Luc Montagnier

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Luc Montagnier
Luc Montagnier, em 2008
Conhecido(a) por Descoberta do HIV
Nascimento 18 de agosto de 1932 (88 anos)
Chabris
Residência França
Nacionalidade Francês
Prêmios Prêmio Körber de Ciência Europeia (1986), Prêmio Scheele (1986), Prêmio Louis-Jeantet de Medicina (1986), Prêmio Japão (1988), Prêmio de Medicina A.H. Heineken (1994), National Inventors Hall of Fame (2004), Nobel prize medal.svg Nobel de Fisiologia ou Medicina (2008)
Instituições Instituto Pasteur, Universidade de Shanghai Jiao Tong
Campo(s) Medicina e virologia

Luc Montagnier (Chabris, 18 de agosto de 1932) é um virologista e médico francês.

Em 1983, descobriu com a sua equipa, nos laboratórios do Instituto Pasteur, o retrovírus da Síndrome da imunodeficiência adquirida, inicialmente designado LAV, e que em 1986 recebeu o nome de VIH-HIV. A descoberta foi relatada na mesma edição de maio da revista Science na qual Robert Gallo relatou descobrir o "Vírus linfotrópico da célula T humana 3" (HTLV-III). Após quatro anos de disputa, em 1987 eles aceitaram compartilhar o mérito de descobrir o HIV.[1]

Foi galardoado com o Nobel de Fisiologia ou Medicina de 2008.

Polêmicas[editar | editar código-fonte]

Em 2009 fez um experimento diluindo DNA dezoito vezes e captando sinais eletromagnéticos para defender a eficácia da homeopatia[2]. Suas afirmações foram amplamente criticadas pela comunidade científica. Classificado como estudo de baixa qualidade não é capaz de refutar os grandes estudos duplo-cegos revisados e de alta qualidade que deixam clara a ineficácia da homeopatia no tratamento de doenças comuns.[3]

Em 2012, em uma conferência sobre autismo em Chicago, ele defende que vacinas causam autismo e que os governos do mundo estão escondendo a verdade, causando nova onda de críticas da comunidade científica.[4]

Em abril de 2020, novamente contrariando o consenso científico, Luc Montagnier afirmou que o coronavírus causador da COVID-19, foi fabricado acidentalmente no Instituto de Virologia de Wuhan.[5] A comunidade científica refutou essa acusação, explicando que o COV-19 é o sétimo coronavírus a sofrer mutações para infectar humanos e os vírus naturalmente fazem mutações para se adaptar a novos hospedeiros.[6]

Luc Montagnier no Parlamento Europeu[editar | editar código-fonte]

Luc Montagnier esteve no Parlamento Europeu, no dia 1 de Abril de 2009, no âmbito da conferência dedicada ao "Futuro da investigação biomédica no século XXI". Em entrevista exclusiva ao sítio oficial do Parlamento Europeu, o médico francês referiu que "o principal objectivo [da investigação científica do VIH] deve ser a criação de uma vacina terapêutica, não nos devemos centrar na vacina preventiva".[7]

Referências

  1. Hilts, Philip (13 November 1993). "U.S. Drops Misconduct Case Against an AIDS Researcher". New York Times.
  2. Dana Ullman, "Luc Montagnier, Nobel Prize Winner, Takes Homeopathy Seriously", Huffington Post, 30 January 2011
  3. Andy Coghlan, "Scorn over claim of teleported DNA", New Scientist 12 January 2011, issue 2795
  4. https://www.forbes.com/sites/stevensalzberg/2012/05/27/nobel-laureate-joins-anti-vaccination-crowd-at-autism-one/#2a6570665c53
  5. «Novo coronavírus foi fabricado acidentalmente em laboratório chinês, diz descobridor do HIV». 17 de abril de 2020 
  6. https://www.cdc.gov/coronavirus/types.html
  7. Luc Montagnier: Entrevista exclusiva LA UNE

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Mario Capecchi, Martin Evans e Oliver Smithies
Nobel de Fisiologia ou Medicina
2008
com Harald zur Hausen e Françoise Barré-Sinoussi
Sucedido por
Elizabeth Blackburn, Carol Greider e Jack Szostak
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) cientista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.