Luís Amaro de Oliveira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Luís Amaro de Oliveira
Fotografia de Luís Amaro de Oliveira
Nascimento 7 de julho de 1920
Braga, Portugal
Morte 16 de janeiro de 1991 (70 anos)
Póvoa de Varzim, Portugal
Residência Portugal
Nacionalidade português
Cônjuge Maria Margarida Duarte da Fonseca Oliveira (1923-2009)
Alma mater Universidade de Lisboa
Ocupação Ensaísta e professor
Campo(s) Literatura
Tese António Feijó e a sua Obra (1945)

Luís Amaro Joaquim de Oliveira (Braga, 7 de julho de 1920Póvoa de Varzim, 16 de janeiro de 1991) foi um professor liceal autor de várias edições didáticas, textos pedagógicos e ensaios sobre literatura portuguesa.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Luís Amaro de Oliveira nasceu em Santa Tecla, Braga, a 7 de julho de 1920, filho de Amaro José de Oliveira e de Izilda Martins de Albuquerque. Foi seu padrinho de baptismo o seu tio paterno Joaquim José Oliveira, ministro da Instrução Pública do governo de Alfredo de Sá Cardoso[1]. Casou-se em 1949 com Maria Margarida Duarte da Fonseca, neta de Eduardo da Fonseca, figura activa no meio artístico portuense do seu tempo. É seu sobrinho o Prof. Luís António de Oliveira Ramos, ex-Reitor da Universidade do Porto.

Licenciou-se em Filologia Românica pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa em 1945, com a defesa da sua tese sobre o poeta António Feijó[2], em que foi arguente Vitorino Nemésio. Foram professores seus Hernâni Cidade, António José Saraiva, Delfim Santos e Vitorino Nemésio. Aí firmou amizade com Sebastião da Gama, Matilde Rosa Araújo e Francisco Luís Amaro, entre outros amigos e condiscípulos[3].

Logo após a sua licenciatura dedicou-se a publicar os seus estudos sobre a vida e obra de Cesário Verde[4], tendo por sua iniciativa sido feita uma homenagem ao poeta em Linda-a-Pastora e aí sido descerrada uma lápide, em 18 de junho de 1950 [5], na casa onde o poeta passou a sua infância. Tendo entretanto mudado de residência de Lisboa para a Apúlia (Esposende) e depois para a Póvoa de Varzim, foi até ao fim dos seus dias professor de liceu nesta cidade e no Porto.

Fez parte de um grupo de tertúlia literária que, a partir do início dos anos sessenta, reunia semanalmente no Diana-Bar da Póvoa de Varzim, ou no Restaurante Marisqueira em A-Ver-o-Mar (o "grupo dos sábados"), de que faziam parte José Régio, João Francisco Marques, Orlando Taipa, Flávio Gonçalves, Pacheco Neves e Manuel de Oliveira.[3][6][7]

