Luís de Barros (Portugal)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Luís de Barros
Nascimento 14 de outubro de 1941 (78 anos)
Angeja
Morte 20 de novembro de 2019 (78 anos)
Nacionalidade Portugal Portuguesa
Ocupação Jornalista

Luís de Barros (Angeja, Albergaria-a-Velha, 14 de outubro de 1941 - Lisboa, 20 de novembro de 2019) foi um jornalista português.

Frequentou a Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Iniciou a atividade jornalística em 1968 no jornal A Capital.

Foi subchefe de redção do Expresso e diretor do Diário de Notícias, durante o conturbado PREC. No Verão de 1975, estava Barros de férias, e sendo diretor-adjunto José Saramago, foram saneados 24 jornalistas que tinham reclamado contra a falta de pluralismo ideológico no jornal, marcadamente pró-comunista.[1]

Também foi chefe de redação de O Diário e da agência Novosti.

Foi editor do Diário Económico.

Presidente do Sindicato dos Jornalistas em 1973 e 1974, depois do 25 de Abril, foi Subsecretário de Estado da Comunicação Social nos II e III Governos provisórios.

Foi casado com a escritora Maria Teresa Horta desde a década de 1960. Tiveram um único filho, Luís Jorge Horta de Barros (4 de abril de 1965), casado com Maria Antónia Martins Peças Pereira, com dois filhos, Tiago e Bernardo Barros.

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.