Lopo Cancela de Abreu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde maio de 2014).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Lopo Cancela de Abreu.

Lopo de Carvalho Cancella de Abreu GCIHComM (Guarda, 15 de dezembro de 1913Cascais, Parede, 20 de outubro de 1990) foi um médico e cientista português de nomeada.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho único de Armando Cancella de Matos de Abreu e de sua mulher Branca Adelaide Patrício de Carvalho, irmã de Fausto Patrício Lopo de Carvalho.

Doutorou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, tendo-se especializado em Pneumotisiologia em Roma. Foi membro de várias instituições científicas e publicou numerosos trabalhos, nomeadamente a sua tese de doutoramento sobre a «Suberose», doença provocada pelo contacto das partículas da cortiça com as vias respiratórias, referida mundialmente pela primeira vez, e que lhe valeu 4 prémios, entre os quais o Grande Prémio Internacional de Medicina do Trabalho, outorgado em Nova Iorque durante o XII Congresso INternacional da especialidade. Considerado internacionalmente como um grande especialista em tuberculose e em medicina do trabalho, fundou a Clínica Hélio-Marítima, na Parede, sendo depois Director do Instituto de Assistência Nacional aos Tuberculosos (IANT), entre 1961 e 1968.

Casou em Lisboa, São Mamede, a 7 de Outubro de 1948 com Maria Emília de Andrada Roque de Pinho (Lisboa, 17 de Agosto de 1920 - Anadia, 1 de Setembro de 1998), neta paterna do 1.º Barão de Alto Mearim e 1.º Conde de Alto Mearim, bisneta do 1.º Visconde de Rio Vez, sobrinha-bisneta do 1.º Visconde de Sistelo e neta materna do 1.º Barão de Aguiar de Andrada, com geração.

Dado o notável trabalho que realizou à frente do IANT, foi chamado para desempenhar o cargo de Ministro da Sáude e Assistência do primeiro governo de Marcello Caetano, entre Setembro de 1968 e Janeiro de 1970. Foi, depois, deputado à Assembleia Nacional, entre 1970 e 1974, tendo presidido à Comissão de Negócios Estrangeiros.

Na área da gestão empresarial, foi administrador de várias sociedades, de que se destaca a presidência do Amoníaco Português. Profundo conhecedor de vinhos - chegou a ser júri (enquanto cliente exigente) de concursos nacionais e mundiais de escanções - e gastronomia, tornou-se também conhecido por ser um grande especialista em medalhística. Colaborou regularmente em vários jornais e revistas, sendo de destacar as crónicas gastronómicas que escreveu sobre restaurantes.

Foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique, a 14 de Fevereiro de 1970, e foi feito Comendador da Ordem do Mérito, a 11 de Fevereiro de 1984.[1]

Referências

  1. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Lopo de Carvalho Cancela de Abreu". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 16 de fevereiro de 2016 

Fontes[editar | editar código-fonte]

  • Grande História Universal Ediclube, 2006.
  • Nova Enciclopédia Portuguesa, Ed. Publicações Ediclube, 1996.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.