Luc Montagnier

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Luc Montagnier
Luc Montagnier, em 2008
Conhecido(a) por Descoberta do HIV
Nascimento 18 de agosto de 1932
Chabris
Morte 8 de fevereiro de 2022 (89 anos)
Residência França
Nacionalidade Francês
Prêmios Prêmio Körber de Ciência Europeia (1986), Prêmio Scheele (1986), Prêmio Louis-Jeantet de Medicina (1986), Prêmio Japão (1988), Prêmio de Medicina A.H. Heineken (1994), National Inventors Hall of Fame (2004), Nobel de Fisiologia ou Medicina (2008)
Instituições Instituto Pasteur, Universidade de Shanghai Jiao Tong
Campo(s) Medicina e virologia

Luc Montagnier (Chabris, 18 de agosto de 19328 de fevereiro de 2022) foi um virologista e médico francês.

Pesquisas[editar | editar código-fonte]

Em 1983, descobriu com a sua equipa, nos laboratórios do Instituto Pasteur, o retrovírus da Síndrome da imunodeficiência adquirida, inicialmente designado LAV, e que em 1986 recebeu o nome de VIH-HIV. A descoberta foi relatada na mesma edição de maio da revista Science na qual Robert Gallo relatou descobrir o "Vírus linfotrópico da célula T humana 3" (HTLV-III). Após quatro anos de disputa, em 1987 eles aceitaram compartilhar o mérito de descobrir o HIV.[1]

Foi galardoado com o Nobel de Fisiologia ou Medicina de 2008.

Polêmicas[editar | editar código-fonte]

Em 2009 fez um experimento diluindo DNA dezoito vezes e captando sinais eletromagnéticos para defender a eficácia da homeopatia.[2] Suas afirmações foram amplamente criticadas pela comunidade científica. Classificado como estudo de baixa qualidade não é capaz de refutar os grandes estudos duplo-cegos revisados e de alta qualidade que deixam clara a ineficácia da homeopatia no tratamento de doenças comuns.[3]

Em 2012, Montaigner foi um dos palestrantes na conferência de um grupo anti-vacinas em Chicago, onde ele promoveu uma nova cura para o autismo baseada em conceitos sem comprovação científica, tendo sido fortemente criticado pelo cientista Steven Salzberg.[4]

Em abril de 2020, Montagnier afirmou que o coronavírus causador da COVID-19, foi fabricado acidentalmente no Instituto de Virologia de Wuhan em uma tentativa de criar uma vacina para a AIDS.[5] As conclusões de Montagnier foram rejeitadas e consideradas apressadas pela comunidade científica, seus argumentos amplamente refutados.[6]

Devido a estas e outras afirmações contrárias à melhor evidência científica, Montagnier é frequentemente citado como um exemplar de caso do fenômeno conhecido como Doença do Nobel.[7][8][9]

Luc Montagnier no Parlamento Europeu[editar | editar código-fonte]

Luc Montagnier esteve no Parlamento Europeu, no dia 1 de Abril de 2009, no âmbito da conferência dedicada ao "Futuro da investigação biomédica no século XXI". Em entrevista exclusiva ao sítio oficial do Parlamento Europeu, o médico francês referiu que "o principal objectivo [da investigação científica do VIH deve ser a criação de uma vacina terapêutica, não nos devemos centrar na vacina preventiva".[10]

Morte[editar | editar código-fonte]

Montagnier morreu em 8 de fevereiro de 2022, aos 89 anos de idade.[11]

Publicações[editar | editar código-fonte]

Luc Montagnier é autor ou coautor de 350 publicações científicas e mais de 750 patentes.[12]

