Los ricos también lloran

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Los Ricos También Lloran
Os ricos também choram (BR)
Informação geral
Formato Telenovela
Duração 21-22min (segunda a sexta)
Criador(es) Inés Rodena
País de origem  México
Idioma original espanhol
Produção
Diretor(es) Rafael Banquells
Produtor(es) Valentín Pimstein
Elenco Verónica Castro
Rogelio Guerra
Edith González
Guillermo Capetillo
Rocío Banquells
ver mais
Tema de abertura Aprendí a Llorar - Verónica Castro (original)
Sombras - Sarah Regina (SBT)
Exibição
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original México 11 de abril de 1979 - 29 de fevereiro de 1980
Brasil 5 de abril de 1982 - 22 de janeiro de 1983
Episódios México 248
Brasil 249

Los ricos también lloran ("Os Ricos também Choram", no Brasil) é uma telenovela mexicana produzida por Valentín Pimstein para a Televisa, e exibida pelo Canal de las Estrellas, entre 11 de abril de 1979 e 29 de fevereiro de 1980, substituindo Doménica Montero e sendo substituída por Colorina.

A história é de Inés Rodena, foi adaptada por Valeria Philips, María Zarattini e Carlos Romero e dirigida por Rafael Banquells.

A trama foi protagonizada por Verónica Castro e Rogelio Guerra e antagonizada por Rocío Banquells.

O Professor Girafales do seriado El Chavo del Ocho menciona a novela no episódio "Os Hóspedes de Seu Barriga" exibido no ano de estreia. Também é mencionada na telenovela «Maria do Bairro», que é um remake desta.

História[editar | editar código-fonte]

A história é centrada na vida de Mariana Villarica (Verónica Castro) uma jovem de rancho que cresce como uma selvagem. Quando seu pai morre decide ir à capital, onde é ajudada pelo milionário Don Alberto Santesteban (Augusto Benedico). Este a leva a sua mansão (contra a vontade de sua esposa) onde Mariana será educada e melhorará seus modos.

Luis Alberto (Rogelio Guerra), filho de Don Alberto considerado pelo mesmo um jovem caprichoso e irresponsável, trata de conquistar Mariana tratando de apaixoná-la e ao final termina apaixonado por ela estando comprometido com sua odiosa prima Esther (Rocio Banquells). Muitas coisas passarão até que Mariana possa ser feliz com o amor de sua vida, Luis Alberto. A história segue com muitas intrigas, sofrimentos e desgraças.

Elenco[editar | editar código-fonte]

  • Verónica Castro … Mariana Villarreal
  • Rogelio Guerra … Luis Alberto Santesteban
  • Rocío Banquells … Esther
  • Christian Bach … Joanna
  • Rafael Banquells … Padre Adrián
  • Augusto Benedico -…Don Alberto Santesteban
  • Guillermo Capetillo … Beto
  • Ada Carrasco … Felipa
  • Estela Chacón … Virginia
  • Aurora Clavell … Mama Yole
  • Edith González … María Isabel
  • Alicia Rodríguez … Dona Elena
  • Yolanda Mérida … Ramona
  • Ricardo Cortés … Juan Manuel
  • Marina Dorell … Sara
  • Arturo Lorca … Jaime
  • Magda Haller … Dona Rosario
  • Robertha … Roberta
  • Columba Domínguez … María (#1)
  • Marilu Elizaga … Elena
  • Connie de la Mora … Patricia
  • Manuel Guízar … Dr. Francisco Gómez Ocampos
  • Flor Procuna … Irma
  • Miguel Palmer … Diego (#1)
  • Fernando Luján … Diego (#2)
  • Carlos Fernández … Carlos
  • Edgar Wald
  • Carlos Cámara … Fernando
  • Fernando Mendoza … Don Leonardo Villarreal
  • José Elías Moreno … Pascual 'Pato'
  • Maricruz Najera … María (#2)
  • Maleni Morales
  • Leonardo Daniel … Leonardo Mendizabal
  • Leticia Perdigón … Lili
  • Socorro Bonilla … Gabriela Jimenez
  • Victoria Vera … Victoria La Tormentosa
  • Antonio Bravo … Luis De la Parra
  • Miguel Angel Negrete … Maximo
  • Federico Falcón … Dr. López
  • Humberto Cabañas … Humberto
  • María Rebeca … Marisabel (criança)
  • Armando Alcázar … Beto (criança)
  • Socorro Avelar … Morena
  • Gaston Tuset … Dr. Suárez
  • Oscar Bonfiglio … Sebastián
  • Teo Tapia … Dr. Joaquín Herrera
  • Luis Bayardo
  • Aurora Medina … Teresa
  • Fernando Borges … Eduardo Sagredo
  • Lina Michel … Collette
  • Carlos Pouillot … Federico Mendisabal
  • Javier Marc … Licenciado Gonzáles
  • Patricia Myers
  • Roberto Ballesteros … Camareiro

Produção[editar | editar código-fonte]

