Looke

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Looke
Atividade Aluguel, vídeo sob demanda
Fundação 28 de abril de 2015
Fundador(es) Marcelo Spinassé, Encripta[1]
Área(s) servida(s) Brasil
Proprietário(s) Marcelo Spinassé, Encripta[1]
Pessoas-chave Marcelo Spinassé, Cecília Refina Queiroz[1]
Produtos vídeo, streaming
Faturamento cerca de R$ 20 milhões (2020)[1]
Website oficial www.looke.com.br

Looke é uma plataforma brasileira de distribuição digital de vídeos via streaming lançada em abril de 2015. O serviço de assinatura permite o streaming de filmes e séries sob demanda, mas certos filmes e séries só estão disponíveis para locação ou compra.[2][3] O serviço disponibiliza séries produzidas pela Rede Globo em seu serviço de assinatura.[4]

História[editar | editar código-fonte]

Em 2012, foi fundada a Encripta, que oferece licença de conteúdo para outras empresas. A Encripta planejava lançar em 2013 uma plataforma de streaming em parceria com um cliente, mas, no ano seguinte, quando tudo já estava desenvolvido, o cliente cancelou. No mesmo período, a Netflix começou a produzir mais conteúdos originais e reduziu a compra de produtos da Encripta. Com isso, Marcelo Spinassé e a Encripta lançaram o Looke. A plataforma faz parte de quatro frentes de negócio do grupo[1]

Arcevo

A plataforma foi lançada oficialmente em 28 de abril de 2015 com cerca de 12 mil produtos.[5][6] Em novembro do mesmo ano a empresa comprou a NetMovies que oferecia produto similar ao Netflix americano, com delivery de filmes com entrega de DVD's na casa do cliente e streaming online. O serviço caiu em declínio com a ascensão da Netflix no país, dentre outros.[7] Comentando sobre o arcevo de filmes do Looke, Marcelo Spinassé disse que, devido ao orçamento, o catálogo é diferente da Netflix e da Amazon. "O que fazemos é buscar o melhor conteúdo possível que não tenha chegado ou interessado a essas empresas (...) Quando um conteúdo chega para a Encripta, o primeiro que o recebe como possibilidade é a Netflix. Se ela falar não, oferto para outros. Se não conseguir vender, vai para o Looke."[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f «Esta plataforma de streaming quer exibir o que Netflix e Prime Video não têm». Revista Pequenas Empresas Grandes Negócios. Rede Globo. 9 de setembro de 2020. Consultado em 17 de setembro de 2020 
  2. «Looke: 'Netflix brasileiro' é mais barato e tem streaming de vídeos». TechTudo 
  3. «Looke: conheça o novo serviço de streaming e aluguel de filmes do Brasil». Tecmundo. 28 de abril de 2015 
  4. Giacomelli, Felipe (1 de Fevereiro de 2017). «'Multitela': Concorrente da Netflix, Looke libera 70 atrações da Globo». Folha de São Paulo. Consultado em 17 de Setembro de 2017 
  5. «Looke: conheça o novo serviço de streaming e aluguel de filmes do Brasil». TecMundo. 28 de abril de 2015. Consultado em 20 de setembro de 2017 
  6. «Brasileira Looke aposta em segmentos em que Netflix falha». EXAME. 27 de abril de 2016. Consultado em 20 de setembro de 2017 
  7. «NetMovies é adquirido por serviço brasileiro que concorre com Netflix». Gizmodo Brasil. 2 de maio de 2015. Consultado em 20 de setembro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Internet é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.