Luís Eulálio de Bueno Vidigal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde Outubro de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Luís Eulálio de Bueno Vidigal
Nascimento 4 de fevereiro de 1911
São Paulo
Morte 1995 (84 anos)
Cidadania Brasil
Progenitores Pai:Gastão Vidigal
Filho(s) Luís Eulálio de Bueno Vidigal Filho
Alma mater Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo
Ocupação advogado, empresário, professor universitário, jurista
Empregador Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo

Luís Eulálio de Bueno Vidigial (São Paulo, 4 de fevereiro de 19111995) foi um jurista brasileiro, professor catedrático na Faculdade de Direito do Largo São Francisco, empresário e advogado.

Filho de Gastão Vidigal e Maria Amélia Bueno, fez o curso primário, no período de 1918 a 1922, no Ginásio de Nossa Senhora do Carmo, e de 1922 a 1928 cursou o Ginásio de Estado, da capital.

Em 1928 matriculou-se na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, recebendo o grau de bacharel em 1932. Foi então professor de Geografia e exerceu depois os cargos de inspetor do ensino secundário, secretário geral e consultor jurídico do Sindicato dos Bancos.

Em outubro de 1940 fez seu primeiro concurso para livre-docente de Direito Judiciário Civil (atual Direito Processual Civil) e, aprovado, recebeu o grau de doutor em Direito. Em agosto de 1953, participou de concurso para professor catedrático da mesma disciplina, sendo classificado em primeiro lugar.

No período de 1963 a 1966 foi diretor da Faculdade de Direito. Em março de 1973, foi-lhe conferido o título de professor emérito.

Em 15 de agosto de 1958, juntamente com Alfredo Buzaid, José Frederico Marques, Cândido Rangel Dinamarco,Galeno Lacerda e outros, fundou o Instituto Brasileiro de Direito Processual Civil - IBDPC (hoje o Instituto Brasileiro de Direito Processual - IBDP), onde foi secretário-geral.

Foi conselheiro da Sociedade Brasileira de Cultura Inglesa, membro do Conselho da Ordem dos Advogados do Brasil e do Instituto dos Advogados de São Paulo.

Após sua aposentadoria, aos 70 anos, passou a atuar principalmente como advogado e empresário, com especial enfoque no cargo de presidente da Cobrasma.

Principais Obras Publicadas[editar | editar código-fonte]

  • Possui vários artigos publicados na Revista da Faculdade de Direito, Revista dos Tribunais e Revista Forense.
  • Da execução direta das obrigações de prestar declaração de vontade: dissertação para concurso à cadeira de direito judiciário civil da Faculdade de Direito da USP. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1940.
  • Da ação rescisória dos julgados. São Paulo: Saraiva, 1948.
  • Da imutabilidade dos julgados que concedem mandado de segurança: dissertação de concurso à cadeira de direito judiciário civil da Faculdade de Direito da USP. São Paulo: s.c.p., 1953.
  • Do mandado de segurança. São Paulo: s.c.p., 1953.
  • Existe direito de ação? Revista de Direito Processual Civil, São Paulo, v. 5, p. 7-12,1962.
  • Direito processual civil. São Paulo: Saraiva, 1965.
  • Comentários ao Código de Processo Civil: vol.VI - arts. 485 a 495. 2ª ed., São Paulo: Saraiva, 1976.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Luís Antônio da Gama e Silva
Diretor da Faculdade de Direito da USP
1963 a 1966
Sucedido por
Alfredo Buzaid