Emilio Azcárraga Milmo, presidente da Televisa na época, ofereceu ao produtor Valentín Pimstein que as gravações da adaptação da história de Inés Rodena fossem feitas em Miami[1]. O título provisório da novela era Perdí mi baby (Perdi meu Bebê). A trama seria então produzida nos estúdios da Televisa no México e o nome oficial da novela ficou Los ricos tambien lloran, recebendo uma avalanche de críticas dos jornalistas mexicanos[1]. María Zarattini foi convidada e anunciada para escrever a adaptação, mas não aprovou a ideia de esticar o enredo para manter a obra mais tempo no ar[1]. Com isso, ela pediu demissão e Pimstein convocou Carlos Romero, que juntou o argumento original com uma história criada por ele na Venezuela, garantindo maiores conflitos na trama. Após resolver a situação do roteiro, a Televisa precisava resolver uma pendência judicial com os atores. A Associação Nacional de Atores proibiu que os artistas gravassem a novela até resolver a situação trabalhista que havia virado alvo de briga no México naquele ano. Sem acordo, Valentín decidiu substituir três dos atores do elenco que havia sido escolhido. A novela estreou no horário das seis no México, mas com ótima audiência, logo a Televisa inverteu os horários e encaixou a trama no horário nobre, faixa das nove. Com tamanho sucesso, a produção ganhou versões pelo mundo todo, assim como garantiu exibição em outros países da América Latina, Ásia, África do Sul, Oceania e Europa[1].

Exibição no Brasil[editar | editar código-fonte]

No Brasil, a trama foi exibida pelo SBT, entre 5 de abril de 1982[2] e 22 de janeiro de 1983[3][4], em 249 capítulos, às 19h45, sendo substituída por Desprezo. Foi a primeira telenovela mexicana a ser exibida pelo SBT, e também a primeira a ser exibida no Brasil, sendo uma das telenovelas mexicanas de maior audiência na história da televisão brasileira, ao lado de Carrusel e Maria do Bairro. A estrela Verónica Castro esteve no Brasil na época e participou de diversas atrações do SBT, como Show de Calouros, Viva a Noite e jurada do Miss Brasil 1982[5]. Quando foi entrevistada por Hebe Camargo, explicou por que a trama não tinha cenas picantes: “temos uma censura muito forte. Não nos deixam cenas de sexo, de drogas, mais fortes. Nós fazemos novelas mais clássicas, que são para família, para todo público. E acredito que todo trabalho, principalmente latino-americano, não precisa mostrar abertamente as coisas. Nós podemos sugerir e o público compreende”[1]. Nos anos seguintes, outras novelas com a atriz foram exibidas pela emissora: O Direito de Nascer, em 1983, e Rosa Selvagem, em 1991, esta também com muito sucesso[6].

Foi reprisada pela primeira vez entre 4 de julho a 9 de dezembro de 1983, às 13h00 em 115 capítulos, e sendo substituída mais uma vez por Desprezo.

Foi reprisada pela segunda vez entre 10 de setembro de 1984 a 1 de março de 1985, às 16h00 em 123 capítulos, e sendo substituída por Meus Filhos, Minha Vida.

Trilha Sonora[editar | editar código-fonte]

Nacional[editar | editar código-fonte]

  1. Não está sozinho quem tem Deus do ladoGilliard
  2. Natureza — Rossini
  3. Saudades — Fruto da Terra
  4. Novo EncantoMarcelo Gastaldi
  5. PedágioMoacir Franco
  6. Caminhos Iguais — Carlinhos Borba Gato
  7. Gota MágicaMário Lúcio
  8. Nossa CasinhaAmado Batista
  9. Minha Canção — Gilberto Santamaria
  10. ViraçãoJessé
  11. Dá pra PerdoarAntônio Marcos
  12. Coisas do CoraçãoPaulinho Tapajós
  13. Camélias — Malcolm Forest
  14. Sombras — Sarah Regina

Internacional[editar | editar código-fonte]

  1. We Love You — Gengis Khan
  2. Eternal Love — Patrick Dimon
  3. Forget me NotsPatrice Rushen
  4. He Won't You PlaySammy Davis Jr.
  5. M'innamoro di Te — Ricchi i Poveri
  6. The Model — Brainstorm
  7. HeavenTerry Winter
  8. Some Folks — Street Boys
  9. I Love You — Kim
  10. Love is a Many Splendored Thing — Honeymoon
  11. Tú y YoManolo Otero
  12. Sweet France — Bruno Carezza
  13. Abracadabra — Witch
  14. Dear Someone — Don Elliott

Versões[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e Naian Lucas (7 de novembro de 2019). «40 anos de Os Ricos Também Choram: Relembre a primeira novela mexicana exibida no Brasil». NaTelinha. Consultado em 24 de agosto de 2020 
  2. Pages, Digital. «Folha de S.Paulo - Edição de 05/04/1982». acervo.folha.com.br. Consultado em 29 de julho de 2015 
  3. Pages, Digital. «Folha de S.Paulo - Edição de 22/01/1983». acervo.folha.com.br. Consultado em 30 de julho de 2015 
  4. José Eustáquio Jr. (22 de janeiro de 2020). «O Dia na História (22/01/1983): Primeira novela mexicana, 'Os Ricos Também Choram' chega ao fim no SBT». SBTpedia. Consultado em 24 de agosto de 2020 
  5. Reniere (26 de junho de 2013). «O Dia na História (26/06/1982): Miss Brasil é exibido pelo SBT com presença de estrela mexicana». SBTpedia. Consultado em 24 de agosto de 2020 
  6. Fábio Costa. «Há 36 anos o SBT estreava a primeira novela mexicana exibida no Brasil». Observatório da Televisão. Consultado em 24 de agosto de 2020