Lourival Vargas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Lourival Vargas
Nascimento 23 de agosto de 1952
Ibertioga
Morte 20 de novembro de 2008 (56 anos)
Barbacena
Cidadania Brasil
Ocupação pintor

Lourival Barroso Vargas (Ibertioga, 23 de agosto de 1952Barbacena, 20 de novembro de 2008) foi um artista plástico/pintor brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Lourival, autodidata, destacou-se como pintor de temas sacros. Contudo, era autor de obras ecléticas, com temas como paisagens bucólicas e natureza, motivos esotéricos, abstratos, com diversas inspirações. Também era retratista. Nascido em Ibertioga - Minas Gerais a 23 de Agosto de 1952, teve contato com a arte desde a infância, quando começou a desenvolver seu talento para o desenho e pintura. Faleceu em Barbacena - Minas Gerais a 20 de Novembro de 2008, aos 56 anos.

Obra[editar | editar código-fonte]

Lourival possuía um traço característico, bem como o uso das cores, especialmente ao abordar a natureza em suas obras. A vista da serra de Ibitipoca a partir de Barbacena era uma paisagem muito apreciada pelo artista, além das redondezas da terra natal Ibertioga, e também a cidade de Barbacena - onde viveu por muitos anos - que eram temas recorrentes de suas obras. É relevante também sua visão do universo urbano e da sociedade, pois em várias telas o artista fez seu autorretrato demonstrando um sentimento de marginalização e incompreensão, como artista e pensador, em relação à sociedade falida e hipócrita em que viveu. Uma das principais obras do artista e que o imortalizaram são os afrescos da Catedral de Ibertioga. A magnífica mão de Deus retratada mostra a mão calejada de um trabalhador. A inspiração se deu numa tarde ao deixar a catedral. Após dias pensando em como seria a mão divina, deparou com um lavrador sentado na calçada da praça e nesse momento ele percebeu que a mão do Criador deveria ser como aquela, calejada pelo trabalho árduo da grande criação do mundo. Pediu ao homem que deixasse que ele desenhasse sua mão. Ao se ver a obra pronta percebe-se como foi sensível e precisa a observação do artista. Algumas pessoas do círculo íntimo do artista emprestaram seus rostos para que ele compusesse as figuras ali retratadas como anjos e arcanjos. Essa obra foi um marco importante na sua carreira, e depois dela foi convidado para fazer a pintura do teto de capelas nas fazendas da região.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]