Loira do Bonfim

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde abril de 2017)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.

A Loira do Bonfim é uma personagem mitológica da cidade de Belo Horizonte.

Ficou conhecida na cidade a lenda de uma mulher loira que conquistava os homens no centro e os convencia a ir à sua casa, no bairro do Bonfim. Ao chegar lá, ela se dirigia ao cemitério e dizia que ali era sua morada.

Características da Lenda[editar | editar código-fonte]

Eis algumas características dessa lenda:

  • A loira era na época uma noiva que foi deixada no altar pelo seu noivo no dia do casamento e acabou se suicidando devido a tanta desilusão e vergonha por tudo que ela e sua família tiveram que passar. Desde então, relatos dão conta que ela sempre aparecia para homens na madrugada Belo Horizontina no bairro Bonfim, onde até hoje existe o cemitério da qual foi sepultada.
  • A loira se dizia dona do cemitério no Bonfim e o guardava com unhas e dentes, pois, ela em vida, era muito possessiva e fascinada por bens materiais.
  • A loira é apenas um vulto que aparece aos homens das regiões boêmias próximas ao Bonfim.
  • A loira não seduz os homens, apenas chama um táxi para levá-la ao Bonfim, e desaparece dentro do cemitério.
  • A loira se dirigiu a uma delegacia, no bairro do Bonfim onde pediu a um policial que a acompanhasse a sua casa. Ao chegar, sua casa seria o próprio cemitério.
  • A loira do Bonfim seria na verdade uma travesti, cujo pai trabalhava no cemitério do Bonfim conforme comentavam entre si os coveiros e marmoristas.
  • A loira do Bonfim foi uma lenda criada por radialista da época para criar um clima de medo e sensacionalismo.