Luigi Mamprin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Luigi Mamprin (Veneza, 29 de janeiro de 1921São Paulo, 1995) foi um pintor e fotógrafo ítalo-brasileiro.

Serve no exército de seu país durante a Segunda Guerra Mundial, em 1940, aliando-se no ano seguinte aos correligionários do general comunista Tito, na Iugoslávia. Radica-se na capital paulista em 1949, onde começa a trabalhar para o jornal Folha de S.Paulo.

Transferindo-se para o Rio de Janeiro no ano seguinte, participa do lançamento do jornal Última Hora, integrando em 1956, a equipe responsável pelo relançamento da revista Mundo Ilustrado e, em 1961, o grupo de fotógrafos contratado para viabilizar a reforma gráfica do Jornal do Brasil (considerada a mais radical e inovadora do gênero no Brasil).

Em 1965, começa a trabalhar na revista Realidade, tendo documentado, nesse mesmo ano, a célebre expedição dos irmãos Villas-Boas que consegue estabelecer o primeiro contado com os chamados índios gigantes, os Kren-a-Karore.

É um dos grandes nomes da profissionalização do fotojornalismo no Brasil, no período de transição entre a fotografia em preto-e-branco para a colorida.



Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.