Este é um artigo bom. Clique aqui para mais informações.

Lockheed Senior Prom

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Senior Prom
Veículo aéreo não tripulado
Descrição
Tipo / Missão VANT furtivo experimental
País de origem  Estados Unidos
Fabricante Lockheed Corporation
Quantidade produzida 6
Desenvolvido de Lockheed Have Blue
Primeiro voo em outubro de 1978 (40 anos)
Aposentado em 1982

O Lockheed Senior Prom foi um Projeto Negro secreto conduzido pela Força Aérea dos Estados Unidos, em conjunto com a Skunk Works da Lockheed Corporation, para o desenvolvimento e testes de um míssil de cruzeiro utilizando tecnologia furtiva. Baseado no demonstrador de tecnologia da Lockheed, o Have Blue, seis veículos Senior Prom provaram seu sucesso em testes conduzidos na Área 51 no final da década de 1970; apesar disso, a aeronave não entrou em produção, encerrando o programa no início da década de 1980.

Projeto e desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Após o sucesso do programa de testes da aeronave demonstradora de tecnologia furtiva Lockheed Have Blue, a Força Aérea dos Estados Unidos firmou um contrato com a divisão de Desenvolvimento de Projetos avançados da Lockheed (em inglês: Lockheed Advanced Development Projects ) — a "Skunk Works" — para o desenvolvimento de um VANT, com a intenção de ser um protótipo de um míssil de cruzeiro que teria o desenho "lapidado" do Have Blue afim de reduzir a RCS do míssil ao defletir ondas eletromagnéticas de transmissores de radar para longe de sua fonte, ao invés de enviar de volta o sinal para a antena do radar.[1]

O programa iniciou em 1977, com um orçamento estimado de USD $24.000.000;[2] o projeto da aeronave era baseado no Have Blue, mas em menor escala.[3] A aeronave seria lançada a partir do Lockheed DC-130 Hercules, incluindo em sua configuração original winglets e uma aleta ventral; a aeronave foi posteriormente modificada para incluir uma cauda em V e uma asa mais delgada, parecido com o caça furtivo F-117 Nighthawk.[3] Foram aplicados materiais que absorvem ondas de radar à estrutura da aeronave como parte de sua configuração furtiva;[4] além do desenho "lapidado", similar ao Have Blue e o F-117, o perfil da asa parecido com um "dente de serra" trouxe similaridades em relação ao bombardeiro furtivo B-2.[5]

O Senior Prom foi desenhado com o fim de ser descartável; entretanto, foi modificado para ser reutilizado antes que os testes começassem, com um paraquedas balístico e um bolsão inflável para o pouso localizado sob a fuselagem.[4] Acredita-se que a aeronave foi equipada com asa dobrável para facilitar o seu transporte e lançamento,[5] e foi motorizado com um único motor turbofan, com a entrada e saída de ar sendo configuradas de tal maneira que sua estrutura as protegeria do solo, reduzindo a assinatura radar e infravermelha da aeronave.[1]

Testes e cancelamento[editar | editar código-fonte]

O Senior Prom era baseado no demonstrador de tecnologia Have Blue, ilustrado nesta foto

Os testes em voo do Senior Prom iniciaram em Outubro de 1978;[3] um total de seis aeronaves foram construídas, completando um total de quatorze voos durante o programa de testes.[4] A aeronave mostrou-se capaz de voar a uma distância de 500 pés (150 m) de um radar SPS-13 sem ser detectada.[1][4] A maior parte dos testes ocorreram na Área 51, no Nevada, com o DC-130 Hercules sendo a aeronave lançadora;[4] existem também relatos de que alguns testes foram realizados na Base Aérea de Edwards na Califórnia, sendo o Boeing B-52 Stratofortress a aeronave de lançamento,[2] enquanto que o "Hangar 18" no complexo de testes de Groom Lake foi reportadamente construído para acomodar uma combinação de um B-52 e o Senior Prom.[6]

Apesar do sucesso do programa de testes, o Senior Prom foi cancelado em 1982; uma das razões para o cancelamento do projeto era de que o tamanho e a configuração do Senior Prom o fazia incapaz de ser carregado em baías de bombas internas, como no bombardeiro B-1;[7] o AGM-129 ACM, um projeto que competia com o Senior Prom, tinha uma estrutura mais delgada e com asas retráteis, o que fez ser capaz de ser carregado em baías internas; este iniciou seus testes de voo logo após o encerramento do programa do Senior Prom.[5]

Apesar do cancelamento do programa em 1982, o Senior Prom permaneceu como secreto até ao século XXI.[5] Existem rumores de que uma pequena quantidade de aeronaves Senior Prom, configurados para reconhecimento aéreo, foram adquiridas pela Força Aérea dos Estados Unidos e utilizadas em missões secretas sobre o Leste Europeu durante a Guerra Fria, sobre o Iraque durante a Guerra do Golfo e sobre a Coreia do Norte; contudo, não há confirmação oficial destas informações.[8]

Referências

  1. a b c Parsch 2005
  2. a b Richardson 2001, p. 65.
  3. a b c Merlin 2011, p. 108.
  4. a b c d e Merlin 2011, p. 109.
  5. a b c d Fulghum, David A.; Michael A. Dornheim; William B. Scott (12 de Fevereiro de 2005). «Pictures Give Insights Into Stealth Projects» (em inglês) 
  6. Peebles 1999, p. 289.
  7. Sweetman 2004, pp. 73-74.
  8. Smith, Charles R. (11 de Fevereiro de 2005). «Weapons of the Future Are Here» (em inglês). West Palm Beach, Florida, Estados Unidos: Newsmax Media. Arquivado do original em 11 de Setembro de 2012 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Merlin, Peter W. (2011). Area 51. Col: Images of America. Charleston, Carolina do Sul, Estados Unidos: Arcadia Publishing. ISBN 978-0-7385-7620-6 
  • Parsch, Andreas (2005). «Senior Prom» (em inglês). Designation-Systems.net 
  • Peebles, Curtis (1999). Dark Eagles: A History of Top-Secret U.S. Aircraft revisada ed. Novato, Califórnia, Estados Unidos: Presidio Press. ISBN 0-89141-535-1 
  • Richardson, Doug (2001). Stealth Warplanes. Osceola, Wisconsin, Estados Unidos: Motorbooks International. ISBN 0-7603-1051-3 
  • Sweetman, Bill (2004). Lockheed Stealth. St. Paul, Minnesota, Estados Unidos: Zenith Press. ISBN 0-7603-1940-5