Um de seus livros, Viagens na Minha Terra, foi recomendado pelo Plano Nacional de Leitura do governo português para o 3º Ciclo.[8] Outro livro, Farsa chamada Auto da Índia, no qual ele escreve o prefácio foi recomendado para a 9º ano.[9]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Luís Amaro de Oliveira (1944): "Cesário Verde: Novos Subsídios para o Estudo da sua Personalidade" (Editora Nobel, Coimbra, 1944)[10]
  • Luís Amaro de Oliveira e Manuel José Antunes Coimbra (1947): "Um Pouco de Tudo - Leituras" (Livraria Popular, Lisboa, 1947)
  • Luís Amaro de Oliveira (1949): "3 sentidos fundamentais na poesia de Cesário", Lisboa, 1949.[11][12]
  • Luís Amaro de Oliveira (1965): "Antologia de Lendas, Narrativas e Contos" (Para o 2.º e 3.º ciclos dos liceus c/ perguntas de orientação e análise de textos). Porto Editora. 1965. (Com desenhos de José Régio, Júlio Resende e Bravo Neves.)[11]
  • Luís Amaro de Oliveira (1960): "A História e a Lenda na Interpretação da Personalidade do Infante". Tipografia Cávado, Esposende, 1960.[13][14]
  • Feliciano Ramos, Luís Amaro de Oliveira (1968): "Os grandes escritores do Renascimento (Textos do século XVI)". Livraria Cruz, Braga, 1968 - 626 páginas
  • Luís Amaro de Oliveira (1974): "Viagens na Minha Terra de Almeida Garrett". Realização didáctica. Porto Editora. 1974.[8]
  • Luís Amaro de Oliveira (1974): "Gil Vicente - Farsa Chamada Auto da Índia". Realização didáctica. Porto Editora. 1974.
  • Luís Amaro de Oliveira (1976): "Amor de Perdição de Camilo Castelo Branco". Realização didáctica (dedicada a Manuel de Oliveira[15]). Porto Editora. 1976.
  • Maria António Gandra e Luís Amaro de Oliveira (1979): "Caderno para uma direcção de leitura de 'Os Maias'". Com sínteses críticas, questionário de análise literária, temas para composições, ficha de leitura. Porto : Porto Editora, 1979.
  • Luís Amaro de Oliveira (1982): "Frei Luís de Sousa de Almeida Garrett". Realização didáctica (dedicada a António Salgado Júnior). Porto Editora. 1982. Esta edição compreende informações sobre a vida e a obra de Almeida Garrett com juízos críticos sobre a obra, um plano de estudo da obra, comentário de vocábulos e da nomenclatura literária.[16]

Referências e Notas

  1. Autor do decreto que instituiu a Faculdade de Letras da Universidade do Porto (Diário do Governo, 1.° série, n.° 99, de 24 de maio de 1919).
  2. "António Feijó e a sua Obra". Tese de licenciatura em Filologia Românica apresentada à Faculdade de Letras de Lisboa em Junho de 1945 (Cota de arquivo: 1945-R-18)
  3. a b Cf. "Reencontro com o Dr. Luís Amaro de Oliveira: o professor e o amigo". Edição da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, 2001.
  4. Cf. os seus ensaios "Cesário Verde: Novos Subsídios para o Estudo da sua Personalidade" (1944), "3 sentidos fundamentais na poesia de Cesário" (1949) e "Para uma Biografia de Cesário" (1952)
  5. Diário de Lisboa, 18 de junho de 1950 e Diário da Manhã, 19 de Junho de 1950.
  6. Cf. p.11 de "Sinopse Bio-bibliográfica". In "Estudos em Homenagem a João Francisco Marques", volume I, FLUP, 2001 (ISBN 10:972-9350-59-0).
  7. Manoel de Oliveira distinguido em França - Cultura Lusa
  8. a b «- Viagens na Minha Terra, Edição Didáctica, acessado em 4 de abril de 2014». Consultado em 4 de janeiro de 2015. Arquivado do original em 4 de janeiro de 2015 
  9. «Farsa chamada Auto da Índia, Porto Editora, acessado em 4 de abril de 2014» (PDF). Consultado em 4 de janeiro de 2015. Arquivado do original (PDF) em 1 de abril de 2015 
  10. Iberlibro - acessado em 5 de janeiro de 2014
  11. a b Universidade de Coimbra - Serviços de Biblioteca e Documentação - acessado em 5 de janeiro de 2014
  12. Hathi Trust - acessado em 5 de janeiro de 2014
  13. Revista Municipal, 1960, nº 84, p. 59-65, acessado em 5 de janeiro de 2014
  14. Biblioteca Municipal de Vila Real acessado em 5 de janeiro de 2014[ligação inativa]
  15. Luís Amaro e Manuel de Oliveira abordaram ao mesmo tempo esta obra de Camilo, o primeiro a preparar o seu estudo crítico e o segundo a planear e realizar o seu filme Amor de Perdição (1979), tendo-a debatido longamente, nomeadamente na tertúlia dos "encontros ao sábado".
  16. -Fnac - acessado em 5 de janeiro de 2014

Ligações externas[editar | editar código-fonte]