Luigi De Magistris

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Luigi de Magistris)
Ir para: navegação, pesquisa
Luigi De Magistris
Cardeal da Santa Igreja Romana
Penitencieiro Maior Emérito da Penitenciaria Apostólica
Hierarquia
Papa Francisco
Atividade Eclesiástica
Diocese Diocese de Roma
Nomeação 22 de novembro de 2001
Predecessor Dom William Wakefield Cardeal Baum
Sucessor Dom James Francis Cardeal Stafford
Mandato 2001 - 2003
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 12 de abril de 1952
Catedral de Cagliari
por Dom Paolo Botto
Nomeação episcopal 6 de março de 1996
Ordenação episcopal 28 de abril de 1996
Collegiata di Sant'Anna
por Dom Giovanni Cardeal Canestri
Nomeado arcebispo 22 de novembro de 2001
Cardinalato
Criação 14 de fevereiro de 2015
por Papa Francisco
Ordem Cardeal-diácono
Título Santíssimos Nomes de Jesus e Maria na Via Lata
Brasão
Coat of arms of Luigi De Magistris.svg
Lema JUSTE JUDICA PROXIMO
Dados pessoais
Nascimento Cagliari
23 de fevereiro de 1926 (91 anos)
Nacionalidade Italiano
dados em catholic-hierarchy.org
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Luigi De Magistris (Cagliari, 23 de fevereiro de 1926[1]) é um cardeal italiano, Pró-Penitenciário-Mor emérito da Santa Sé.

Biografia[editar | editar código-fonte]

De uma família bem conhecida naquela cidade, de origem piemontesa.[2][3][4] Filho de Edmondo, um médico e Agnese Ballero. Um de seus irmãos foi prefeito da capital da Sardenha, e outro se tornou consultor jurídico do Presidente da República, Antonio Segni.[1] Em 1947, ele obteve a láurea em letras clássicas. Estudou filosofia e teologia no Seminário Pontifical Romano (Pontifícia Universidade Lateranense), em Roma, de 1948 a 1953. Em 1953, obteve a laurea em teologia.[1]

Vida eclesiástica[editar | editar código-fonte]

Foi ordenado padre em 12 abril de 1952, na Catedral de Cagliari, por Paolo Botto, arcebispo de Cagliari. Incardinado na Arquidiocese de Cagliari. De 1953 a 1958, ele foi, em primeiro lugar, o notário e, em seguida, defensor do vínculo do Tribunal Eclesiástico Regional da Sardenha; ele também ensinava nas escolas públicas e foi assistente de laureados e professores da Ação Católica.[1]

Foi professor no Seminário Arquidiocesano de Cagliari, de 1955 a 1958. Em 1958, ele entrou para o serviço da Santa Sé como secretário-geral do Athenaeum Laterano, convocado pelo seu novo reitor, Antonio Pioli. Em fevereiro de 1959, ele foi transferido para a Congregação do Santo Ofício (Doutrina da Fé), primeiro como tabelião substituto; e mais tarde como sommista, colaborando com o seu então prefeito, o cardeal Alfredo Ottaviani. Em 1968, ele foi nomeado cônego honorário do capítulo da catedral metropolitana de Cagliari. Em fevereiro de 1969, foi nomeado minutante no Conselho para os Assuntos Públicos da Igreja, então guiado pelo Arcebispo Agostino Casaroli. Prelado de Honra de Sua Santidade em 27 de agosto de 1973. Foi nomeado regente da Penitenciária Apostólica em 11 de abril de 1979. Em 1992, ele tornou-se especialista em permanente da Pontifícia Comissão Ecclesia Dei.[1]

Eleito bispo-titular de Nova em 6 de março de 1996, foi consagrado em 28 de abril, pelo Cardeal Giovanni Canestri, arcebispo emérito de Gênova, assistido por Ottorino Pietro Alberti, arcebispo de Cagliari, e por Tarcisio Pillolla, bispo-titular de Cartenne, bispo-auxiliar de Cagliari.[1]

Em 22 de novembro de 2001, foi nomeado Pró-Penitenciário-Mor e promovido ao posto de arcebispo. Renunciou ao cargo por causa da idade e tornou-se Pró-Penitenciário-Mor emérito, em 4 de outubro de 2003[5]. Ele foi consultor da Congregação para o Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos, para as Causas dos Santos, para a Evangelização dos Povos, para o Clero, e da Pontifícia Comissão "Ecclesia Dei".[1]

Em 4 de janeiro de 2015, o Papa Francisco anunciou a sua criação como cardeal, no Consistório Ordinário Público de 2015.[1][6] Foi criado cardeal-diácono de Santíssimos Nomes de Jesus e Maria na Via Lata, recebendo o barrete e o anel cardinalício em 14 de fevereiro.

Referências

  1. a b c d e f g h The Cardinals of the Holy Roman Church
  2. http://www.araldicasardegna.org/indice.htm cliccando su Statuto e Elenco Nobiliare Sardo, poi su Elenco nobiliare sardo aggiornato al 2012, infine su De Magistris.
  3. http://www.araldicasardegna.org/genealogie/alberi_genealogici/albero_famiglia_de_magistris.htm
  4. Monsignor De Magistris ha il titolo nobiliare di nobile dei conti di Castella (si vedano le note precedenti per le fonti).
  5. Ele não foi promovido ao cardinalato no consistório de 21 de outubro de 2003, o único caso até agora na história da Penitenciária Apostólica que um penitenciário não foi elevado ao cardinalato, devido a algumas de suas observações críticas - que não expressou publicamente - a algumas decisões do Papa João Paulo II, que foram entendidas por um dos colaboradores mais próximos do papa. Muitos esperavam que o chapéu vermelho viria logo após os 80 anos, mas isso não tinha acontecido.
  6. «Consistório 2015: Papa reforça papel das «periferias» no Colégio Cardinalício». Agência Ecclesia. 4 de janeiro de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Mario del Valle Moronta Rodríguez
Brasão arquiepiscopal
Arcebispo-titular de Nova

1996
Até 2001, bispo-titular
Sucedido por
'
Precedido por
William Wakefield Baum
Coat of arms Holy See.svg
Pró-Penitenciário-Mor da Santa Sé

20012003
Sucedido por
James Francis Stafford
Precedido por
Domenico Bartolucci
Brasão Cardinalício
Cardeal-diácono de
Santíssimos Nomes de Jesus e Maria na Via Lata

2015
Sucedido por
'