Luís Amado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Luís Amado
Nascimento 17 de setembro de 1953 (68 anos)
Lisboa
Cidadania Portugal
Alma mater
Ocupação político
Prêmios
  • Grã-Cruz da Ordem de Leopoldo II
  • Cavaleiro da Grã-Cruz da Ordem de São Gregório Magno
  • Grã-Cruz da Ordem do Mérito Civil (2006)
  • Grã-Cruz da Ordem de Isabel, a Católica (2000)
  • Grã-cruz do Mérito com Estrela da Ordem do Mérito da República Federal da Alemanha
  • Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo
  • Grã-Cruz da Ordem do Mérito da República da Polônia
Empregador Universidade Técnica de Lisboa

Luís Filipe Marques Amado GCC (Porto de Mós, Porto de Mós,[1] 17 de setembro de 1953) é um economista e político português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Percurso académico e profissional[editar | editar código-fonte]

Licenciado em Economia pelo Instituto Superior de Ciências Económicas e Financeiras da Universidade Técnica de Lisboa.

Consultor de empresas, Luís Amado iniciou a sua carreira profissional como professor do ensino secundário.[2] Posteriormente foi auditor na Secção Regional da Madeira do Tribunal de Contas.[3]

Atualmente a exercer a função de presidente do Conselho de Administração do Banif, em janeiro de 2018 é apontado como presidente do Conselho Geral e de Supervisão (chairman) da EDP, substituindo nesse cargo Eduardo Catroga[4].

Foi ainda visiting professor na Universidade de Georgetown e é professor convidado na Nova School of Business and Economics.

Percurso político e governativo[editar | editar código-fonte]

Militante e membro do Secretariado do Partido Socialista, Luís Amado foi deputado à Assembleia Legislativa Regional da Madeira e à Assembleia da República.

Desempenhou, pela primeira vez, funções governativas em governos chefiados por António Guterres — no XIII Governo começou como Secretário de Estado Adjunto da Administração Interna e passou depois a Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros; repetiu este último cargo no XIV governo.

Em 2005, na sequência da vitória do PS nas legislativas de 2005, ingressou no governo de José Sócrates, como Ministro dos Negócios Estrangeiros do XVII Governo. No governo seguinte de Sócrates, o XVIII Governo, assumiu a função de Ministro da Defesa Nacional.

A secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, e o Ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Luís Amado, assinam pactos de cooperação bilaterais entre Estados Unidos e Portugal, em junho de 2009

A 8 de Abril de 2009 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo.[5]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Condecorações[7][5][editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Diário de Notícias». www.dn.pt 
  2. «Diário de Notícias». www.dn.pt 
  3. «Diário de Notícias». www.dn.pt 
  4. «Jornal de Leiria». www.jornaldeleiria.pt 
  5. a b «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Luís Filipe Marques Amado". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 3 de fevereiro de 2015 
  6. Isabel Vicente (22 de março de 2012). «Acionistas do Banif aprovam Luís Amado e Jorge Tomé». Expresso. Consultado em 21 de junho de 2012 
  7. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Estrangeiras». Resultado da busca de "Luís Filipe Marques Amado". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 3 de fevereiro de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Paulo Portas
(como ministro de Estado, da Defesa Nacional e dos Assuntos do Mar)
Ministro da Defesa Nacional
XVII Governo Constitucional
2005 – 2006
Sucedido por
Nuno Severiano Teixeira
Precedido por
Diogo Freitas do Amaral
Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros
XVII e XVIII Governos Constitucionais
2006 – 2011
Sucedido por
Paulo Portas
Precedido por
Frank-Walter Steinmeier
Alemanha
Presidente do Conselho da União Europeia
Julho – Dezembro de 2007
Sucedido por
Dimitrij Rupel
Eslovénia