Lugo (Galiza)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Lugo (Espanha))
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Espanha Lugo 
  Município  
Muralha romana de Lugo
Muralha romana de Lugo
Bandeira de Lugo
Bandeira
Brasão de armas de Lugo
Brasão de armas
Lugo está localizado em: Espanha
Lugo
Localização de Lugo na Espanha
Coordenadas 43° 1' N 7° 33' O
Comunidade autónoma Galiza
Província Lugo
Fundação século I a.C.
 - Alcaide Xosé Clemente López Orozco (PSdG)
Área
 - Total 332 km²
Altitude 465 m
População (2016) [1]
 - Total 98 268
    • Densidade 296 hab./km²
Gentílico lucense
luguês, sa
Código postal 27001 - 27004
Sítio lugo.gal

Lugo (em latim Lucus Augusti) é um município e cidade da Galiza, Espanha. É capital da província de Lugo e da comarca homónima. O município tem 332 km² de área e em 2016 tinha 98 268 habitantes (densidade: 296 hab./km²).[1] É o segundo município mais extenso da Galiza e o quarto mais populoso.

É uma cidade de origem celta e romana, no primeiro caso como um povoado em honra do deus Lug ou Lugh e depois fundada como acampamento militar do império em 25 a.C. [2] por Paulo Fábio Máximo. É a mais antiga da Galiza. Construída nas proximidades dum castro, na época romana recebeu o nome de Luco Augusto (em latim: Lucus Augusti). São testemunha dos seus primeiros anos de história os numerosos restos romanos, muitos deles conservados no Museu Provincial, e sobretudo a muralha romana, única no mundo que conserva todo o seu perímetro e declarada Património da Humanidade em 2000. A cidade conta com outros dois monumentos Patrimonio da Humanidade, a Catedral de Santa Maria e o Caminho Primitivo.[3] Geograficamente, a cidade fica num outeiro, nas terras do Alto Minho, e circundada pelo próprio rio Minho, além de outros mais pequenos, como o Mera. O concelho, incluído na Reserva da Biosfera "Terras do Minho", é um dos poucos lugares do mundo reconhecido como patromónio mundial cultural e natural simultaneamente.[3]

Ao longo da sua história passou por períodos de abandono, bem como por importantes momentos na história do país em que esteve integrada. Desde a mobilização em 842 dum grande exército galego para conquistar Oviedo e entronizar Ramiro I das Astúrias como primeiro rei da Galiza, até o pronunciamento do Coronel Miguel Solís, que daria começo à revolução galega de 1846. Actualmente Lugo é uma cidade comercial e de serviços, com um campus universitário que depende da Universidade de Santiago de Compostela, especializado em ciências agrárias. Destacam-se também as populares festas realizadas na cidade como o Arde Lucus, que relembra o passado romano e castrejo da cidade, e as Festas do São Froilão, que cada ano atraem à cidade mais de um milhão de visitantes entre 4 e 12 de outubro.[4][5]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Em 26 a.C., um corpo expedicionário romano no comando de Caio Antisto Veto chegou ao noroeste da Península Ibérica, que viria a ser a Galécia, para o controlar. Estabeleceu um acampamento no território da actual Lugo em 25 a.C., ao qual deu o nome de Luco Augusto, originado possivelmente pela divindade céltica Lug[6][7] (que também originaria o nome de cidades como Lugano ou Lyon) e que se converteu na capital da Galécia lucense. Luco Augusto significaria "o bosque sagrado de Augusto" (genitivo de fundador).

Geografia[editar | editar código-fonte]

A cidade localiza-se num outeiro rodeado pelos rios Minho, Mera e Rato, que após juntar-se com o Fervedoira forma o río da Chanca, que circunda a cidade pelo leste. A diferença de altitude entre o centro da cidade e as margens fluviais é considerável, enquanto no centro da cidade a altitude é de 465 metros acima do nível médio do mar, no Minho ao nível do Passeio Fluvial a altitude é de 364 metros. O concelho de Lugo é o segundo mais extenso da Galiza, com 332 km² e 59 paróquias civis.

Os arredores da cidade foram declarados Reserva da Biosfera pela UNESCO a 7 de Novembro de 2002,[8] sendo este o reconhecimento mais importante a nível internacional quanto à conservação de paisagens e habitats desta região atlântica europeia. É de destacar a abundante fauna ao redor do curso do rio Minho pelo concelho, sobretudo no tocante às espécies de aves. Todo este parque ao redor do río abrangue uma rota de parques duns 30 quilómetros de extensão.

