Luís Archer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Luís Archer
Nascimento 5 de maio de 1926
Porto, Nevogilde
Morte 8 de outubro de 2011 (85 anos)
Lisboa
Nacionalidade Portugal Português

Luís Jorge Peixoto Archer, S.J. GCSE (Porto, Nevogilde, 5 de maio de 1926Lisboa, 8 de outubro de 2011) foi um padre jesuíta e cientista português.[1][2] [3]

Família[editar | editar código-fonte]

Filho de Luís Jorge Peixoto Archer e de sua mulher Cândida Fernandes Jorge Guimarães (Coimbra, Figueira da Foz, baptizada a 22 de agosto de 1891).

Biografia[editar | editar código-fonte]

Luís Archer concluiu os estudos liceais no "Liceu Rodrigues de Freitas" e estudou piano no Conservatório de Música do Porto entre 1936 e 1945.[3] Terminou a licenciatura em Ciências Biológicas na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto no ano de 1947 com a média final de 18 valores, pelo que ganhou o prémio, atribuído pelo Rotary Club, de melhor estudante dessa Faculdade.[3][4]

No dia 7 de Dezembro de 1947, e depois de já ter sido contratado como Assistente Extraordinário por Américo Pires de Lima, entrou no Noviciado da Companhia de Jesus, em Guimarães (onde estudou humanidades durante dois anos).[5] Nos anos seguintes estudou filosofia (1951-1954) na Faculdade Pontifícia de Braga (atualmente Universidade Católica Portuguesa) e teologia (1956-1959) na Alemanha, em Frankfurt am Main[4], onde foi ordenado sacerdote no dia 31 de Julho de 1959.

No ano de 1964 começou a estudar bioquímica e genética na Universidade de Georgetown nos Estados Unidos, onde fez o doutoramento em genética molecular em 1967.[3][6] A partir de 1968 Archer introduziu em Portugal a investigação em genética molecular, tendo fundado os laboratórios de Genética Molecular do Instituto Gulbenkian de Ciência e do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto. Durante vinte anos trabalhou no Instituto Gulbenkian de Ciência[3] e foi professor catedrático de Genética Molecular na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa de 1979 a 1996.[4]

Foi director da série de Ciências Naturais da revista Brotéria entre 1962 e 1979. Entre 1980 e 2002 dirigiu a Brotéria-Genética, instituída em 1980 como órgão oficial da Sociedade Portuguesa de Genética, de que foi presidente entre 1978 e 1981.

No final dos anos setenta, e sem que abandonasse a sua actividade científica, Luís Archer começou a dirigir os seus interesses intelectuais para a Bioética, área em que desempenharia um papel pioneiro em Portugal. A sua obra concentrou-se em três grandes áreas: a reprodução humana artificial; a terapia génica; e o conhecimento do genoma humano e suas implicações éticas.

A 26 de Abril de 1991 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada.[7]

Em homenagem a Luís Archer, a Sociedade Portuguesa de Genética criou o Prémio Prof. Doutor Luís Archer.

Morreu aos 85 anos, após ter sido transportado para o Hospital de Santa Maria em Lisboa, devido a uma indisposição.[8]

Cargos[editar | editar código-fonte]

  • Presidente da Comissão da Ética para as Ciências da Vida (CNECV) (20 de novembro de 1996 a 20 de novembro de 2001).[9]
  • Presidente da Sociedade Portuguesa de Genética (no período de 1978 a 1981).[10]
  • Coordenador do Centro de Investigação em Genética Molecular Humana (no período de 1991 a 2000).[11]
  • Presidente da Comissão de Avaliação Externa das licenciaturas em Biologia das Universidades Portuguesas (no período de 2000 a 2001).[4]

