Lucebert

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Lucebert
Nascimento 15 de setembro de 1924
Amsterdã
Morte 10 de maio de 1994 (69 anos)
Alkmaar
Cidadania Reino dos Países Baixos
Filho(s) Brecht
Ocupação poeta, pintor, litógrafo, escritor, autor, desenhista, fotógrafo
Prêmios
  • Prêmio P.C. Hooft (1967)
  • Prêmio Constantijn Huygens (1965)
  • Prêmio Literatura Holandesa (1983)
  • Prêmio Herman Gorter (1956)
  • Prêmio Jacobus van Looy (1990)
  • Prêmio Herman Gorter (1953)
  • Prêmio Herman Gorter (1962)
Movimento estético COBRA
Página oficial
http://lucebertstichting.nl/

Lucebert, pseudônimo de Lubertus Jakobus Swaanswijk (Amsterdã, 15 de setembro de 1924Alkmaar, 10 de maio de 1994) foi um poeta e artista plástico holandês considerado o principal poeta do grupo COBRA e um dos poetas holandeses modernos de mais difícil leitura.

Ele nasceu em Amsterdam em 1924. Ele entrou no Instituto de Artes e Ofícios em 1938 e participou na primeira exposição do grupo COBRA no Stedelijk Museum, Amsterdam em 1949.

Biografia[editar | editar código-fonte]

O talento de Lucebert foi descoberto quando ele começou a trabalhar para seu pai depois da escola. Após meio ano de escola de artes, optou por ficar sem-teto entre 1938 e 1947. Em 1947, um convento franciscano ofereceu-lhe um teto sobre sua cabeça, em troca de um enorme mural. Como as freiras não podiam apreciar seu trabalho, eles o pintaram inteiramente com tinta branca.

Ele pertencia ao movimento literário holandês De Vijftigers,[nota 1] que foi muito influenciado pelo movimento europeu de vanguarda COBRA. Os primeiros trabalhos de Lucebert mostram especialmente essa influência, e sua arte em geral reflete uma visão bastante pessimista da vida.

Sua forte personalidade atraiu muitos. Como poeta, ele lançou as bases para a inovação revolucionária na poesia holandesa.

A maioria de seus poemas foram coletados em Gedichten 1948-1965. Após esse período de composição poética, atua principalmente nas artes visuais conhecidas como figurativo - expressionista a partir dos anos 1960. Seu trabalho está sendo traduzido para o inglês em obras coletadas.[1] A frase de Lucebert "Alles van waarde is weerloos" ("Todas as coisas de valor são indefesas") em um prédio em Rotterdam.

Bem conhecida é sua linha " Alles van waarde is weerloos " do poema De zeer oude zingt ("O muito velho canta"). O adjetivo "weerloos" significa "indefeso", "incapaz de se defender", então o significado é "Todas as coisas de valor são indefesas". Essa linha foi colocada no topo do prédio de escritórios de uma seguradora em Rotterdam (perto da estação Blaak) em letras neon, incluindo seu nome, em algum momento da década de 1980 ou antes. Não foi o primeiro, mas é certamente o uso comercial mais proeminente da linha; hoje, mais três prédios da região o exibem em suas paredes. Da mesma forma, escrito na cidade '" Heel de wereld is mijn vaderland - Erasmus", "Todo o mundo é a minha pátria - Erasmus".

Lucebert morreu em 10 de maio de 1994 em Alkmaar, Holanda.

Lucebert também foi um notável ativista anti-apartheid.[2]

Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

"Todas as coisas de valor são indefesas.", frase famosa de Lucebert, em uma construção na cidade de Rotterdam.
  • 1951 - Triangel in de jungle / de dieren der democratie
  • 1952 - Apocrief / de analphabetische naam
  • 1952 - De amsterdamse school
  • 1953 - Van de afgrond en de luchtmens
  • 1955 - Alfabel
  • 1957 - Amulet
  • 1959 - Val voor vliegengod
  • 1965 - Mooi uitzicht & andere kurioziteiten
  • 1965 - Gedichten 1948-1965 (edição de Simon Vinkenoog)
  • 1972 - En morgen de hele wereld
  • 1974 - Verzamelde gedichten
  • 1974 - 'Ongebundelde gedichten'
  • 1981 - Oogsten in de dwaaltuin
  • 1982 - De moerasruiter uit het paradijs
  • 1989 - Troost de hysterische robot
  • 1993 - Na de helft van het leven
  • 1993 - Van de roerloze woelgeest
  • 1994 - Van de maltentige losbol
  • 2002 - Verzamelde gedichten
  • 2009 - Er is alles in de wereld (seleção de Ilja Leonard Pfeijffer)

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. De Vijftigers ("Aqueles dos anos cinquenta") foram um grupo vagamente conectado de escritores experimentais holandeses e belgas, que foi iniciado no final dos anos 1940 e também estavam ligados ao movimento Cobra . O grupo incluiu Hans Andreus, Lucebert (Lubertus Jacobus Swaanswijk), Simon Vinkenoog, Armando (Herman Dirk van Dodeweerd), Hugo Claus e Jan Hanlo, entre outros.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Lucebert | The Collected Poems: Volume 1 | Green Integer Books (the second volume is about to be published)». www.greeninteger.com. Consultado em 28 de setembro de 2017 
  2. «Apartheid. How whites grow big». Jan 1, 1982. Consultado em Jul 20, 2020 – via Flickr 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Lucebert