Luiz Eduardo Soares

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Luiz Eduardo Soares
Luiz Eduardo Soares.jpg
Nome completo Luiz Eduardo Soares
Nascimento 12 de março de 1954
Nova Friburgo
Nacionalidade  Brasileira
Cônjuge Miriam Krenzinger
Ocupação Antropólogo

Luiz Eduardo Soares (12 de março de 1954, Nova Friburgo) é um antropólogo, cientista político e escritor brasileiro. Soares é um dos maiores especialistas em segurança pública do país.[1][2][3] Ele foi Secretário de Segurança Pública no Rio de Janeiro, durante o governo de Anthony Garotinho, e ocupou a Secretaria Nacional de Segurança Pública no governo Lula, tendo sido afastado dos dois cargos por pressões políticas. Na carreira de escritor, Soares foi co-autor dos best-sellers Elite da Tropa e Elite da Tropa 2.

Atividades[editar | editar código-fonte]

É coordenador do curso de especialização em Segurança Pública da Universidade Estácio de Sá.

Coordenou a área de segurança pública do Rio de Janeiro entre 1999 e 2000, durante o governo de Anthony Garotinho, no qual chegou a denunciar a "Banda Podre" da Polícia do Rio. Após uma polêmica em que teria defendido a atitude do cineasta João Moreira Salles, que supostamente pagava mesada ao traficante Marcinho VP, Luiz Eduardo Soares foi demitido ao vivo no telejornal RJTV pelo então governador Garotinho.

Entre janeiro e outubro de 2003 foi Secretário Nacional de Segurança Pública. De dezembro de 2006 a julho de 2009 ocupou o cargo de Secretário Municipal de Valorização da Vida e Prevenção da Violência em Nova Iguaçu. Também foi professor da UERJ, Iuperj, Universidade Cândido Mendes e Unicamp, pesquisador do ISER e do Vera Institute of Justice de Nova York, além de ter sido professor visitante da Columbia University, Universidade da Virgínia e Universidade de Pittsburgh, nos EUA.

Em 2010, foi idealizador das propostas para a área de segurança pública da senadora e candidata à presidência pelo PV, Marina Silva. Esteve entre os fundadores da Rede Sustentabilidade, contudo, deixou o partido em 2016 pelo fato do mesmo não possuir definição política. [4]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Meu casaco de general: 500 dias no front da Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro. Cia. das Letras, 2000.
  • Cabeça de porco (com MV Bill e Celso Athayde). Objetiva, 2005.
  • Elite da tropa (com André Batista e Rodrigo Pimentel). Objetiva, 2006.
  • Elite da Tropa 2 (com André Batista e Rodrigo Pimentel e Claudio Ferraz). Nova Frontera, 2010.
  • Troupe d'élite 2 (de André Batista, Rodrigo Pimentel et Claudio Ferraz). Editions Anacaona, 2011.
  • Segurança tem saída. Sextante, 2006.
  • Legalidade Libertária. Lumen Juris.
  • " Espírito Santo". (com Carlos Eduardo e Rodney Miranda)
  • " Justiça" Ediouro, 2011
  • " Tudo ou Nada, Ediouro, 2011
  • Rio de Janeiro - Histórias de Vida e Morte, Companhia das Letras, 2015

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]