Luis Cristaldo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde maio de 2012) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Cristaldo
Informações pessoais
Nome completo Luis Héctor Cristaldo Ruiz Díaz
Data de nasc. 31 de agosto de 1969 (45 anos)
Local de nasc. Formosa,  Argentina
Nacionalidade Argentino e boliviano
Altura 1,75 m
Informações profissionais
Clube atual Aposentado
Posição Meia-atacante
Clubes de juventude
Tahuichi Academy
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
1988-1992
1993-1998
1994
1998-1999
2000
2001-2006
2007
2009-2010
2011
2012
Bolívia Oriente Petrolero
Bolívia Bolívar
Argentina Textil Mandiyú (Vindo de Empréstimo)
Espanha Sporting de Gijón
Paraguai Cerro Porteño
Bolívia The Strongest
Bolívia Oriente Petrolero
Bolívia Guabirá
Bolívia The Strongest
Bolívia Oruro Royal

127 (11)
12 (0)
8 (1)
0 (0)
107 (8)
11 (0)


Seleção nacional
1989–2005 Flag of Bolivia.svg Bolívia 093 0(5)

Luis Héctor Cristaldo Ruiz Díaz (Formosa, 31 de agosto de 1969) é um ex-futebolista e treinador de futebol boliviano nascido na Argentina[1] .

Carreira[editar | editar código-fonte]

Natural de Formosa, uma cidade localizada na província homônima, Cristaldo se mudou para a cidade de Santa Cruz de la Sierra aos 15 anos, e dá seus primeiros passos como jogador na Tahuichi Academy. Sua primeira equipe foi o Oriente Petrolero, estreando profissionalmente em 1988, contra o Destroyers[2] onde atuou até 1992. Foi durante sua passagem pelos Verdolagas que Cristaldo foi convocado pela primeira vez para a Seleção Boliviana.

Foi com o Bolívar, que o contratou no ano de 1993, onde o meia-atacante destacou-se mais, atuando no clube de La Paz até 1998, em 127 jogos. Ele conquistou três Campeonatos Bolivianos envergando a camisa dos Celestes. Teve ainda uma curta passagem por empréstimo no Textil Mandiyú, em 1994.

Seu desempenho no Bolívar chamou a atenção do Sporting de Gijón, que o contratou em 1998. Não teve uma boa passagem pela equipe alvirrubra do norte da Espanha, jogando apenas 8 partidas, com um gol marcado. Sem espaço no Gijón, Cristaldo foi jogar no Paraguai, sendo contratado pelo Cerro Porteño em 2000, mas ele não disputou nenhuma partida.

Após a decepcionante passagem no Cerro, Cristaldo retornou à Bolívia em 2001 para jogar no The Strongest, fazendo 107 partidas até 2007. Pelo Decano, conquistou três títulos do Campeonato Boliviano (Apertura e Clausura de 2003 e Clausura de 2004). Saiu da equipe aurinegra em 2007 e regressou ao Oriente Petrolero, clube onde iniciara a carreira. Esta segunda passagem pelos Verdolagas durou apenas um ano (11 partidas), e Cristaldo decidiu encerrar a carreira pela primeira vez em 2008.

Em 2009, surpreendeu ao retornar aos gramados, aos 40 anos de idade, pelo modesto Guabirá, onde atuou até o final de 2010, quando, após um tempo de inatividade, retornou ao The Strongest, como alternativa para o ataque dos Tigres de La Paz. Ele, que também integrava a comissão técnica, não teve uma sequência de jogos e pendurou novamente as chuteiras.

Assinou com o Oruro Royal em 2012, para ser auxiliar-técnico de Luis Ramallo, seu ex-companheiro de Seleção Boliviana, mas ainda chegou a disputar alguns jogos pela equipe antes de encerrar definitivamente a carreira de jogador.

Carreira de treinador[editar | editar código-fonte]

Logo após encerrar a carreira, Cristaldo exerceu seu primeiro - e único - trabalho como técnico ainda em 2012, assinando com o Guabirá[3] . Sua trajetória no clube foi curta, com apenas 6 partidas[4] .

Seleção Boliviana[editar | editar código-fonte]

Estreou pela Seleção Boliviana em 1989, numa partida contra o Uruguai, durante as Eliminatórias da Copa do Mundo FIFA de 1990, mas os verdes não conseguiram a classificação. Disputou a Copa do Mundo de 1994[5] , a última disputada pelos bolivianos, e participou da primeira derrota do Brasil em uma eliminatória de Copa do Mundo, concedida pelos próprios bolivianos.

Cristaldo, que também atuou em cinco edições da Copa América (1993, 1995, 1997, 1999 e 2004) e a Copa das Confederações de 1999 (única do país andino), realizou sua última partida pelo selecionado em 2005, aos 36 anos. É, junto com Marco Sandy o jogador que mais vezes vestiu o uniforme de "La Verde", com 93 partidas.

Referências

  1. Luis Cristaldo (em inglês). Visitado em 25 de Maio de 2012.
  2. Luis Cristado, un gaucho que lleva con orgullo la tricolor boliviana
  3. Luis Cristaldo presentado como nuevo DT de Guabirá (6 de março de 2012). Visitado em 25 de setembro de 2013.
  4. Arancibia, Jorge; Cruz, William (5 de abril de 2012). Y van 10 DT despedidos. Visitado em 25 de setembro de 2013.
  5. rsssf: Bolivia record international footballers
Bandeira de BolíviaSoccer icon Este artigo sobre futebolistas bolivianos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.