Prémios[editar | editar código-fonte]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Transformação Genética em Células Sincronizadas de Bacillus subtilis (Porto: Imprensa Portuguesa, 1968)
  • Bacterial Transformation (London: Academic Press, 1973)
  • Genética Molecular (Lisboa: Editorial Brotéria, 1976)
  • Temas Biológicos e Problemas Humanos (Lisboa: Editorial Brotéria, 1981)
  • La Amenaza de la Biologia (Madrid: Editorial Pirâmide, 1983)
  • Perspectives in Biotechnology, (New York: Plenum Press, 1987). Livro publicado em co-autoria com J. Duarte, A.  Bull e G. Holt.
  • Desafios da Nova Genética (Lisboa: Editorial Brotéria, 1992)
  • Bioética (Lisboa: Verbo, 1996). Livro publicado em co-autoria com Jorge Biscaia e Walter Osswald.
  • Novos Desafios à Bioética (Porto: Porto Editora, 2001). Livro publicado em co-autoria com Jorge Biscaia, Walter Osswald e Michel Renaud.
  • Da Genética à Bioética (Coimbra: Gráfica de Coimbra 2, 2006).
  • Obra Selecta do Padre Luís Archer, S.J. Volume I: História e Filosofia das Ciências (Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2015)
  • Obra Selecta do Padre Luís Archer, S.J. Volume II: Ciência e Religião (Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2016)
  • Obra Selecta do Padre Luís Archer, S.J. Volume III: Bioética (1980-1997) (Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2017)
  • Obra Selecta do Padre Luís Archer, S.J. Volume IV: Bioética (1998-2007) (Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2017)

Referências

  1. Malta Romeiras, Francisco (2013). «The emergence of molecular genetics in Portugal: the enterprise of Luís Archer S.J.» (PDF). Archivum Historicum Societatis Iesu. LXXXII (164): 501-512. ISSN 0037-8887 
  2. Malta Romeiras, Francisco (2015). Ciência, Prestígio e Devoção: Os Jesuítas e a Ciência em Portugal (séculos XIX e XX). Cascais: Lucerna. ISBN 9789898516923 
  3. a b c d e f «Luís Archer: "Padre de coração, cientista de profissão"». ALERT Life Sciences Computing. 23 de janeiro de 2009. Consultado em 17 de dezembro de 2010 
  4. a b c d e f «Igreja distingue o cientista e padre Luís Archer». Paroquias.org. 19 de junho de 2006. Consultado em 17 de dezembro de 2010 
  5. Casa de Sarmento (outubro de 1982). «Seminário de Estudos Humanísticos» (pdf). Universidade do Minho. Consultado em 17 de dezembro de 2010 
  6. Malta Romeiras, Francisco (2015). Ciência, Prestígio e Devoção: Os Jesuítas e a Ciência em Portugal (séculos XIX e XX). Cascais: Lucerna. ISBN 9789898516923 
  7. Presidência da República Portuguesa. Ordens.presidencia.pt http://www.ordens.presidencia.pt/  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  8. «Luís Archer faleceu este sábado em Lisboa». Jornal de Notícias. Jn.pt. Consultado em 10 de setembro de 2011 
  9. «Historial do CNECV». Cnecv.pt. Consultado em 17 de dezembro de 2010 
  10. Miguel Mota. «A SOCIEDADE PORTUGUESA DE GENÉTICA». Miguelmota.planetaclix.pt. Consultado em 17 de dezembro de 2010 
  11. «Centro de Investigação em Genética Molecular». Cigmh.unl.pt. Consultado em 18 de dezembro de 2010 
  12. «Classe de Ciências/ Efectivos». Academia das Ciências de Lisboa. Consultado em 17 de dezembro de 2010 
  13. «European Academy of Sciences and Arts/Members» (em inglês). European Academy of Sciences and Arts. Consultado em 17 de dezembro de 2010 
  14. «Antigos Estudantes Ilustres da Universidade do Porto». Universidade do Porto. Consultado em 17 de dezembro de 2010 
  15. «Prémio Nacional de Bioética 2008 atribuído a Luís Archer». Jornal Público. Publico.pt. 11 de dezembro de 2008. Consultado em 18 de dezembro de 2010 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]