Louis-Joseph Lebret

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde outubro de 2015). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
O Padre Lebret na Colômbia, em 1958.

Louis-Joseph Lebret, O.P. (Le Minihic-sur-Rance, Bretanha, 1897 – Paris, 20 de julho de 1966), conhecido no Brasil como Padre Lebret, foi um economista e religioso católico dominicano francês, criador do centro de pesquisas e ação econômica "Economia e Humanismo", em 1942, e de um grande número de associações para o desenvolvimento social, em vários países do mundo, dentre os quais o IRFED - Institut International de Recherche et de Formation, Éducation et Développement, atual Centre International Développement et Civilisations- Lebret-Irfed, em Paris.

Foi um dos introdutores da preocupação com o desenvolvimento global dentro da Igreja Católica, entendido como desenvolvimento da pessoa e dos grupos sociais. Chamou a atenção da Igreja e do mundo ocidental para as questões do subdesenvolvimento e da necessidade de solidariedade com os países pobres. Atuou sobretudo no Líbano, Senegal, Benin, Costa do Marfim, Brasil, Colômbia e Venezuela e Vietnam do Sul. Com François Perroux, com quem colaborou, foi pioneiro de uma nova abordagem do planejamento territorial, relacionando as questões do meio físico-geográfico aos problemas do desenvolvimento.

Participou da redação de documentos conciliares como o Gaudium et Spes , e foi o inspirador da encíclica Populorum Progressio (1967), durante o pontificado de Paulo VI.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em uma família de forte tradição naval, descendente de Jacques Cartier, estudou na Escola Naval, formou-se oficial de marinha e participou da Primeira Guerra Mundial nas esquadras do Líbano. Deixou a marinha em 1923 para se tornar Dominicano, sendo ordenado ao sacerdócio em 1928.

Em seu último ano de teologia teve problemas de saúde e foi enviado para a costa da Bretanha para poder se recuperar. Ao observar que os pescadores se afastavam das tradições cristãs por conta de suas condições precárias de trabalho decidiu aí sua futura orientação.

Entre 1932 e 1939, fundou o Movimento de Saint Malo e o periódico "La Voix du marin" ("A voz do marinheiro"), com isso procurou alertar a opinião pública francesa sobre as condições de vida dos pescadores bretões, valorizar o laicato e construir o "apostolado do mar"[1].

Estudou as raízes do problema e descobriu que as grandes empresas pesqueiras eram favorecidas com as melhores áreas de pescas e propôs uma série de leis que reformaram o setor. Estes dez anos de trabalho durante a Grande Depressão lhe deram um entendimento sobre males estruturais da economia moderna, tendo conhecimento para se relacionar com importantes organizações, tais como a OIT , a Sociedade das Nações e futuramente se tornar um consultor da ONU. [2][3]

Em 1942, após romper com a República de Vichy, tentando ainda entender os complexos problemas sociais, lançou o Movimento Economia_e_Humanismo, de onde aprofundou os estudos da Economia Humana, ajudando na formação de pesquisadores e técnicos capazes de entender e planejar reformas necessárias para melhorarem as condições dos trabalhadores de seu tempo.

Em 1947 foi convidado para realizar uma série de três palestras na Universidade de São Paulo (USP) onde tratou da "Economia Humana". O choque que teve ao visitar o Brasil, lhe aproximando dos problemas do terceiro mundo foi tão importante quanto a vivência com os pescadores da Bretanha e a partir daí faria palestras em vários países da África, da América Latina e também no Vietnã para explicar as razões mais profundas do subdesenvolvimento[1].