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima em Lugo é oceânico com invernos frios e verões suaves. A temperatura média anual é de 11,5 °C e as precipitações abundantes, com mais de 1000 milímetros por ano. Contudo, devido ao seu afastamento do Oceano Atlântico, esta quantia pode ser considerada baixa em comparação com comarcas da Rias Baixas ou Compostela. A temperatura mais alta registrada na estação meteorológica de "Lugo Aeroporto", a 15 km do centro da cidade, entre 1985 e 2018 foi de 41,2 °C, registrada o 20 de julho de 1990.[9] Por outra parte, a temperatura mais baixa registrada no mesmo periodo foi de -10,0 °C o 23 de dezembro de 2005.[10] Quanto a outros dados climáticos, a máxima precipitação num sí dia foi de 73,8 l/m² e a máxima rajada de vento de 122 km/h.[11]

Nuvola apps kweather.png Lugo Aeroporto (445 msnm)
(1971-2000)
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima absoluta (°C) 19,2 23,8 27,8 31,8 34,0 36,4 41,2 40,8 37,8 30,6 22,4 23,4
41,2
Temperatura máxima média (°C) 10,1 11,7 14,0 14,8 17,8 20,8 23,6 24,1 22,3 17,7 13,3 10,8
16,8
Temperatura média (°C) 5,8 6,9 8,4 9,6 12,3 15,2 17,7 18,0 16,1 12,4 8,8 6,9
11,5
Temperatura mínima média (°C) 1,5 2,2 2,7 4,4 6,8 9,5 11,9 11,8 10,0 7,2 4,3 3,0
6,3
Temperatura mínima absoluta (°C) -9,2 -7.4 -8,2 -4,6 -1,0 1,4 4,2 1,6 0,6 -2,2 -7,4 -10,0
-10,0
Precipitações (mm) 128 102 79 85 80 42 30 35 68 110 114 135
1008
Horas de sol 86 101 143 160 176 216 234 231 172 134 92 79
1821
Humidade relativa média (%) 84 80 76 76 75 75 74 73 75 81 85 84
78
Fonte: AEMET

Demografia[editar | editar código-fonte]

A população da cidade em 2017 era de 97 995 habitantes.[12] Em 1842 a cidade contava com 13 986 habitantes, e meio século depois, em 1897, a cidade duplicava a sua população, chegando aos 26 252 habitantes, número que se manteve constante até a década de 1940, quando alcançou os 41 000. A população tornou a duplicar em 1991, atingindo 83 000 habitantes, que foram aumentando até aos quase 100 000 atuais.

Quanto a distribuição por sexo em 2017, dos 97 995 habitantes, 53,60% da população (52 527) eram mulheres, e os restantes 46,50% (45 468) homens. Em 2009, a maioria da população eram eram naturais da Galiza 82 147 (85%). Do resto, 7 265 (7,5%) procedem doutos paises da União Europeia, com outros 57 da Europa não comunitaria (destacando 25 ucranianos e 15 rusos). Do resto de continentes, o que máis habitantes achegava á cidade era América, com 3 105 (3,1%), destacando o Brasil; 705 da África, principalmente de Marrocos; 179 da Asia (dos quais 102 eram chineses) e um da Oceania. Segundo a última atualização do censo populacional em 2014, feito pelo Instituto Galego de Estatística, a região tinha 120 320 habitantes.[13]

Dados demográficos de
Lugo (1842-2010)
Ano Poboación Fogares
1842 13.986 2.797
1897 26.252 6.055
1910 35.889 6.179
1930 32.259 6.363
1940 41.011 8.374
1950 52.093 14.624
1970 63.604 17.267
1981 72.574 21.350
1991 83.242 26.256
2001 88.414 31.111
2011 98.007 40.227
Fonte: INE.[14]

Cultura[editar | editar código-fonte]

  • Museu Provincial de Lugo, que possui uma extensão em San Paio de Narla

Patrimônio arquitetônico[editar | editar código-fonte]

Equipamentos[editar | editar código-fonte]

Referências


Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Imagens e media no Commons
Commons Categoria no Commons
Ícone de esboço Este artigo sobre Municípios da Espanha é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre geografia da Galiza é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.