Luci Collin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou se(c)ção:
Luci Collin
Nome completo Luci Maria Dias Collin
Nascimento 1964 (54 anos)
Curitiba,  Brasil
Residência Curitiba - PR
Nacionalidade Brasil Brasileira
Ocupação Ficcionista, poeta e tradutora
Prémios Jabuti 2017 - poesia - 2o lugar
Género literário Romance, poesia conto
Movimento literário experimental
Magnum opus A palavra algo

Luci Collin (Curitiba, 1964) é uma ficcionista, poeta e tradutora brasileira. Tem 20 livros publicados até o presente.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascida em Curitiba, PR, em 1964, filha de mãe professora[1].

Graduou-se no Curso Superior de Piano/Performance (Escola de Música e Belas Artes do Paraná, 1985), no Curso de Letras português/inglês (Universidade Federal do Paraná, 1989), e no Bacharelado em Percussão clássica (Escola de Música e Belas Artes do Paraná, 1990). Concluiu o Mestrado em Letras/Literaturas de Língua Inglesa na UFPR (1993) com a dissertação "The quest motif in Snyder's The Back Country", o Doutorado em Estudos Linguísticos e Literários em Inglês na Universidade de São Paulo (2003) com a tese "A composição em movimento: a dinâmica temporal e visual nos retratos literários de Gertrude Stein" e dois estágios de Pós-doutoramento em Literatura Irlandesa na USP (2010 e 2017). É Professora Associada no Departamento de Letras Estrangeiras Modernas da UFPR, onde trabalha desde 1999. É Membro da Academia Paranaense de Letras ocupando a Cadeira n. 32.

Em 1984 lançou seu primeiro livro, Estarrecer (poesia), recebido com críticas muitos positivas, como as seguintes:

"Você tem talento demais e isso será reconhecido, estou certo, mais dia menos dia. Sem favor, sem delicadeza, sem charme, você é um Poeta. Com P grande... Foi uma alegria descobrir você. DIAS GOMES

"Minha opinião? Sincera? 'meu Deus ela tem 19 anos só?! que mulher, que mulher!" HENFIL

"Estou admirado com o nível técnico desta jovem poeta, nesta geração que pensa que qualquer coisa é poesia." PAULO LEMINSKI

Ao longo de mais de 30 anos de carreira, Luci Collin escreveu artigos e ensaios para diversos jornais e revistas literárias, participou de antologias nacionais e internacionais (EUA, França, Alemanha, México, Argentina, Peru, Uruguai), e recebeu prêmios de concursos de literatura no Brasil e nos EUA. Representou o Brasil no Projeto Literário no EXPO 2000 em Hannover, Alemanha. Também traduziu autores como Gary Snyder, Gertrude Stein, E. E. Cummings, Eiléan Ní Chuilleanáin, Vachel Lindsay, Jerome Rothenberg e Moya Cannon, entre outros.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • POESIA
  • Estarrecer (1984. Editora Astarte - Curitiba)
  • Espelhar (1991, editora SEEC- PR)
  • Esvazio (1991, edição do Autor)
  • Ondas Azuis (1992, edição do Autor)
  • Poesia Reunida (1996, editora Alcance - RS)
  • Todo Implícito (1997, editora Alcance/RS)
  • Trato de silêncios (2012, 7letras, Rio de Janeiro)
  • Querer falar (2014, 7 letras, Rio de Janeiro) - Finalista do Prémio Oceanos 2015.[2]
  • A palavra algo (2016, Editora Iluminuras, São Paulo - recebeu o Prêmio Jabuti 2016 - POESIA 2o lugar - )
  • Antologia poética 1984 - 2018 (2018, Curitiba - Kotter Editorial e São Paulo Ateliê Editorial)
  • CONTO
  • Lição Invisível (1997, editora SEEC - PR - Láurea Newton Sampaio)
  • Precioso Impreciso (2001, editora Ciência do Acidente - SP)
  • Inescritos (2004, editora Travessa dos Editores - Curitiba)
  • Vozes num Divertimento (2008,editora Travessa dos Editores - Curitiba)
  • Acasos Pensados (2008, editora Kafka Edições - Curitiba)
  • A árvore todas (2015, Editora Iluminuras, São Paulo)
  • A peça intocada (2017. Editora Arte & Letra - Curitiba)
  • ROMANCE
  • Com Que se Pode Jogar (2011, editora Kafka Edições - Curitiba)
  • Nossa Senhora D'Aqui (2015, editora Arte & Letra, Curitiba)
  • Papéis de Maria Dias (2018, editora Iluminuras, São Paulo) - romance adaptado por Edson Bueno para a peça teatral "Papéis de Maria Dias" - Teatro Guaíra - 2018 - Direção de Carolina Meinerz e Letícia Guimarães
  • PARTICIPAÇÃO EM ANTOLOGIAS
  • Anna Blume und zurück - Poetische Antworten auf An Anna Blume von Kurt Schwitters, Göttingen, Verlag, 2000.
  • PASSAGENS - Antologia de Poetas contemporâneos do Paraná - Seleção e Apresentação Ademir Demarchi - Curitiba, Coleção Brasil Diferente, SEEC, 2002.
  • Geração 90: os transgressores. Nelson de Oliveira (org.) São Paulo, Boitempo Editorial, 2003.
  • 25 mulheres que estão fazendo a nova literatura brasileira. Luiz Ruffato (org.) RJ, Record, 2004.
  • Poesia Sempre Ano 13 N. 22 , RJ, Biblioteca Nacional, 2006.
  • 90-00: cuentos brasileños contemporáneos, Maria Alzira Brum Lemos e Nelson de Oliveira (orgs), Peru, Ediciones Copé, 2009 e México, Universidad Veracruzana, 2012.
  • 48 contos paranaenses Luiz Ruffato (org.) Curitiba, BPP, 2014.
  • 101 poetas paranaenses. Antologia de escritas poéticas do século XIX ao XXI - Ademir Demarchi (org.) . Curitiba, BPP, 2014.
  • Translações - Literatura em trânsito. Assionara Souza (org.). Curitiba, FCC, 2014.
  • Pessoa. Littérature Brésilienne contemporaine. Leonardo Tonus (org.) France - Mombak, Ed. spéciale - Salon du Livre de Paris 2015.
  • Plurivozes americanas. Gisele Giandoni Wolkoff (Org.) Curitiba, CRV, 2015.
  • Blasfêmeas - mulheres de palavra Marília Kubota e Rita Lenira de Freitas Bittencourt, Porto Alegre, Casa Verde, 2016.
  • Ficcionais vol 2 - Escritores revelam o ato de forjar seus mundos. Pernambuco, CEPE, 2016.
  • Conversas de botequim - 20 contos inspirados em canções de Noel Rosa. Henrique Rogrigues e Marcelo Moutinho (orgs.). RJ, Mórula Editorial, 2017.

Referências

  1. Revista Cândido n.º 26 (Setembro de 2013). Um Escritor na Biblioteca - Luci Collin, pág. 6.
  2. http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2015/11/1704831-chico-buarque-e-glauco-mattoso-sao-finalistas-do-premio-oceanos-veja-lista.shtml

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

http://www.travessadoseditores.com.br/index.php?tras=secao.php&area=9&id=21

http://www1.folha.uol.com.br/ilustrissima/2016/01/1729906-a-linguagem-como-materia-em-luci-collin.shtml