Ludovico Manin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ludovico Manin
Doge de Veneza
Ludovico Manin, retrato de Bernadino Castelli.
Governo
Reinado 9 de março de 1789-10 de março de 1797
Consorte Elisabetta Grimani
Antecessor Paolo Renier
Sucessor Fim da República de Veneza
Dinastia Manin
Vida
Nascimento 14 de março de 1725
Veneza, República de Veneza
Morte 24 de outubro de 1802 (77 anos)
Veneza
Sepultamento Igreja de Santa Maria de Nazaré, Veneza
Pai Lodovico Alvise Manin
Mãe Maria Basadonna

Ludovico Manin (14 de Maio de 172524 de Outubro de 1802) foi o último Doge de Veneza. Governou a República de Veneza de 9 de Março de 1789 a 1797, quanto foi forçado a abdicar por Napoleão I de França.

Estudou na Universidade de Bolonha. Em 1787 conheceu o Papa Pio VI. Casou com Elisabetta Grimani, recebendo um dote de 45 001 ducados.

Doge[editar | editar código-fonte]

Villa Manin, em Passariano, onde o Tratado de Campoformio foi assinado.

Foi eleito Doge de Veneza em 9 de Março de 1789, cerca de um mês antes das agitações que conduziram à Revolução Francesa, logo no primeiro escrutínio (a assembleia eleitoral tinha 41 membros). A sua cerimónia de coroação tradicional exigia que atirasse moedas aos venezianos, o que custou mais de 458.197 liras, menos de um quarto das quais foi paga pelo Estado, e o resto do seu tesouro pessoal.

Quando Napoleão invadiu a península Itálica, a República de Veneza, tal como a República de Génova, não se juntaram à coligação de estados italianos formada em 1795, e mantiveram a neutralidade. Em 15 de Abril de 1797, Jean-Andoche Junot deu ao doge um ultimato que não foi aceite. Um aditamento secreto ao Tratado de Leoben, assinado em 17 de Abril de 1797, dava Veneza, a Ístria e a Dalmácia à Áustria. Em 25 de Abril de 1797, a armada francesa chegou ao Lido. Os canhões venezianos afundam um navio francês, mas não conseguem repelir a invasão. O Doge rendeu-se em 12 de Maio e deixou o Palácio do Doge dois dias depois.[1]

Em 16 de Maio, as tropas francesas entram na Praça de São Marcos e a rendição é formalmente assinada, submetendo Veneza à administração francesa. Pelo Tratado de Campoformio, a 17 de Outubro de 1797 a Áustria recebeu Veneza em troca do reconhecimento da República Cisalpina.

Manin morreu em 24 de Outubro de 1802 e está sepultado na igreja de Santa Maria de Nazaré.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • A. di Colloredo Mels, Ludovico Manin, Venezia 2003.
  • M. Massironi-Distefano. L'ultimo dei Dogi, Venezia 1986.

Referências

  1. MANIN, Lodovico Giovanni Dizionario Biografico degli Italiani - Volume 69 (2007)
Precedido por
Paolo Renier
Doge de Veneza (120.º)
1789 - 1797
Sucedido por
ninguém