Luís de Lima Brito e Nogueira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Luís de Lima)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde março de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Dom Luís de Lima Brito e Nogueira, 1.° conde dos Arcos (c. 160026 de junho de 1647).

Filho de D. Lourenço de Lima Brito Nogueira, 6.º visconde de Vila Nova de Cerveira, e de Luísa de Távora; irmão de D. João Fernandes de Lima, 1.º marquês de Tenório, e de D. Diogo de Lima Brito e Nogueira, 7.º visconde de Vila Nova de Cerveira.

Foi feito visconde por Filipe III de Espanha, por carta de 8 de fevereiro de 1620.

Casou-se com Vitória de Cardaillac e Bourbon, dama de D. Maria Francisca Isabel de Saboia, com a qual teve três filhos, entre eles D. Lourenço Maria de Lima Brito Nogueira, 2.º conde dos Arcos. Deste casamento descendem a Casa dos Arcos, d'Angeja, de Valadares, de Marialva e de Cascais, senhores de Ílhavo.

Alexandre de Gusmão escreveu uma «Genealogia Geral para desvanecer a opinião dos senhores fidalgos portugueses que se dizem puritanos». Explica-se: no século XVII se estendeu sobre muitas famílias, em especial as nobres, a suspeita de infecção de sangue, por alianças matrimoniais com mulheres de origem judaica; estabeleceu-se então entre as de prosápia mais fidalga a distinção das puritanas, que não aceitavam alianças com as de geração viciada. A estas pertenciam, por exemplo notório, as Casas d'Alegrete, de Valença e d'Angeja.

Para melhor fixar a distinção, seus promotores criaram, sob D. Pedro II, uma Confraria da Nobreza fundada com o pretexto da expiação ao desacato de Santa Engrácia, atribuído aos judeus, e por cujos estatutos se obrigavam os irmãos a provarem a qualidade de cristãos-velhos, fora de toda a dúvida.