Louro-pardo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaLouro-pardo
C. trichotoma
C. trichotoma
Estado de conservação
Espécie não avaliada
Não avaliada
(IUCN 3.1) [1]
Classificação científica
Reino: Plantae
Sub-reino: Viridiplantae
Infrarreino: Streptophyta
Superdivisão: Embryophyta
Divisão: Tracheophyta
Subdivisão: Spermatophytina
Classe: Magnoliopsida
Superordem: Asteranae
Ordem: Boraginales[2]
Família: Boraginaceae
Género: Cordia
Espécie: C. trichotoma[3]
Nome binomial
Cordia trichotoma
(Vell.) Arráb. ex Steud.
Sinónimos
  • Cordia alliodora var. tomentosa
  • Cordia asterophora Mart. ex Fresen.
  • Cordia chamissoniana
  • Cordia excelsa (Mart.) A.DC.
  • Cordia hassleriana Chodat
  • Cordia hypoleuca A.DC.
  • Cordia trichotoma var. blanchetti (Chodat) I.M.Johnst.
  • Cordiada trichotoma Vell. basiónimo, 1825
  • Gerascanthus excelsa Mart.
  • Gerascanthus trichotoma (Vell.) M.Kuhlm. & Mattos

O louro-pardo (Cordia trichotoma (Vellozo) Arrabida ex Steudel)[4] é uma árvore da família Boraginaceae, nativa do Brasil[1], Argentina, Paraguai e Bolívia.[5]

Distribuição geográfica[editar | editar código-fonte]

No Brasil a C. glabrata se distribui em todos os Estados do Sul, Centro-Oeste, Sudeste e Nordeste, exceto possivelmente no Estado de Sergipe.[5][1][6] Seus biomas de ocorrência são Amazônia, Caatinga, Cerrado e Mata Atlântica nos tipos de vegetação de área antrópica, Caatinga (stricto sensu), Cerrado (lato sensu), Floresta Estacional Decidual, Floresta Estacional Semidecidual e Floresta Ombrófila.[1][6]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d «Cordia». Flora do Brasil 2020 em construção. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Consultado em 13 de setembro de 2017 
  2. «Cordia L.». https://www.itis.gov. 2011. Consultado em 6 de setembro de 2017 
  3. «Cordia trichotoma (Vell.) Arráb. ex Steud.». The Plant List. Version 1.1. Published on the Internet; http://www.theplantlist.org/. 2013. Consultado em 13 de setembro de 2017 
  4. «Cordia trichotoma (Vell.) Arráb. ex Steud.». Tropicos.org. Missouri Botanical Garden. Consultado em 13 de setembro de 2017 
  5. a b «Cordia trichotoma (Mart.) A. DC.». https://www.gbif.org. Consultado em 13 de setembro de 2017 
  6. a b Lorenzi, H. (1992). Árvores brasileiras. Manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. [S.l.]: Nova Odessa, SP. Ed. Plantarum. p. 74