Lojas Hermes Macedo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Lojas Hermes Macedo
Empresa de capital fechado
Slogan Do Rio Grande ao Grande Rio
Indústria Varejista
Fundação 1932
Fundador(es) Hermes Macedo
Encerramento 1997 (65 anos)
Sede Curitiba - Paraná
Pessoas-chave Hermes Farias de Macedo
Produtos Loja de departamentos

As Lojas Hermes Macedo S/A, ou simplesmente Lojas HM (1932 - 1997), foi um dos maiores grupos empresariais do comércio varejista do estado do Paraná e do Brasil, com sede no município de Curitiba.[1][2]

Início[editar | editar código-fonte]

Em 1932, aos dezoito anos de idade, o empresário Hermes Farias de Macedo criou em Curitiba a Agência Macedo, um estabelecimento comercial especializado em autopeças usadas para caminhões. Numa época em que era difícil encontrar estes materiais de reposição, Hermes e seu irmão Astrogildo anunciavam nos jornais o interesse na compra de veículos de segunda mão, que posteriormente desmontavam e revendiam em partes.

Com o sucesso do negócio, passaram a importar peças novas dos Estados Unidos, um feito inédito.

No ano de 1936, a segunda loja é aberta no centro de Curitiba, num ponto considerado estratégico. Ali foi iniciada a venda de bicicletas francesas e eletrodomésticos, que começavam a chegar ao Brasil.

Em 1942, a terceira unidade iniciou suas atividades no município de Ponta Grossa.

Em 1944, foi adquirido um grande prédio na capital paranaense, que pertencia às Indústrias Matarazzo, para instalar sua maior filial, onde aproveitaram o grande espaço para diversificar ainda mais sua linha de vendas. Comentava-se que muitos paranaenses tomaram conhecimento da existência de certos produtos por meio das Lojas Hermes Macedo.[3]

Expansão[editar | editar código-fonte]

Até o final da década de 1940, novas filiais foram abertas nos municípios de Londrina e Maringá. Nos anos 1950 decidiram expandir suas atividades para os outros estados do Sul. No ano de 1957, partiram para São Paulo e inauguraram uma loja de dez andares na Avenida São João, então uma das mais importante ruas comerciais da capital paulista, planejando concorrer com grandes grupos, como Mappin e Sears.

A partir de então centram foco em lojas de departamentos, oferecendo confecções, presentes, eletrodomésticos, artigos de cama, mesa e banho, náutica, som, materiais para pesca, pneus e outros.

Enquanto investia em novos formatos, a atividade original, ligada à revenda de peças, acessórios e prestação de serviços automotivos era aos poucos direcionada para unidades específicas. Com o passar dos anos foram criadas concessionárias de veículos das marcas Chevrolet e Ford, como também os Centros Automotivos HM, cujo slogan era Pneu carecou, HM trocou.[4]

Na década de 60, o processo de expansão foi acelerado com a abertura de unidades nos principais municípios do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo e Rio de Janeiro, chegando a 31 lojas. Nesse período o grupo adotou o bordão "Do Rio Grande ao Grande Rio."[5]

Consolidação[editar | editar código-fonte]

As Lojas Hermes Macedo contavam com grande estrutura e áreas amplas, sempre bem cuidadas. Suas fachadas eram alvo de constante renovação. Uma das maiores atrações em épocas de Natal, era a decoração das unidades, que não se limitava às vitrines, mas também ruas e avenidas próximas, com desfiles alusivos e a chegada do Papai Noel.

O marketing era agressivo, com patrocínios e propaganda nas emissoras de TV e rádio, como também anúncios de página inteira nos principais jornais.

Várias vezes ao ano sorteava entre seus clientes inúmeros brindes, como automóveis novos.[6]

Auge[editar | editar código-fonte]

Nos anos 1980, a Hermes Macedo comemorou seu cinquentenário, entregando aos funcionários mais antigos uma medalha alusiva, na qual foi estampada em alto relevo a marca de 180 lojas distribuídas pelos estados de do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo e Rio de Janeiro.

O desenvolvimento dos negócios transformou um pequeno comércio de acessórios de automóveis em um grande conglomerado denominado Grupo HM, formado pela Alfa Serviços de Crédito e Informática, Mercúrio Propaganda, HM Náutica, HM Financeira (mais tarde transformada em Banco HM), concessionárias de automóveis e de motocicletas, Auto Center HM e outras empresas de apoio.

Nessa década as Lojas Hermes Macedo passaram a liderar o varejo brasileiro, deixando para trás concorrentes como Casas Pernambucanas, Mesbla, Lojas Muricy e Lojas Americanas. A Revista Exame a situou em 33° lugar no ranking das 500 maiores empresas privadas nacionais por vendas, no início da década de 1980.[7]

Em 1988, foi inaugurada a Loja Garcez, num antigo e suntuoso edifício no centro de Curitiba, que foi reformado e configurado para sediar a segunda rede do grupo, direcionada ao público das classes A e B.[8]

Declínio e falência[editar | editar código-fonte]

No inicio da década de 1990, uma série de fatores prejudicou os negócios. Havia uma grande crise, o Plano Collor derrubou as vendas, além disso, a morte da esposa de Hermes Farias de Macedo acirrou disputas familiares e colocou a empresa de 285 lojas em declínio.

Somando-se à isso, concorrentes como C&A, Casas Bahia e Riachuelo ajudaram a complicar a situação financeira, que culminou num pedido de concordata, em 1995. Nesse mesmo ano, já com seu fundador falecido,[9] um acordo foi alinhavado com as Lojas Colombo, no qual a Hermes Macedo cedia seu estoque de mercadorias, permitindo que utilizasse as suas instalações e o corpo de funcionários em troca de comissão. No entanto essas atitudes não surtiram efeitos e em 1997 foi decretada sua falência, encerrando-se ali uma história de 65 anos.[10][11]

Referências

  1. Rios, Cristina (13 de julho de 2014). «Leilões movimentarão R$ 300 milhões». Gazeta do Povo. Consultado em 30 de maio de 2018 
  2. «Uso — Empresas CNPJ». www.empresascnpj.com. Consultado em 16 de agosto de 2016 
  3. Bertoldi, Andréa (13 de fevereiro de 2008). «Lojas tradicionais ficam no coração curitibano». Folha de Londrina. Consultado em 30 de maio de 2018 
  4. «Pneu carecou HM trocou: uma trajetória do varejo no Paraná — Página Inicial» (PDF). www.ufrgs.br. Consultado em 30 de maio de 2018 
  5. «Memória » lojas». wp.clicrbs.com.br. Consultado em 30 de maio de 2018 
  6. «Como era mágico o Natal da Hermes Macedo | Haus». Haus. 20 de dezembro de 2016 
  7. Aramis Millarch - 22 de outubro de 1981
  8. Grupo Marketing de Varejo - 2009
  9. «Hermes Farias de Macedo, empresário. Fundador do grupo que leva seu nome.». Consultado em 7 de julho de 2015 
  10. Morales, Pedro Paulo (3 de junho de 2013). «Lojas Hermes Macedo - as gigantes do varejo no Paraná.». Falando de Gestão. Consultado em 30 de maio de 2018 
  11. Vicente, Marcos Xavier (24 de outubro de 2017). «10 marcas curitibanas que acabaram». Gazeta do Povo. Consultado em 30 de maio de 2018