Esta palestra também lhe aproximou de jovens jucistas, entre eles Franco Montoro, que mais tarde fundariam a Vanguarda Democrática, movimento ligado à Democracia Cristã em São Paulo. Tais jovens se engajaram na política institucional e alcançaram importantes postos políticos nas décadas de 1950 e 1960. Uma das propostas da Democracia Cristã era a descentralização política e Lebret foi convidado para assessorar a realização de pesquisas tanto no município quanto no estado de São Paulo, além de outras regiões da América Latina. Ainda em 1947 fundou em São Paulo a Sociedade para a Análise Gráfica e Mecanográfica Aplicada aos Complexos Sociais(SAGMAC) que atuou no Brasil entre 1947 e 1960 atuando no planejamento urbano, especificamente com pesquisas e formação de quadros técnicos para atuarem no desenvolvimento. Através de suas relações políticas a SAGMAC foi convidada para realizar uma série de estudos, entre eles, em 1952 uma pesquisa sobre as possibilidaes de desenvolvimento do Estado de São Paulo, em 1953 pesquisa sobre o nível de vida rural no Paraná, em 1954 pesquisa sobre os níveis de vida de 64 municípios da bacia Paraná-Uruguai com ênfase na situação das populações rurais, entre 1952 e 1955 pesquisa sobre o desenvolvimento de Pernambuco e do Nordeste e em 1955 pesquisa sobre desenvolvimento urbano de São Paulo, que propunha um modelo de distribuição urbana apoiada em células com infra-estrutura autossuficiente.[4][5]

Em 1958, fundou o "Instituto internacional de pesquisa e de informação para o desenvolvimento (Irfed). Representou a Santa Sé em algumas conferências da Organização das Nações Unidas (ONU).

Em 1964, foi nomeado como perito conciliar do Concílio Vaticano II pelo Papa Paulo VI, onde contribuiu para a redação da "Gaudium et Spes".

Contribuiu com a elaboração da Encíclica "Populorum Progressio" do Papa Paulo VI[1].

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

(em francês)

  • Garreau (Lydie), Louis-Joseph Lebret, 1897-1966. Un homme traqué, Villeurbanne, Éditions Golias, 1997.
  • Houée (Paul), Louis Joseph Lebret. Un éveilleur d’humanité, Paris, Éditions de l’Atelier, 1997.
  • Lavigne (Jean-Claude), Les écrits spirituel du Père Lebret, Paris, Cerf et Éditions de l’Atelier, 1996.
  • Malley (François), Le Père Lebret: L'économie au service des hommes, Paris, Cerf, 1968.
  • Becker (Charles), Missehougbe (Pierre-Paul) et Verdin (Philippe), Le père Lebret, un dominicain économiste au Sénégal (1957 - 1963), Paris, Karthala, 2007

Obras de Louis-Joseph Lebret[editar | editar código-fonte]

(em francês)

  • Desroche (Henri) et Lebret (L.-J.), La communauté Boimondau, L'Arbresle, Économie et Humanisme, 1944.
  • Lebret (L.-J.), Dimensions de la charité, Paris, Éditions ouvrières, 1958.
  • Lebret (L.-J.), Dynamique concrète du développement, Paris, Éditions ouvrières, 1967.
  • Lebret (L.-J.) Suicide ou survie de l’Occident ?, Paris, Économie et Humanisme et Éditions ouvrières, 1968.
  • LEBRET,LouisJoseh. Estudo sobre desenvolvimento e implantação de indústrias, interessando a Pernambuco eao Nordeste.3.ed.Ver.Recife,CONDEPE,2001,118p.

Entidades ligadas ao pensamento de Louis-Joseph Lebret[editar | editar código-fonte]

(em francês)

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Louis-Joseph Lebret

Referências

  1. a b c Lebret, acesso em 22 de setembro de 2016.
  2. Biografia pe. Lebret. Acessado em 15/10/2015 em: http://justiciaypaz.dominicos.org/kit_upload/PDF/jyp/Materiales/Semblanzas/Fr%20Louis%20Joseph%20Lebret%20OP.pdf
  3. SIQUEIRA, Élcio. Melhores que o patrão : a luta pela cogestão operaria na Companhia Brasileira de Cimento Portland Perus (1958-1963). Tese de doutorado em História, UNICAMP, Campinas, 2009. Acessado em 13/10/2015 em: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?view=000441388
  4. de Angelo, Michely Ramos. Les Développeurs : Louis-Joseph Lebret e a SAGMACS na formação de um grupo de ação para o planejamento urbano no Brasil. Tese de Doutorado, USP, São Carlos, 2010.
  5. BOSI, Alfredo. Economia e Humanismo in Estud. av. vol.26 no.75 São Paulo May/Aug. 2012. Acessado em 13/10/2015 : http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142012000200017
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.