Luigi Lanzi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde novembro de 2016)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Luigi Lanzi
Luigi Lanzi, ca. 1880
Nascimento 14 de junho de 1732
Treia
Morte 30 de março de 1810 (77 anos)
Florença
Nacionalidade Itália Italiano
Campo(s) História da arte, filologia, arqueologia

Luigi Lanzi (Treia, 14 de junho de 1732Florença, 30 de março de 1810) foi um historiador da arte, filólogo e arqueólogo italiano. Após seu falecimento foi sepultado na Basílica de Santa Cruz em Florença ao lado de Michelangelo.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em Treia, foi educado para ser padre e ingressou na ordem dos Jesuítas, residindo em Roma. Em 1773 foi indicado curador das galerias de arte de Florença, e presidente da Accademia della Crusca. Em seguida estudou a pintura italiana e a civilização etrusca, o que resultou nos livros Storia Pittorica dell'Italia (1792 - 1796), Saggio di lingua Etrusca (1789, acompanhado de um apêndice sobre escultura), e Saggio delle lingue d'Italia (1806). Foi o pioneiro na identificação da origem grega da arte etrusca. No terreno da filologia estabeleceu as ligações da língua etrusca com a língua de povos vizinhos, os romanos, úmbrios, oscos e gregos.

Entre outros trabalhos seus estão uma edição d' Os Trabalhos e os Dias de Hesíodo, com valiosos comentários e uma tradução em terza rima, iniciado em 1785 e terminado em 1808. Sua carreira encerra com a coletânea Opere sacre, uma série de tratados sobre temas espirituais. Foi enterrado na Basílica de Santa Croce em Florença ao lado de Michelangelo.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em inglês, cujo título é «Luigi Lanzi», especificamente desta versão.
  • Elogio dell' abate L. Lanzi, Por Onofrio Boni, Presso Niccolò Capurro, Pisa, (1816).
  • Giulio Natali, "Nel primo centenario dalla morte di Luigi Lanzi", em Real deputazione di storia patria per le provincie delle Marche, atti e memorie, volume vi (N. S., Ancona, 1911)
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Luigi Lanzi
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.