London School of Economics

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura London Stock Exchange (LSE), veja Bolsa de Valores de Londres.
London School of Economics and Political Science (LSE)
Brasão da LSE
Lema Rerum cognoscere causas ("Conhecer a causa das coisas")
Fundação 1895
Tipo de instituição Pública
Localização Londres,  Reino Unido
Docentes 1,303
Presidente Craig Calhoun
Total de estudantes 7.518, sendo 3.615 de pós-graduação[1]
Campus Urbano
Página oficial http://www.lse.ac.uk
London school of economics logo with name.svg

A London School of Economics and Political Science (em português: Escola de Economia e Ciência Política de Londres), frequentemente chamada apenas de London School of Economics ou LSE, é uma universidade pública britânica e um dos mais prestigiosos centros de pesquisa acadêmica do mundo. Foi fundada em 1895 por membros da Fabian Society - Sidney Webb, Beatrice Webb, Graham Wallas e George Bernard Shaw. A edição de 2015 do QS World Rankings indica que a escola está entre as dez melhores do mundo em 11 das 12 áreas avaliadas[8]. Em 2013, 2014 e 2015 o mesmo ranking colocou a LSE como a segunda melhor do globo no campo das ciências sociais (atrás de Harvard) e quarta geral em termos de reputação entre empregadores. A universidade possui treze departamentos entre os 10 melhores do mundo, ocupando a terceira posição nos rankings em Ciência Política, Geografia, Comunicação & Estudos Midiáticos e em Política Social. Alguns dos mais importantes pensadores do mundo do campo da política, direito, economia, filosofia, negócios, mídia e literatura passaram pela escola, como George Bernard Shaw, Karl Popper, Anthony Giddens, Friedrich Hayek e John Hicks. A LSE já teve entre alunos e professores 16 prêmios Nobel, ao menos 37 líderes mundiais,6 vencedores do Pulitzer Prize e diversos membros da British Academy.

História[editar | editar código-fonte]

A LSE juntou-se à Universidade de Londres em 1900. Seus primeiros diplomas foram concedidos em 1902. Atualmente, a LSE também é membro do Russell Group, do 1994 Group, da Association of Professional Schools of International Affairs (APSIA) e da European University Association.

A LSE está localizada em uma área central histórica de Londres conhecida como Clare Market. Tem cerca de 9,500 alunos em tempo integral, procedentes de 140 países, e aproximadamente 3.000 funcionários.[2] e uma receita total de £263.2 milhões em 2012/13, dos quais £23.7 milhões foram gastos em pesquisas.[3] A escola é organizada em 24 departamentos acadêmicos e 19 centros de pesquisa.[4][5] A biblioteca da LSE, a British Library of Political and Economic Science, tem mais de quatro milhões de volumes, 60.000 volumes de revistas científicas e 29.000 e-books, e é tida como a maior em sua área de especialidade.[6]

A LSE é considerada a principal universidade especializada nas ciências sociais do mundo. A qualidade do trabalho desenvolvido pela LSE é reconhecida por diversas métricas. O Research Excellence Framework, iniciativa do governo britânico concluída em 2014 para avaliar instituições acadêmicas, colocou a LSE como a universidade com a maior proporção de "world-leading research" no Reino Unido[7]. Seu prestígio é evidenciado também nos principais rankings mundiais de universidades realizados por empresas privadas. [8][9][10]

A edição de 2015 do QS World Rankings indica que a escola está entre as dez melhores do mundo em 11 das 12 áreas avaliadas[8]. Em 2013, 2014 e 2015 o mesmo ranking colocou a LSE como a segunda melhor do globo no campo das ciências sociais (atrás de Harvard) e quarta geral em termos de reputação entre empregadores. Já a última edição da Times Higher Education considera a LSE como a décima primeira melhor universidade no ramo das ciências sociais, a vigésima segunda em relação a reputação global e a trigésima quarta no ranking universal.[11]

No Reino Unido, os principais rankings a colocam normalmente com a terceira melhor, atrás apenas de Oxford e Cambridge.[10]

Na avaliação mais recente do QS World Rankings, realizada em 2017, a LSE consta como a trigésima quinta melhor universidade do mundo no ranking global e a segunda melhor no ranking especializado das Ciências Sociais e Administração, atrás apenas da Universidade de Harvard. A universidade possui treze departamentos entre os 10 melhores do mundo, ocupando a terceira posição nos rankings em Ciência Política, Geografia, Comunicação & Estudos Midiáticos e em Política Social & Administração; a quarta posição em Antropologia e em Sociologia; a quinta posição em Economia, Contabilidade & Finanças e em Sociologia do Desenvolvimento; a sétima posição em História e em Direito; e a nona posição em Filosofia e em Negócios & Estudos Administrativos.[12]

A universidade já emitiu um comunicado em 2012 denunciando um suposto favorecimento nos rankings globais de grandes universidades que oferecem maior diversidade de departamentos, especificamente nas áreas de Ciências Naturais, Tecnologia, Engenharia e Matemática, em detrimento de universidade menores e especializadas em outras áreas, como é o caso da LSE. Tal fato justificaria a dificuldade da universidade de se posicionar competitivamente em rankings internacionais não-especializados.[13]

Alguns dos mais importantes pensadores do mundo do campo do direito, economia, filosofia, negócios, mídia e literatura passaram pela escola, como George Bernard Shaw, Karl Popper, Anthony Giddens, Friedrich Hayek e John Hicks.

A LSE já teve entre alunos e professores 16 prêmios Nobel,[14] ao menos 37 líderes mundiais,[15] 6 vencedores do Pulitzer Prize e diversos membros da British Academy.

Referências

  1. «Table 0b - All students FTE by institution and level of study 2004/05» (Microsoft Excel spreadsheet). Higher Education Statistics Agency. Consultado em 1 de junho de 2008 
  2. «About LSE - Key facts». lse.ac.uk. Consultado em 19 de dezembro de 2013 
  3. «LSE financial statements». lse.ac.uk. Consultado em 19 de dezembro de 2013 
  4. «Academic departments». lse.ac.uk. Consultado em 19 de dezembro de 2013 
  5. «Research centres». lse.ac.uk. Consultado em 19 de dezembro de 2013 
  6. «LSE Library annual report 2012/13». lse.ac.uk. Consultado em 19 de dezembro de 2013 
  7. London overtaking Oxbridge domination. Por Sean Coughlan. BBC, 18 de dezembro de 2014.
  8. a b Top Universities. London School of Economics and Political Science (LSE) Postgraduate
  9. The US-UK Fulbright Commission. Fulbright Partners. London School of Economics & Political Science (LSE)
  10. a b University guide 2016: London School of Economics and Political Science
  11. Times Higher Education World University Rankings 2014-2015
  12. «London School of Economics and Political Science (LSE)». Top Universities. 16 de julho de 2015 
  13. «LSE in university league tables - League tables - About LSE - Home». 4 de março de 2016. Consultado em 16 de agosto de 2017 
  14. «Nobel Prize Winners, LSE». London School of Economics. Consultado em 7 de novembro de 2013 
  15. «World leaders- LSE facts». .lse.ac.uk. 6 de outubro de 2009. Consultado em 26 de abril de 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre London School of Economics