Luís Antônio Martinez Corrêa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Luís Antônio Martinez Corrêa (Araraquara, 24 de junho de 1950Rio de Janeiro, 23 de dezembro de 1987) foi um diretor de teatro, um dos colaboradores do Teatro Oficina.

Biografia e Obra[editar | editar código-fonte]

Em Araraquara, trabalhava como diretor, ator, cenógrafo e tradutor no teatro amador. Em 1970, se mudou para São Paulo, e estreou como profissional em 1972. Assistente e ator de em Gracias, Señor, criação coletiva, e As Três Irmãs, de Anton Tchekhov, no Teatro Oficina, com direção de José Celso Martinez Corrêa, seu irmão.

Fundou o Grupo Pão e Circo e sua primeira direção foi O Casamento do Pequeno Burguês, de Bertolt Brecht. A encenação lhe rendeu o Prêmio Revelação da Associação Paulista de Críticos de Arte.

Com o desmembramento do grupo, Luís Antônio parte para o trabalho individual. Em 1978/79, dirige A Ópera do Malandro, de Chico Buarque, com Marieta Severo, Elba Ramalho, Ary Fontoura, Maria Alice Vergueiro, Otávio Augusto,Emiliano Queiroz,Claudia Gimenez,entre outros. Em 1981,Encena O Percevejo de Vladimir Maiakovisk,com cenografia de Helio Eichbauer,música de Caetano Veloso,com o Grupo Klop,Troféu Mambembe de Teatro,como melhor diretor de 1981.

Entre 1983 a 1986, Luis Antônio se torna professor da Casa das Artes de Laranjeiras, a CAL,onde realiza com os alunos espetáculos como,"UBU",de Alfred Jarry,com música tema "Rock da Descerebração de Cazuza e Frejat e 12 Metemorfosesde Ovídio,com Otavio Muller,Helena De Lamare,Critina Benthecourt,Rodrigo Mendonça,entre outros,O Elefantinho,de Bertolt Brecht,com Anabel Albernaz,Helena De Lamare,entre outros,Ataca Felipe,de Arthur Azevedo , com, Duda Mamberti,Beth Lamas,Luiz Maçãs,entre outros, e também da Universidade do Rio de Janeiro, Uni-Rio,onde encenou,A Disputa de Marivaux,com Lorena da Silvae Taniko - O Rito do ValedeZenchiku,entre outras montagens.

Ainda em 1985,encena, Theatro Musical Brasileiro I (1860-1914),com Vera Holtz,Fabio Pillar,ganhando novamente o Prêmio Mambembe - 1985 como melhor diretor. E em 1986,realiza como diretor e adaptador Mahagony de Bertolt Brecht e Kurt Weill,com Mario Borges,entre outros atores.

Em 1987,no auge da sua carreira,realiza a continuação de sua pesquisa,Theatro Musical Brasileiro II (1914-1945,com Anabel Albernaz,Marshal Netherland, Andrea Dantas, Jose Mauro Brant, Luis Carlos Buruca, Jorge Maia,entre outros.Este espetáculo, continuou sua temporada no Rio/SP,mesmo após a sua morte,recebendo 8 indicações para o Prêmio Mambembe,ganhando novamente como melhor diretor e também o Prêmio Molière,de 1987.Deixa ainda duas adaptações prontas,LOULOU(A Caixa de Pandora) de Frank Wedekind e BALL de Bertolt Brecht,esta usada sob direção de Moacyr Góes em 1988.

Assassinato[editar | editar código-fonte]

No día 23 de dezembro de 1987, Luís Antônio Martinez Corrêa morre brutalmente assassinado. Seu corpo é encontrado amarrado de pés e mãos com um golpe na cabeça, estrangulado e mutilado com 107 facadas em seu apartamento em Ipanema. Alguns pertences do diretor (uma secretária eletrônica, um videocassete e 17 mil cruzados) foram roubados.

Devido as tenebrosas caraterísticas do crime e outras ocorrências similares no Brasil da época, se deduz que o assassinato teria sido um crime de intolerância e preconceito com relação a sua homossexualidade.

Dois dias após o homicidio, o então surfista Gláucio Garcia de Arruda é identificado pelo porteiro do predio como a última pessoa em sair do apartamento do diretor. Garcia foi preso e posteriormente julgado, foi absolvido em primeira instância e condenado em segunda instância a 20 anos de prisão por roubo seguido de morte.

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.