Luiz Fernando Dias Duarte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Dias Duarte
Nascimento 30 de agosto de 1949 (69 anos)
Rio de Janeiro, Brasil
Residência Brasil
Nacionalidade brasileiro
Alma mater Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Orientador(es) Gilberto Cardoso Alves Velho
Instituições Museu Nacional
Campo(s) antropologia
Tese Da Vida Nervosa, pessoa e modernidade entre as classes trabalhadoras urbanas (1985)

Dias Duarte (Rio de Janeiro, 30 de agosto de 1949)[1] é um antropólogo brasileiro, que trabalha nas áreas de antropologia da pessoa, da saúde, da família, da sexualidade e da religião.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Graduado em direito (1972) pela Faculdade de Direito da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Mestre em Antropologia Social (1978) e doutor em ciências humanas (1985) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (Museu Nacional da UFRJ). Fez pós-doutorado no Groupe de Sociologie Politique et Morale, da Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales, Paris (1991). Atua como pesquisador nas áreas de antropologia da pessoa, da saúde, da família, da sexualidade e da religião.[1]

Entre outros cargos acadêmicos, foi diretor do Museu Nacional da UFRJ[2][3] (1998-2001). Nessa condição, coordenou a elaboração do projeto da sua Nova Exposição, ainda em curso.[4] Foi professor visitante nas Universidades de Brasília, Paris X - Nanterre, Buenos Aires, Liège e Federal do Rio Grande do Norte. Foi membro do conselho do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN/MINC)(1998-2004), tendo sido relator do primeiro processo de registro de patrimônio imaterial. É comendador da Ordem Nacional do Mérito Científico.[1]

Pesquisas[editar | editar código-fonte]

A visão de mundo das classes trabalhadoras brasileiras é o principal tema de pesquisa do antropólogo, a partir do trabalho de campo realizado na década de 1970 com pescadores do bairro de Jurujuba, em Niterói. Na década seguinte ele publica Da Vida Nervosa nas Classes Trabalhadoras Urbanas, como resultado de sua tese de doutorado.[5] A obra, considerada de referência e presente na bibliografia de diversos trabalhos sobre o assunto,[6][7] retrata como a noção de "nervos" e "nervoso" é importante para as camadas populares brasileiras, servindo de mediação entre o modelo individualista dos saberes psi e as antigas concepções físico-morais sobre pessoa, corpo e doença.[7]

Sua pesquisa sobre a psicologização no Brasil resultou na elaboração e disponibilização do Psico-Rio, base de dados sobre a história e a institucionalização do campo psi (psiquiatria, psicologia e psicanálise) no Brasil.[8] Atualmente ele trabalha com pesquisas relacionadas à família, sexualidade e religião[9][10][11][12] e aos horizontes de construção da pessoa e da natureza modernas.[13][14][15][16][17][18]

Principais obras publicadas (livros)[editar | editar código-fonte]

  • Da Vida Nervosa (nas classes trabalhadoras urbanas), Jorge Zahar Editor/CNPq. Rio de Janeiro, 1986 (2ª edição, 1988). 290 p. Disponível para visualização no Google Livros.
  • Doença, sofrimento, perturbação: perspectivas etnográficas. (Duarte, Luiz F. D. e Leal, O. F. – orgs.), Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 1998, 210 p.
  • As Redes do Suor. A reprodução social dos trabalhadores da pesca em Jurujuba, 1999, Rio de Janeiro: Editora da UFF
  • Psicologização no Brasil. Atores e Autores. (Duarte, Luiz F. D.; Russo, J. e Venancio, Ana T. - orgs.) Rio de Janeiro: Editora Contracapa, 2005
  • Sexualidade, Família e Ethos Religioso (Heilborn, M. L. ; Duarte, L. F. D.; Lins de Barros, M. ; Peixoto, C. – orgs.). Rio de Janeiro: Garamond, 2005
  • Família e Religião (Duarte, Luiz F. D.; Heilborn, M. L.; Lins de Barros, M.; Peixoto, C. – orgs.). Rio de Janeiro: Contracapa, 2006
  • Três Famílias. Identidades e Trajetórias Transgeracionais nas Classes Populares (Duarte, L.F.D. & Gomes, Edlaine). Rio de Janeiro: FGV, 2008 - Melhor Obra Científica no Concurso Brasileiro da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Ciências Sociais de Obras Científicas e Teses Universitárias em Ciências Sociais – Edição 2009. Disponível para visualização no Google Livros.
  • Valores Religiosos e Legislação no Brasil. A tramitação de projetos de lei sobre temas morais controversos (Duarte, Luiz F.D.; Gomes, E. C.; Menezes, R. A., Natividade, Marcelo – orgs). Rio de Janeiro: Editora Garamond, 2008 - ISBN 978-85-7617-163-8
  • Gerações, família, sexualidade (G. Velho e Luiz F. D. Duarte, orgs.) 2009. Rio de Janeiro: Editora Sete Letras. ISBN 978-85-7577-640-7
  • Juventude Contemporânea. Culturas, gostos e carreiras. (G. Velho & Luiz F. D. Duarte – orgs.). Rio de Janeiro: 7 Letras. 2010. ISBN 978-85-7577-672-8

Referências

  1. a b c «Perfil de Dias Duarte». Academia Brasileira de Ciências. Consultado em 13 de setembro de 2018. Arquivado do original em 19 de maio de 2003 
  2. «Novas tecnologias sob o olhar da antropologia». Revista ComCiência. Consultado em 13 de setembro de 2018. Arquivado do original em 20 de novembro de 2008 
  3. «Conheça melhor o antigo Egito». Ciência Hoje. Consultado em 13 de setembro de 2018. Arquivado do original em 6 de setembro de 2008 
  4. Projeto da Nova Exposição
  5. PPGAS Relação de Teses de Doutorado
  6. Núcleo de Antropologia Urbana da USP
  7. a b «Medicina Popular e Medicina Científica». Revista Espaço Acadêmico On-line. ISSN 1519-6186. Consultado em 13 de setembro de 2018. Arquivado do original em 15 de setembro de 2008 
  8. «Psico-Rio». Consultado em 20 de outubro de 2008. Arquivado do original em 9 de maio de 2008 
  9. Construção social da pessoa: família, reprodução e ethos religioso no Brasil Site do Centro Latino Americano em Sexualidade e Direitos Humanos
  10. Sensibilidades religiosas contemporâneas comparadas[ligação inativa] Protestantismo em Revista ISSN 1678-6408
  11. The home sanctuary - Personhood, family and religiosity Religião & Sociedade ISSN 0100-8587
  12. Religião e psicanálise no Brasil contemporâneo: novas e velhas Weltanschauungen Revista de AntropologiaISSN 0034-7701
  13. Núcleo de Pesquisa sobre Sujeito, Interação e Mudança Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social/MN-UFRJ
  14. Distanciamento, reflexividade e interiorização da pessoa no ocidente Mana ISSN 0104-9313
  15. A psicanálise como linguagem social: o caso argentino Mana ISSN 0104-9313
  16. A pulsão romântica e as ciências humanas no Ocidente Revista Brasileira de Ciências Sociais ISSN 0102-6909
  17. Pungente retrato do universalismo apunhalado Horizontes Antropológicos ISSN 0104-7183
  18. Indivíduo e pessoa na experiência da saúde e da doença Ciência & Saúde Coletiva ISSN 1413-8123
Precedido por
Janira Martins Costa
Diretor(a) do Museu Nacional
1998 — 2002
Sucedido por
Sérgio Alex Kugland de Azevedo