Luís Miguel Rocha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde abril de 2015). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Luís Miguel Rocha
Data de nascimento fevereiro de 1976
Local de nascimento Porto, Portugal
Nacionalidade Portugal Português
Data de morte 26 de março de 2015 (39 anos)
Local de morte Mazarefes, Portugal
Ocupação Escritor
Magnum opus O Último Papa
Página oficial http://www.luismiguelrocha.com/

Luís Miguel Rocha (Porto, fevereiro de 1976 - Mazarefes, 26 de Março de 2015) foi um escritor português que se tornou bestseller do New York Times em 2009 [1].

Foi estudante de Humanidades até ao 12º ano. Começou a sua vida profissional como técnico da produtora que era responsável pelas missas da TVI, aos vinte anos de idade. Supervisionou guiões para produtores ingleses e nacionais e foi tradutor de livros e contos já publicados. Actualmente, dedica-se apenas à escrita.

Os seus livros são sucessos internacionais. Em O Último Papa, expõe uma teoria sobre a misteriosa morte de Albino Luciani, o Papa João Paulo I, envolvendo a loja maçónica italiana Propaganda Due (Loja P2, Propaganda Dois) e outras agências secretas internacionais, como a CIA.

Na sequela deste livro, Bala Santa, Luís Miguel Rocha mostra uma outra tese, desta vez relacionada com o atentado a Karol Wojtyła, o Papa João Paulo II.

Luis Miguel Rocha faleceu de doença prolongada em 26 de Março de 2015. Tinha 39 anos[1] .

Obras[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Morreu o escritor Luís Miguel Rocha Radio Renascença (26 de Março de 2015). Visitado em 26 de Março de 2015.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre a biografia de um(a) escritor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.