Lucinha Turnbull

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lucinha Turnbull
Informação geral
Nome completo Lúcia Maria Turnbull
Nascimento 22 de abril de 1953 (64 anos)
Local de nascimento São Paulo,  São Paulo
 Brasil
Gênero(s) Rock and Roll, MPB
Instrumento(s) Vocal, guitarra, violão
Período em atividade 1973-1975 (Tutti Frutti)
1975-Atualmente
Gravadora(s) PolyGram
Emi-Odeon
Afiliação(ões) Rita Lee
Cilibrinas do Éden
Tutti Frutti
Gilberto Gil
Caetano Veloso
Made in Brazil

Lúcia Maria Turnbull, conhecida como Lucinha Turnbull (São Paulo, 22 de abril de 1953) é uma cantora, compositora e guitarrista brasileira.[1]

Lucinha Turnbull foi a primeira mulher a tocar guitarra no Brasil. Filha de pai escocês e mãe brasileira, aos 16 anos mudou-se para Londres, onde formou o grupo folk Solid British Hat Band. 
De volta ao Brasil em 1972 fez o show de abertura para os Mutantes no Teatro Oficina em São Paulo. Em seguida formou uma dupla com Rita Lee, as Cilibrinas do Éden, e participaram do Festival Phono 73, em São Paulo. Em 1973, passou a atuar como guitarrista e vocalista, ao lado de Rita Lee, no grupo Tutti Frutti, com o qual excursionou pelo Brasil. Em 1976, formou o grupo Bandolim e participou do musical "Rock Horror Show".[2] Reside em São Paulo no bairro da Lapa.

Em 1977 participou dos vocais de "Refavela" e "Refestança" com Gilberto Gil e Rita Lee. Ao longo de sua carreira, tocou e cantou em discos de Caetano Veloso ("Cinema transcendental"), Rita Lee ("Babilônia"), Moraes Moreira ("Lá vem o Brasil descendo a ladeira"), Guilherme Arantes ("Corações paulistas"), Erasmo Carlos ("Erasmo convida") e Luli e Lucina ("Luli e Lucinha"), entre outros. 


Lançou seu primeiro LP, "Aroma", produzido por Perinho Santana em 1979. Sua música "Bobagem (c/ Rita Lee) incluída no disco "Marginal", de Cássia Eller". Tem trabalhos com Suely Mesquita, Mauro Santa Cecília Mathilda Kóvak e Marcio Lomiranda.

Em 2017 se apresenta no SESC Bebezinho Lucia Turnbull & Banda e grava no programa "Metrópolis" da TV Cultura. Grava com o Scandurra.

Prêmios[editar | editar código-fonte]

  • 1974 - Melhor Guitarra Rítmica do Brasil dado pela "Revista Pop".

Ligações externas[editar | editar código-fonte]