decolagem a partir do Aeroporto Municipal de Schiphol devido a falha em um motor odurante um voo de treinamento, matando as quatro pessoas a bordo.[11]
  • 13 de Janeiro de 1939, Voo 1 da Northwest Airlines, um L14H, se acidentou na decolagem do Aeroporto Municipal de Miles City após fogo na cabine de comando, matando as quatro pessoas a bordo.
  • 18 de Janeiro de 1939, um L14H da Guinea Airways (VH-ABI, Koranga) se acidentou na decolagem do Aeroporto de Tindal Airport após perder altitude, matando as quatro pessoas a bordo.[12]
  • 17 de Maio de 1939, um L14-WG3B da Imperial Japanese Airways se acidentou na decolagem do Aeroporto de Fukuoka após a aeronave atingir uma cerca, matando seis pessoas de um total de onze a bordo.[13]
  • 23 de Dezembro de 1939, um L14-WF62 da British Airways, Ltd. (G-AFYU) amerrisou no Mar Mediterrâneio a 300 mi de Alexandria, Egito, matando cinco das 11 pessoas a bordo.[14]

Veja também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. «Kawasaki Type 1.» (em japonês). Consultado em 17 de Outubro de 2017 
  2. Coates, Ed. «SP-LMK Lockheed 14-H». Consultado em 17 de Outubro de 2017 
  3. «LOT Poster Historic Flight». Consultado em 17 de Outubro de 2017 
  4. «Aviation en Pologne: (1934-1938)». Consultado em 17 de Outubro de 2017. Arquivado do original em 20 de Fevereiro de 2012 
  5. Francillon 1987
  6. Descrição do acidente (em inglês) Aviation Safety Network (aviation-safety.net)
  7. Descrição do acidente (em inglês) Aviation Safety Network (aviation-safety.net)
  8. Descrição do acidente (em inglês) Aviation Safety Network (aviation-safety.net)
  9. Descrição do acidente (em inglês) Aviation Safety Network (aviation-safety.net)
  10. Descrição do acidente (em inglês) Aviation Safety Network (aviation-safety.net)
  11. Descrição do acidente (em inglês) Aviation Safety Network (aviation-safety.net)
  12. Descrição do acidente (em inglês) Aviation Safety Network (aviation-safety.net)
  13. Descrição do acidente (em inglês) Aviation Safety Network (aviation-safety.net)
  14. Descrição do acidente (em inglês) Aviation Safety Network (aviation-safety.net)

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Francillon, Rene J. (1987). Lockheed Aircraft since 1913 (em inglês). Londres: Putnam Aeronautical Books. ISBN 0-8-7021-897-2 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Lockheed Model 14 Super Electra