Luís Viana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Luís Viana (desambiguação).
Luís Viana
Deputado provincial pela Bahia
Período 1872 até 1875
Senador pela Bahia
Período 15 de novembro de 1891
até 6 de março de 1896
Período 2 de novembro de 1912
até 6 de julho de 1920
Governador pela Bahia
Período 7 de março de 1896
até 28 de maio de 1900
Antecessor(a) Rodrigues Lima
Sucessor(a) Severino Vieira
Dados pessoais
Nome completo Luiz Vianna
Nascimento 30 de novembro de 1846
Casa Nova
Morte 6 de julho de 1920 (73 anos)
Oceano Atlântico
Nacionalidade brasileiro
Progenitores Mãe: Inês Ribeiro Viana
Pai: José Manuel Viana
Alma mater Faculdade de Direito do Recife
Cônjuge Joana Gertrudes Viana
Filhos Luís Viana Filho
Partido Partido Republicano Federalista da Bahia
Religião Católico
Ocupação Político e magistrado
linkWP:PPO#Brasil

Luís Viana, nascido Luiz Vianna (Casa Nova, 30 de novembro de 1846Oceano Atlântico, 6 de julho de 1920) foi um político e magistrado brasileiro.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de José Manuel Viana e Inês Ribeiro Viana, diplomou-se em direito pela Faculdade de Direito do Recife em ano 1870. Foi nomeado promotor de Justiça em Xique-Xique.[1]

Em 1881 foi transferido para Santa Cristina do Pinhal, depois para Viamão, no Rio Grande do Sul, retornando pouco tempo depois à Bahia, na função de juiz, em Mata de São João, e depois na capital, onde chegou a ser Conselheiro (atual Desembargador) do Tribunal de Apelação, do qual foi Presidente.

Na política participou da constituinte estadual republicana, como Senador Provincial, presidindo a casa.[1] Foi eleito governador, e depois afastou-se da vida pública, à qual retornou em 1911, elegendo-se Senador da República, em 1911.[1]

Constitui-se um caso raro de personalidade que exerceu os três poderes, em graus variados: Judiciário, Legislativo e Executivo.[carece de fontes?]

Foi pai do também governador da Bahia, Luís Viana Filho. Morreu a bordo do navio "Limburgia", em viagem à Europa.[1]

Governo da Bahia[editar | editar código-fonte]

Conselheiro Luís Viana

Foi durante o governo de Luís Viana que ocorreu a Guerra de Canudos, conflito que afetou negativamente a popularidade dele como governador.[1] Seu governo foi visto como fraco para lidar com o problema e, por isso, ele pediu ajuda federal para intervir em Canudos.[1]

Entretanto, as forças estaduais - assim como as primeiras federais enviadas para combater Antônio Conselheiro - foram fragorosamente derrotadas.[1] Por conta deste insucesso, a imprensa local chegou a acusar o governador de monarquista - o que agravava ainda mais a necessidade de resposta dos poderes públicos, ao suposto levante civil sertanejo.

Procurou reunir um secretariado composto dos maiores expoentes do Estado, dentre os quais Sátiro Dias, Guilherme Moniz e Augusto Brandão.

Durante uma breve ausência, em viagem à capital do país, foi substituído pelo Presidente do Senado Estadual, José Aquino Tanajura.

Era integrante do Partido Republicano Federal da Bahia, partido que foi criado após o rompimento entre Viana e José Gonçalves, principal político do Partido Republicano Federalista no estado.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Luís Viana

Referências

  1. a b c d e f g h i «VIANA, Luís» (PDF). CPDOC. Consultado em 12 de abril de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Rodrigues Lima
Governador da Bahia
1896 — 1900
Sucedido por
Severino Vieira