Luís Piçarra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde março de 2015). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Luís Raul Janeiro Caeiro de Aguilar Barbosa Piçarra Valdeterazzo y Ribadenayra, mais conhecido como Luís Piçarra ComIH (Santo Agostinho, Moura, 23 de junho de 1917 - Lisboa, 23 de setembro de 1999), foi um cantor português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de Luís da Costa de Aguilar Barbosa Piçarra e Luísa Maria Caeiro. Seu pai grande proprietário , possuía terras em Moura, Oeiras e Carcavelos. Pelo seu avó materno Manuel Caeiro Gonzalez descendia do irmão do 1º Marquês de Valdeterrazo, que foi Presidente do Conselho de Ministros de Espanha (1840-1841).

Ficou conhecido principalmente por ter sido autor do segundo e atual hino do Sport Lisboa e Benfica, "Ser Benfiquista".

Frequentou os dois primeiros anos de Arquitetura da Escola Superior de Belas Artes de Lisboa, que interrompeu em 1937.

Simultaneamente teve lições de canto com o barítono D. Fernando de Almeida e a cantora lírica Hermínia de Alagarim. Em 3 de Julho de 1937 estreia-se em público na Academia dos Amadores de Música de Lisboa, onde interpreta Vários trechos da ópera "Rigoletto" de Verdi, obtendo críticas muito favoráveis na imprensa.

Foi o ponto de partida de uma carreira de sucesso, em que viria a cantar na maior parte das salas de espetáculo país. Interpretou para além de ópera, sobretudo opereta e teatro de revista e concertos. Estreou-se no cinema no cinema em 1940 no filme "Pão Nosso", de Armando de Miranda, onde cantou pela primeira vez " O meu Alentejo" Em 1945 parte para o Brasil onde Permanece durante mais de dois anos e inicia uma carreira internacional que o levaria a Itália (Milão e Roma,) Suíça, Egito ( Alexandria e Cairo) Líbano, e depois , num dos pontos mais altos da sua carreira, Paris onde em 1950 e 1951, é cabeça de cartaz da opereta " Colorado " no principal teatro de opereta da época o Gaité- Lyrique . À margem das lides teatrais o tenor português atua numa série de programas do show "This is Europe" organizados pela ECA, agência encarregada de aplicar o Plano Marshall, onde participa ao lado Edith Piaf. Os programas eram difundidos de Paris para os EUA e daí retransmitidos por centenas de Emissoras.Erro de citação: Código <ref> inválido; refs sem conteúdo devem ter um parâmetro de nome

No dia 23 de abril de 1964 realizou-se no Pavilhão dos Desportos, em Lisboa, um espetáculo de homenagem aos seus 25 anos de carreira.

A 9 de Novembro de 1985 foi feito Comendador da Ordem do Infante D. Henrique.[1]

No ano de 1987 foi lançado o livro "Luís Piçarra instantâneos da minha vida" em edição de autor.

Em 1996 foi lançado uma compilação na série "Caravela" com os temas "Granada", "Avril Au Portugal", "Canção do Ribatejo", "Caminho Errado", "Anda Cá", "Aninhas", "Batalha", "Guitarra da Mouraria", "Morena da Raia", "Santa Maria dos Mares", "Ser Benfiquista" e "O Meu Alentejo".

Faleceu em Lisboa, a 23 de setembro de 1999.

Referências

  1. Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas Presidência da República Portuguesa. Visitado em 2015-02-28. "Resultado da busca de "Luís Piçarra"."

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • " Luís Piçarra A Voz Imensa" de Alberto de Carvalho , Lisboa Edições Colibri 2010. ISBN:  978-989-689-005-6
  • Biografia no site Cotonete
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) cantor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.