Luís Filipe Costa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Luís Filipe Costa
Nome completo Luís Filipe Correia da Costa
Nascimento 18 de março de 1936 (81 anos)
Lisboa, Portugal
Nacionalidade português
Ocupação realizador, jornalista
Luís Filipe Costa (em inglês) no Internet Movie Database

Luís Filipe Correia da Costa ComL (Lisboa, 18 de Março de 1936) é um jornalista e realizador de televisão português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Luís Filipe Costa nasceu a 18 de Março de 1936 em Lisboa.

Casado segunda vez desde 1990 com a actriz Isabel Medina, é pai do realizador Pedro Costa.[1][2]

Vida profissional e prémios[editar | editar código-fonte]

Trocou o curso da Faculdade de Economia por uma carreira profissional na rádio. Dirigiu o Serviço de Noticiários do Rádio Clube Português (RCP) que, na década de 60, revolucionou o jornalismo radiofónico em Portugal.

Participou voluntariamente no 25 de Abril lendo, ao microfone do RCP, os comunicados do Movimento das Forças Armadas.

Depois do 25 de Abril, transferiu a sua actividade para a RTP onde realizou filmes de ficção, documentários e peças de teatro. O filme Morte d'Homem recebeu em 1988 o Grande Prémio do Festival de Cinema para Televisão de Chianchino (Itália) e o 2.º Prémio do Festival Internacional de Cinema da Figueira da Foz.

A série documental Há só uma Terra, que introduziu o tema da ecologia na programação da televisão portuguesa, foi distinguida com o Prémio da Crítica do Diário de Lisboa.

É autor dos romances A Borboleta na Gaiola e Agora e na Hora da sua Morte.

É um dos entrevistados do livro Contas à Vida - Histórias do Tempo que Passa (2005, Sete Caminhos) escrito por Viriato Teles.

Filmografia (televisão)[editar | editar código-fonte]

  • Uma Cidade Como a Nossa(1981, Série, 4 episódios)[1]
  • Arco Íris (1982, Série)[1]
  • Arroz Doce (1985, Série)[1]
  • Jaz Morto e Arrefece (1989)[1]
  • Só Acontece aos Outros (1985)[1]
  • Happy End (1985)[1]
  • Quando as Máquinas Param (1985)[1]
  • A Borboleta na Gaiola (1987)[1]
  • Era Uma Vez Um Alferes (1987)[1]
  • Morte D'Homem (1988)[1]
  • Muito Tarde para Ficar Só (1988)[1]
  • Uma Outra Ordem (1991)[1]
  • Terra Instável (1991, Série)[1]
  • Um Crime Perfeito (1992)[1]
  • Uma Mulher Livre (1992)[1]
  • Os Contos do Mocho Sábio (1992, Série)[1]
  • Comédia de Camas (1993)[1]
  • Mistérios de Lisboa (1996)[1]
  • Estúdio Um (1997, Mini-série)[1]
  • Fuga (1999)[1]
  • Raul Solnado - O Estado da Graça (2002, documentário)[1]
  • Mel Azedo
  • Em Lisboa Uma Vez
  • Década de Setenta
  • Resistência
  • Há Só Uma Terra
  • O Pai (1997)
  • Jaz Morto e Arrefece
  • Crimes Pré-Feitos
  • José Viana
  • Bernardo Santareno

Encenações Teatrais[editar | editar código-fonte]

Livros[editar | editar código-fonte]

Prémio e distinções[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v Luís Filipe Costa (em inglês) no Internet Movie Database. Página visitada em 2014-05-23.
  2. Isabel Medina (em inglês) no Internet Movie Database. Página visitada em 2014-05-23.
  3. a b «Pesquisa : registos para: Costa, Luís Filipe, 1936-». PORBASE - Base Nacional de Dados Bibliográficos. Consultado em 22 de maio de 2014 
  4. «Prémio de consagração de carreira da SPA para Luís Filipe Costa». Sociedade Portuguesa de Autores. 12 de maio de 2011. Consultado em 23 de maio de 2014 
  5. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Luís Filipe Costa". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 23 de maio de 2014 
  6. «Actualidade : Agraciamentos : Condecorações atribuídas pelo Presidente da República na Cerimónia Comemorativa do 25 de Abril». Presidência da República Portuguesa. 20 de abril de 2011. Consultado em 23 de maio de 2014 
Ícone de esboço Este artigo sobre um radialista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre um cineasta é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.