Luiz Flávio Gomes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Luiz Flávio Gomes
Luiz Flávio Gomes em pé, perto de estantes de livros, segura em uma das mãos uma caneta e na outra seu livro “O jogo sujo da corrupção”.
Nascimento 6 de maio de 1957 (61 anos)
Sud Menucci, São Paulo
Nacionalidade Brasileiro
Ocupação jurista, professor
Filiação Partido Socialista Brasileiro

Luiz Flávio Gomes (Sud Mennucci, 6 de maio de 1957) é um jurista e professor brasileiro, fundador da Rede LFG, primeira rede de ensino telepresencial da América Latina.[1] Entre outros cargos, foi promotor de justiça e juiz de direito em São Paulo, tendo atuado também como advogado.

É criador do movimento de combate à corrupção “Quero um Brasil Ético”. Publicou mais de 60 livros, sendo o seu mais recente O Jogo Sujo da Corrupção. Foi comentarista do Jornal da Cultura. Foi eleito no dia 7 de outubro de 2018, com 86.433 votos, Deputado Federal de São Paulo pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB).

Carreira[editar | editar código-fonte]

Formação acadêmica e docência[editar | editar código-fonte]

Luiz Flávio Gomes é bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de Araçatuba (1979). Tornou-se mestre em direito penal pela Universidade de São Paulo em 1989 e doutor em direito penal pela Universidade Complutense de Madri em 2001.[2]

Foi professor de direito penal e processo penal em vários cursos de pós-graduação, dentre eles a Facultad de Derecho de la Universidad Austral (Buenos Aires, Argentina) e UNISUL, de Santa Catarina. É professor honorário da Faculdade de Direito da Universidad Católica de Santa María, em Arequipa, no Peru.[2]

Vários órgãos de imprensa ao mencionar alguns temas polêmicos na área criminal constantemente fazem referências ao seu posicionamento jurídico.[3][4]

Cargos[editar | editar código-fonte]

Luiz Flávio foi policial civil, delegado de polícia em 1980, promotor de justiça em São Paulo de 1980 a 1983, juiz de direito em São Paulo de 1983 a 1998, e advogado de 1999 a 2001. Também foi individual expert observer do X Congresso da ONU, realizado em Viena de 10 a 17 de abril de 2000, membro e consultor da delegação brasileira no décimo período de sessões da Comissão de Prevenção do Crime e Justiça Penal da ONU, realizado em Viena de 8 a 12 de maio de 2001, e secretário geral do Instituto Panamericano de Política Criminal (IPAN).[2]

Ensino telepresencial[editar | editar código-fonte]

Fundou em 2003 a rede de ensino LFG, a primeira rede de ensino telepresencial do Brasil e da América Latina. Através de sua rede, foram ministrados cursos preparatórios telepresenciais para concursos públicos, destacadamente nas carreiras jurídicas e fiscais. Os cursos são transmitidos a mais de 220 cidades brasileiras, distribuídos em mais de 420 unidades pelo Brasil. Em 2008, concluiu uma negociação em que vendeu a LFG à Anhanguera, transformando esta na maior rede de ensino do Brasil.

Livros publicados[editar | editar código-fonte]

  • Direito Penal – Parte Geral – Culpabilidade e teoria da pena. São Paulo, ed. Revista dos Tribunais, 2005.
  • Minicódigo Penal. São Paulo, ed. Revista dos Tribunais.
  • Processo Penal. São Paulo, ed. Revista dos Tribunais.

Referências

  1. «Luiz Flávio Gomes». FGV - CPDOC. Consultado em 24 de junho de 2013. 
  2. a b c «Entrevista com o Prof. Luiz Flávio Gomes (Por que fui juiz, por que ser juiz?)». JusBrasil. Consultado em 24 de junho de 2013. 
  3. «Roberto Justus +: programa discute o polêmico tema da maioridade penal». Portal R7. 12 de maio de 2013. Consultado em 24 de junho de 2013. 
  4. «Luiz Flávio Gomes discute maioridade penal em audiência pública em Brasília-DF». 9 de junho de 2013. Consultado em 24 de junho de 2013. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]