Lugo (Galiza)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Espanha Lugo

Lugo

 
—  Município  —
Muralha romana de Lugo
Muralha romana de Lugo
Bandeira de Lugo
Bandeira
Brasão de armas de Lugo
Brasão de armas
Lugo está localizado em: Espanha
Lugo
Localização de Lugo na Espanha
Coordenadas 43° 01' N 7° 33' O
Comunidade autónoma Galiza
Província Lugo
Fundação Século I a.C.
 - Alcaide Xosé Clemente López Orozco (PSdG)
Área
 - Total 332 km²
Altitude 465 m (1 526 pés)
População (2011)
 - Total 98 007
    • Densidade 295,2/km2 
Gentílico: Lucense
Luguês, sa
Fuso horário CET (UTC+1)
 - Horário de verão CEST (UTC+2)
Código postal 27001 - 27004
Sítio http://lugo.gal/

Lugo é uma cidade galega, capital da província de Lugo e da comarca homónima. É uma cidade de origem celta e romana, no primeiro caso como um povoado em honra do deus Lug ou Lugh e logo fundada já como campamento militar do Império em 25 a.C. [1] por Paulo Fábio Máximo, é a mais antiga da Galiza. Construída nas proximidades dum castro, na época romana recebeu o nome de Luco Augusto (em latim: Lucus Augusti). São testemunha dos seus primeiros anos de história os numerosos restos romanos, muitos deles conservados no Museu Provincial, e sobretudo a muralha romana, única no mundo que conserva todo o seu perímetro e declarada Património da Humanidade em 2000.

Ao longo da sua história passou por períodos de abandono, bem como por importantes momentos na história do país em que esteve integrada. Desde a mobilização em 842 dum grande exército galego para conquistar Oviedo e entronizar Ramiro I das Astúrias como primeiro rei da dinastia galega, até o pronunciamento do Coronel Miguel Solís, que daria começo à revolução galega de 1846.

Geograficamente, a cidade fica num outeiro, nas terras do Alto Minho, e circundada pelo próprio rio Minho, além de outros mais pequenos, como o Mera. O concelho, incluído na Reserva da Biosfera "Terras do Minho", é o segundo mais extenso da Galiza, sendo actualmente habitado por 98 007 pessoas, correspondendo ao quarto mais populoso depois de Vigo, Corunha e Ourense.

Actualmente, Lugo é uma cidade comercial e de serviços, com um campus universitário especializado em ciências agrárias. Destacam-se também as populares festas realizadas na cidade como o Arde Lucus, que relembra o passado romano e castrejo da cidade, e as Festas do São Froilão de Lugo, que cada ano atraem à cidade mais de um milhão de visitantes entre 4 e 12 de Outubro.[2] [3]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Em 26 a.C. um corpo expedicionário romano no comando de Caio Antisto Veto chegou ao noroeste da península Ibérica, que viria a ser a Galécia, para o controlar. Estabeleceu um acampamento no território da actual Lugo em 25 a.C., ao qual deu o nome de Luco Augusto, originado possivelmente pela divindade céltica Lug[4] [5] (que também originaria o nome de cidades como Lugano ou Lyon) e que se converteu na capital da Galécia lucense. Luco Augusto significaria "o bosque sagrado de Augusto" (genitivo de fundador).

Geografia[editar | editar código-fonte]

A cidade localiza-se num outeiro rodeado pelos rios Minho, Rato e Chanca. A diferença de altitude entre o centro da cidade e as margens fluviais é considerável, enquanto no centro da cidade a altitude é de 465 metros acima do nível médio do mar, no Minho o nível do Passeio Fluvial, popularmente chamado o paseo da fábrica da luz [6] , a altitude é de 364 metros. O concelho de Lugo é o segundo mais extenso de Espanha, com 332 km² e 59 paróquias civis.

Os arredores da cidade foram declarados Reserva da Biosfera pela UNESCO a 7 de Novembro de 2002,[7] sendo este o reconhecimento mais importante a nível internacional quanto à conservação de paisagens e habitats desta região atlântica europeia. É de destacar a abundante fauna ao redor do curso do rio Minho pelo concelho, sobretudo no tocante às espécies de aves.

Os outros dois rios que atravessam a cidade são o Fervedoira e o Mera, havendo ao redor de ambos dois outros parques com diversas espécies de árvores.

Demografia[editar | editar código-fonte]

A população da cidade em 2010 era de 97 635 habitantes.[8] Em 1842 a cidade contava com 13 986 habitantes, e meio século depois, em 1897, a cidade duplicava a sua população, chegando aos 26 252 habitantes, número que se manteve constante até a década de 1940, quando alcançou os 41 000. A população tornou a duplicar em 1991, atingindo 83 000 habitantes, que foram aumentando até aos quase 100 000 actuais. Em 2009 a cidade contava com 96 678 habitantes, 53,28% da população (51 513) eram mulheres, e os restantes 46,72% (45 165) homens. A maioria 82 147 (85%) eram naturais da Galiza, 7265 (7,5%) procedendo de outros países da União Europeia. De outros continentes destaca-se a população da América, com 3105 (3,1%). A última atualização do censo populacional em 2014, feito pelo Instituto Galego de Estatística, a cidade apresenta se com 120.320 habitantes[9] .

Variação demográfica do município entre 1991 e 2004
1991 1996 2001 2004
83 242 85 174 88 414 91 426

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima em Lugo é oceânico com invernos frios e verões suaves. A temperatura média anual é de 12,0 ºC e as precipitações abundantes, com mais de 1000 litros por ano.

Cultura[editar | editar código-fonte]

  • Museu Provincial de Lugo, que possui uma extensão em San Paio de Narla

Patrimônio arquitetônico[editar | editar código-fonte]

Catedral de Santa Maria.
Porta da muralha romana de Lugo, na praça de Ferrol
Termas romanas
Visão superior da Muralha de Lugo
Plaza de España


Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre Municípios da Espanha é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Lugo (Galiza)