Luís Lucas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta biografia de uma pessoa viva não cita as suas fontes ou referências, o que compromete sua credibilidade. (desde maio de 2016)
Ajude a melhorar este artigo providenciando fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Luís Lucas
Nome completo Luís Filipe de Almeida Lucas
Nascimento 19 de junho de 1952 (65 anos)
Lisboa
Nacionalidade português
Ocupação Ator
IMDb: (inglês)

Luís Lucas (Luís Filipe de Almeida Lucas, Lisboa, 16 de junho de 1952) é um actor português.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Lucas passou a sua infância no Cartaxo, onde o seu pai era proprietário da farmácia local à época. Este desejava que o filho seguisse também a carreira de farmacêutico, o que não aconteceu. Frequentou o Curso Superior de Formação de Actores. Foi membro fundador do grupo Comuna - Teatro de Pesquisa, com o qual participou em vários festivais internacionais de Teatro. Trabalhou nos Cómicos, Teatro da Cornucópia, Produções Teatrais Lda., Teatro da Graça e Projecto Intercidades.

Trabalhou em vários filmes e séries de televisão desde a década de 70.

Em 2010, participa em "O Dia dos Prodígios", de Lídia Jorge e encenada por Cucha Carvalheiro, onde contracena com grandes actores portugueses como Elisa Lisboa ou Maria Emília Correia.

Entre os muitos filmes que rodou, contam-se Alexandre e Rosa (1978) de João Botelho, Passagem ou Meio Caminho (1980) de Jorge Silva Melo, Dina e Django (1981) de Solveig Nordlund, Niguém Duas Vezes (1984) de Jorge Silva Melo, Le Soulier de Satin (1985) de Manoel de Oliveira, Notre Marriage (1984) de Valeria Sarmiento, Das Autogramm (1984) de Peter Lilienthal, Um Adeus Português (1986) de João Botelho, Saudadades para Dona Genciana (1986) de Eduardo Geada, O Bobo (1987) de José Álvaro Morais, Non ou a Vã Glória de Mandar (1990) de Manoel de Oliveira, Rosa Negra (1982) de Margarida Gil, Longe da Vista (1998) de João Mário Grilo, Camarate (2001) e A Passagem da Noite (2002) de Luís Filipe Rocha, Dot.com (2007) de Luís Galvão Teles, Suicídio Encomendado (2007) de Artur Serra Araújo, a curta-metragem O Avô (2014) de André Marques ou Beatriz - Entre a Dor e o Nada (2014) do brasileiro Alberto Graça.

Luís Lucas participou em dezenas de series, mini-séries, tele-filmes e novelas portuguesas e estrangeiras como Duarte e Companhia, Cinzas, Riscos, Médico de Família, Jornalistas, O Bairro da Fonte, Querido Professor, Ganância, Um Estranho em Casa, Fúria de Viver, O Olhar da Serpente. Une Famille Formidable, Até Amanhã Camaradas, Equador, Deixa que te Leve, Perfeito Coração, República, Liberdade 21, E Depois do Adeus, Odysseus, Os Nossos Dias, O Beijo do Escorpião ou Coração d'Ouro. Entre 2007 e 2011 foi o narrador da série Conta-me Como Foi.

Participou também em várias dobragens de animação como A Demanda do R, Green Lantern e Miraculous: As Aventuras de Ladybug.

Trabalhos[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Dobragens[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um ator é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.