Loivo Ivan Johann

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Loivo
Informações pessoais
Nome completo Loivo Ivan Johann
Data de nasc. 24 de janeiro de 1945 (74 anos)
Local de nasc. Brochier, RS, Brasil
Informações profissionais
Posição Ponta-esquerda
Clubes de juventude
1963-1965 Brasil Floriano
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1965-1967
1967-1975
1976
1977
1978-1979
Brasil Floriano
Brasil Grêmio
Brasil Inter de Lages
Brasil Atlético de Carazinho
Brasil Novo Hamburgo

00427 000(74)



Loivo (Brochier, 24 de janeiro de 1945) é um ex-futebolista brasileiro, que atuou como ponta-esquerda do Grêmio nas décadas de 1960 e 1970.[1]

Início da carreira[editar | editar código-fonte]

Começou sua carreira nos juvenis do Floriano (atual Novo Hamburgo), em 1963. No ano de 1965, estava entre os profissionais.

Grêmio[editar | editar código-fonte]

Em 1967, transferiu-se para o Grêmio.[2] No ano seguinte, conquistou a Copa Río de La Plata, que tinha a participação dos campeões nacionais da Argentina e do Uruguai. O título veio com uma vitória por 2 x 1 contra o Nacional do Uruguai.[3]

Foi campeão da Taça do Atlântico, torneio disputado no ano de 1971 pelos três maiores clubes tricolores da América do Sul na época: River Plate, Grêmio e Nacional. O Grêmio iniciou a disputa vencendo a equipe do Nacional por 2 x 1 no dia 8 de maio. O Nacional perdeu para o River Plate, que foi a final contra a equipe gaúcha. No jogo final, em 16 de maio, o Grêmio venceu por 2 x 1, com gols de Loivo e Scotta e sagrou-se campeão.[4]

Jogou cinco campeonatos brasileiros (1971 a 1975), todos pelo Grêmio, com um total de 117 jogos e 14 gols. Foram 54 vitórias e 35 empates.[5]

Fim da carreira[editar | editar código-fonte]

Em 1978, retornou para Novo Hamburgo depois de passar pelo Inter de Lages, de Santa Catarina, e pelo Atlético de Carazinho. Encerrou sua carreira pelo Novo Hamburgo em 1979.

Títulos e feitos[editar | editar código-fonte]

- Copa Rio de La Plata (1968)

- Campeonato Gaúcho de Futebol (1968)

- Taça do Atlântico (1971)

- Taça Cidade de Salvador (1972)

É o sexto maior artilheiro do Grêmio, com 74 gols, mesmo número de Renato Gaúcho.

Fora dos gramados[editar | editar código-fonte]

Desde que se aposentou dos gramados, trabalha na empresa de alimentos da família, Johann Alimentos.[2] Quando seu irmão estava na presidência do Novo Hamburgo, foi vice de futebol.[2] Em 2010, foi tema de um documentário feito por alunos de jornalismo do IPA.[6]

Ainda costuma jogar na ponta-esquerda do Sandalhão, time amador que existe há vários anos. Um dos gols mais bonitos da sua carreira foi pelo Grêmio contra o Flamengo, no Maracanã, em 1973.[1]

Referências

  1. a b «Loivo - Que fim levou? - Terceiro Tempo». Terceiro Tempo. Consultado em 11 de fevereiro de 2017 
  2. a b c «Luiz Carlos Reche». www.correiodopovo.com.br. Correio do Povo. Consultado em 11 de fevereiro de 2017 
  3. «Campeão da Copa Río de La Plata 1968». Portal Oficial do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense. Portal Oficial do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense. Consultado em 11 de fevereiro de 2017 
  4. «Taça do Atlântico Final 1971». Portal Oficial do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense. Consultado em 11 de fevereiro de 2017 
  5. «Jogos de futebol - loivo». futpedia.globo.com. Futpédia. Consultado em 11 de fevereiro de 2017 
  6. «Flecha e Loivo são destaque em documentário». Portal Oficial do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense. Consultado em 11 de fevereiro de 2017