Luiz Carlos Barreto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2009). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Luiz Carlos Barreto
Nascimento 20 de maio de 1928 (91 anos)
Sobral
Cidadania Brasil
Cônjuge Lucy Barreto
Filho(s) Bruno Barreto, Fábio Barreto
Ocupação roteirista, produtor cinematográfico, diretor de fotografia
Prêmios Ordem do Mérito Cultural

Luiz Carlos Barreto Borges (Sobral, 28 de maio de 1928) é um fotógrafo e diretor de cinema brasileiro.

Ele produziu 50 filmes desde 1962. Produziu o filme de 1966 "O Padre e a Moça", que foi inscrito no 16º Festival Intermnacional de Cinema de Berlim.[1] Ele também produziu o filme de 1969, Brazil Ano 2000, que recebeu o Urso de Prata no 19º Festival Internacional de Cinema de Berlim.[2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Cearense, vive desde 1947 na cidade do Rio de Janeiro, tornou-se um dos maiores produtores cinematográficos do Brasil. Como jornalista profissional, foi repórter e fotógrafo da Revista "O Cruzeiro" nos anos 50 até 1963, tendo sido correspondente dessa revista na Europa, durante os anos de 1953 e 1954.

Na profissão de repórter, cobriu importantes acontecimentos nacionais e internacionais e graduou-se em Letras pela Sorbonne, em Paris.

Barretão, como é conhecido, começou no cinema em 1961, como co-autor do roteiro e co-produtor do filme Assalto ao Trem Pagador, dirigido por Roberto Farias. Essa película obteve um enorme sucesso, tanto no Brasil, como no exterior. A partir de então começou uma série de grande produções cinematográficas, divididas com uma importante atividade política e cultural. Luiz Carlos Barreto é um dos homens chave do chamado Cinema Novo, revolucionou o Cinema latino Americano.

Como diretor de fotografia em cinema é autor das concepções fotográficas de Vidas Secas e Terra em Transe, que revolucionaram o estilo fotográfico dos filmes brasileiros.

Luiz Carlos Barreto, juntamente com sua mulher Lucy Barreto, detêm a marca da produção de mais setenta filmes brasileiros de curta e longa-metragens. Além dos filmes que marcam sua carreira como produtor, é pai de Bruno Barreto e Fábio Barreto - dois diretores dos mais importantes da geração pós-Cinema Novo - e Paula Barreto, formada em Comunicação Social.

É um dos sócios do Grupo Consórcio Brasil, que junto com a Globosat administra o Canal Brasil.

Foi amigo de um dos maiores poetas da geração pós-guera: Mário Faustino.

Além disso, é um grande propagador das ideias de Gramsci e militante do Partido dos Trabalhadores.

Homenagens[editar | editar código-fonte]

Na comemoração dos 30 anos de existência da sua produtora, a L.C Barreto Ltda., várias homenagens foram prestadas na América Latina, Europa, Estados Unidos e Ásia. Na cidade de Xangai, foi realizada uma retrospectiva dos filmes da L.C. Barreto, que também foram mostrados anteriormente em San Francisco na Califórnia, Huelva na Espanha, Sorrento na Itália e Montevideo no Uruguai.

Filmes de sua produtora[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Luiz Carlos Barreto

Referências

  1. «IMDB.com: Awards for The Priest and the Girl». imdb.com. Consultado em 25 de fevereiro de 2010 
  2. «Berlinale 1969: Prize Winners». berlinale.de. Consultado em 6 de março de 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]