  • Luc Montagnier, Des Virus et des hommes, Odile Jacob, 1994, 300 p.
  • Luc Montagnier, Sida et société française, La Documentation française, 1994
  • Luc Montagnier, R.Daudel, Le Sida, Flammarion, coll. « Dominos », 1994
  • Luc Montagnier, Les Combats de la vie, Jean-Claude Lattès, 2008
  • Luc Montagnier, Michel Niaussat et Philippe Harrouard, Le Nobel et le Moine : dialogues de notre temps, Libra Diffusio, 2009
Seleção de artigos
  • (en) Brule F, Khatissian E, Benani A, Bodeux A, Montagnier L, Piette J, Lauret E, Ravet E., « Inhibition of HIV replication: a powerful antiviral strategy by IFN-beta gene delivery in CD4+ cells. », Biochem Pharmacol, vol. 6, no 74,‎ 15 septembre 2007, p. 898-910
  • (en) Ahuja SK, Aiuti F, Berkhout B, Biberfeld P, Burton DR, Colizzi V, Deeks SG, Desrosiers RC, Dierich MP, Doms RW, Emerman M, Gallo RC, Girard M, Greene WC, Hoxie JA, Hunter E, Klein G, Korber B, Kuritzkes DR, Lederman MM, Malim MH, Marx PA, McCune JM, McMichael A, Miller C, Miller V, Montagnier L, Montefiori DC, Moore JP, Nixon DF, Overbaugh J, Pauza CD, Richman DD, Saag MS, Sattentau Q, Schooley RT, Shattock R, Shaw GM, Stevenson M, Trkola A, Wainberg MA, Weiss RA, Wolinsky S, Zack JA., « A plea for justice for jailed medical workers », Science, vol. 314, no 5801,‎ 10 novembre 2006, p. 924-5
  • (en) Gallo RC, Montagnier L., « The discovery of HIV as the cause of AIDS », N Engl J Med, vol. 24, no 349,‎ 11 décembre 2003, p. 2283-5
  • (en) Montagnier L., « Historical accuracy of HIV isolation », Nature Medicine, vol. 10, no 9,‎ octobre 2003, p. 1235
  • (en) Gallo RC, Montagnier L., « Historical essay. Prospects for the future », Science, vol. 298, no 5599,‎ 29 novembre 2002, p. 1730-1
  • (en) Montagnier L., « Historical essay. A history of HIV discovery », Science, vol. 298, no 5599,‎ 29 novembre 2002, p. 1727-8
  • (en) Salamon R, Marimoutou C, Ekra D, Minga A, Nerrienet E, Huët C, Gourvellec G, Bonard D, Coulibaly I, Combe P, Dabis F, Bondurand A, Montagnier L., « Clinical and biological evolution of HIV-1 seroconverters in Abidjan, Côte d'Ivoire, 1997-2000. », J Acquir Immune Defic Syndr., vol. 2, no 29,‎ 1er février 2002, p. 149-57
  • (en) Moureau C, Vidal PL, Bennasser Y, Moynier M, Nicaise Y, Aussillous M, Barthelemy S, Montagnier L, Bahraoui E., « Characterization of humoral and cellular immune responses in mice induced by immunization with HIV-1 Nef regulatory protein encapsulated in poly(DL-lactide-co-glycolide) microparticles », Mol Immunol, vol. 8, no 38,‎ janvier 2002, p. 607-18

Referências

  1. Hilts, Philip (13 November 1993). "U.S. Drops Misconduct Case Against an AIDS Researcher". New York Times.
  2. Dana Ullman, "Luc Montagnier, Nobel Prize Winner, Takes Homeopathy Seriously", Huffington Post, 30 January 2011
  3. Coghlan, Andy (12 de janeiro de 2011). «Scorn over claim of teleported DNA». New Scientist. Consultado em 6 de dezembro de 2021 
  4. Salzberg, Steven (27 de maio de 2012). «Nobel laureate joins anti-vaccination crowd at Autism One». Forbes. Consultado em 6 de dezembro de 2021 
  5. «Novo coronavírus foi fabricado acidentalmente em laboratório chinês, diz descobridor do HIV». 17 de abril de 2020 
  6. «French Nobel prize winner: 'Covid-19 was made in lab'». The Connexion. 20 de abril de 2020. Consultado em 6 de dezembro de 2021 
  7. Basterfield, Candice; Lilienfeld, Scott; Bowes, Shauna; Costello, Thomas (2020). «The Nobel disease: When intelligence fails to protect against irrationality». Skeptical Inquirer. 44: 32–37. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  8. Monteiro, João L (25 de maio de 2020). «Montagnier regressa às polémicas - agora o coronavírus». COMCEPT. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  9. Gorski, David (4 de junho de 2012). «Luc Montagnier and the Nobel Disease». Science Based Medicine. sciencebasedmedicine.org. Consultado em 13 de maio de 2020 
  10. Luc Montagnier: Entrevista exclusiva LA UNE
  11. «Le professeur Luc Montagnier est mort». Le Parisien (em francês). 10 de fevereiro de 2022. Consultado em 10 de fevereiro de 2022 
  12. «Luc Montagnier». Institut Pasteur (em francês). 4 de novembro de 2016. Consultado em 15 de maio de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Luc Montagnier
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) cientista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Precedido por
Mario Capecchi, Martin Evans e Oliver Smithies
Nobel de Fisiologia ou Medicina
2008
com Harald zur Hausen e Françoise Barré-Sinoussi
Sucedido por
Elizabeth Blackburn, Carol Greider e Jack Szostak